Trofa no top 5 nacional dos concelhos com maior dinamismo económico

A Marktest analisou o dinamismo económico dos 308 municípios portugueses e a Trofa aparece na quinta posição. Esta classificação surge depois de analisados 39 indicadores.

Para o presidente da Câmara da Trofa, «esta avaliação externa vem de encontro à nossa priorização da Trofa como um Concelho de Empresas, em que apostamos e investimos, nos últimos anos, com projetos como o Via Azul Simplifica, a modernização das áreas de acolhimento empresarial, a angariação de novos investidores, a criação de uma incubadora de empresas inovadora – Lince.Trofa, entre outros, pois consideramos que um território forte, dinâmico e desenvolvido gera emprego, gera riqueza e gera maior qualidade de vida para todos. Por isso, este reconhecimento de uma entidade fidedigna como a Marktest, motiva-nos a fazer cada vez mais e melhor, como temos vindo a fazer até aqui, e que nos tem permitido mantermo-nos no top 5 nacional deste rating concelhio», defende Sérgio Humberto.

Com este estudo, o objetivo da Marktest é facultar novas ferramentas às entidades locais ou a empresas, para que possam observar, de forma rápida e intuitiva, os principais pontos fortes e fracos de cada um dos 308 concelhos do país.

 

 

 

Famalicão mantém-se como município mais exportador do Norte e terceiro no país

A última edição do Anuário Estatístico da Região Norte, editado no final do ano, mostra que o município de Famalicão manteve, em 2020, como o mais exportador a norte e o terceiro no país, logo a seguir a Lisboa e Palmela.

O concelho tem, ainda, um saldo positivo da balança comercial de 765 milhões de euros (m€), resultado de uma diferença entre as exportações (1.746.464 m€) e as importações (981.278 m€). É, desta forma, um dos municípios que mais contributo líquido dá para a economia nacional.

«Apesar da tendência de queda da economia devido à pandemia, Vila Nova de Famalicão conseguiu manter-se como um dos municípios que mais contribui para a economia nacional. Somos um território que produz, que trabalha, que não baixa os braços», refere, a propósito, o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos.

Para o futuro, o autarca mantém o otimismo e acredita que «com a capacidade de resiliência e empreendedorismo dos famalicenses vamos conseguir ultrapassar as adversidades provocadas por esta pandemia e continuar no rumo da inovação e do pioneirismo industrial do país».

No que diz respeito ao peso dos vários setores nas exportações do município, o têxtil e vestuário continuam a representar a maior fatia das exportações, seguindo-se o setor automóvel, metalomecânica e, por fim, o agroalimentar.

Entretanto, de acordo com os dados mensais preliminares do Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações das empresas famalicenses acumularam até novembro de 2021 um crescimento de 23,86% face ao mesmo período de 2020 e de 4,12% face a 2019, o que vem trazer um novo alento ao tecido empresarial. A nível nacional e no que diz respeito ao setor têxtil e vestuário, as exportações acumularam até outubro um crescimento de 15,2% face ao mesmo período de 2020 e de 1,5% face a 2019.

Refira-se que aquela que é a principal economia do Norte de Portugal tem nas suas fileiras perto de 15 000 empresas, que representam um volume de negócios na ordem dos cinco mil milhões de euros. Destas, perto de duas mil sociedades são da indústria transformadora que dão um contributo líquido importante para as contas nacionais e para a empregabilidade do país.

Trofa capacita escolas e espaços públicos com rede WIFI

O município da Trofa dá por concluído o processo de capacitação por rede wireless nas escolas e espaços públicos do concelho. Ao todo, a autarquia investiu mais de 50 mil euros nesta medida, que envolveu a dotação de 17 escolas básicas com rede WiFi e integrou a comparticipação por fundos comunitários no investimento em wireless nos espaços públicos.

O presidente da Câmara da Trofa fala de «um importante passo dado na modernização tecnológica do concelho e uma oportunidade de aproximar os mais jovens dos espaços públicos locais».

No que às escolas diz respeito, a Câmara Municipal investiu 20 mil euros para dotar 17 espaços escolares, sob gestão direta da autarquia, com rede wireless.

Já no que aos espaços públicos diz respeito, a instalação de rede Wi-Fi gratuita por parte do município da Trofa surgiu de uma candidatura a financiamento da Comissão Europeia, que envolveu a comparticipação de fundos em 15 mil euros para a implementação do projeto “WiFi4EU”, que garante cobertura wireless em espaços como parques, museus e edifícios públicos. O investimento total é superior a 30 mil euros, mas é de utilização gratuita para munícipes e visitantes.

 

 

Mercadona amplia capacidade logística com novo armazém na Póvoa de Varzim

A Mercadona, quem tem um espaço comercial em Famalicão, ampliou a capacidade de armazenamento do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim com uma nova nave de 12.000 m2. Este novo armazém, construído num terreno de 50.000 m2, adjacente ao que funciona desde 2019, vem dar resposta à evolução do projeto de expansão da empresa em Portugal e representou um investimento de 24,5 milhões de euros.

Com a criação desta nave, que se junta às outras duas que a empresa já tinha em funcionamento, o espaço foi totalmente reconfigurado. Assim, os novos 12.000 m2 passam a armazenar as frutas e legumes que diariamente saem para os supermercados da cadeia em Portugal. Além disso, fruto do seu modelo de logística sustentável e em colaboração com a Logifruit, haverá uma área, com cerca de 3.000 m2, dedicada à gestão de embalagens.

Adicionalmente, a superfície onde está inserido o novo armazém conta com uma área de 17.000 m2 de zonas verdes e 100 lugares de estacionamento, dois dos quais destinados ao carregamento de veículos elétricos, ligados à rede MOBI.E, indo ao encontro do compromisso da empresa para com a mobilidade elétrica.

Em 2019, a Mercadona arrancou com a operação do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim com duas naves, tendo investido 60 milhões de euros. No total, a empresa já investiu 84,5 milhões de euros no desenvolvimento deste projeto no concelho vizinho, que conta com três naves implantadas numa área total de 100.000 m2, contabilizando 350 postos de trabalho, dos quais 20 foram criados para dar resposta a este novo projeto de ampliação, sendo que a empresa continua com processos de recrutamento, através do portal de emprego https://www.mercadona.pt/pt/emprego.

Carlos Lopes, diretor do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim, considera que a expansão do mesmo «é uma grande aposta na garantia de melhor serviço às nossas lojas, tendo em conta as necessidades dos clientes. Acreditamos que esta é uma evolução natural para respondermos às necessidades de expansão em Portugal e esperamos que com o reforço da rede logística continuemos a assegurar a satisfação dos portugueses que escolhem diariamente a Mercadona como o seu supermercado de confiança».

Aires Pereira, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, reconhece «que o impacto, dimensão e peso que uma empresa internacional como a Mercadona tem na economia local – e principalmente no crescimento do nosso Parque Industrial de Laúndos – reflete-se significativamente também ao nível do aumento do emprego no concelho. Metade do número total de colaboradores nestas três unidades reside na Póvoa de Varzim», município que «continuará a apoiar o investimento no nosso concelho, especialmente por parte de empresas como a Mercadona, de base familiar e assentes em políticas de preocupação ambiental, nomeadamente ao nível da produção de plásticos e de estratégias de economia circular, e de responsabilidade social, pautada por contratações sem termo, salários-base acima do ordenado mínimo nacional e pleno respeito pela igualdade de género».

Bebé nasce em ambulância dos Bombeiros de Guimarães

Uma criança nasceu, esta segunda-feira, num ambulância dos Bombeiros Voluntários de Guimarães.

Segundo aquela corporação, tudo aconteceu cerca das 17h00, quando os soldados da paz foram acionados via 112 para socorrer uma grávida, em Airão Sta Maria.

Chegados ao local, os bombeiros encontraram a mãe já em contrações, tendo entrado em trabalho de parto quando já estava na ambulância, a caminho do hospital, por volta das 17h45.

Mãe e bebé estão bem de saúde.

Imagem: BVGuimarães

Alerta: O Ricardo tem 21 anos e está desaparecido desde domingo, foi avistado em Riba d’Ave

Ricardo Martins (ao centro da imagem) está desaparecido desde domingo.

O jovem de 21 anos, a residir em Guardizela, Guimarães, desapareceu na manhã de 16 de janeiro. Vestia umas calças de ganga escuras e tinha um casaco com capuz do mesmo tom.

Colegas do desaparecido afirmaram à nossa redação que o amigo já terá sido visto na madrugada desta terça-feira, pela 01h40, na vila famalicense de Riba d’Ave, nas proximidades da Junta de Freguesia / Riba d’Ave HC .

A mesma fonte confirmou que o jovem não se faz acompanhar de telemóvel.

A situação já terá sido reportada às autoridades.

CeNTI em projeto europeu de oito milhões para acelerar digitalização das empresas

O CeNTI é a única entidade portuguesa que faz parte de um projeto europeu que tem oito milhões de euros para acelerar a digitalização das empresas. E são já 46 as empresas com acesso direto a um conjunto alargado de serviços de valor acrescentado, desde a testagem e manufatura de produtos eletrónicos, suporte ao desenvolvimento até à formação.

O projeto está em funcionamento desde 2020 até final de 2022. Numa próxima fase, as empresas vão ter acesso a uma rede europeia de colaboração, constituída por várias empresas, start-ups e investigadores, que criam um ecossistema de inovação para conjugar esforços.

Suportando-se na eletrónica flexível, o projeto pretende fomentar o desenvolvimento de produtos tão inovadores como têxteis que permitem aliviar a dor, vestuário que monitoriza a postura corporal e equipamentos que emitem luz que os torna visíveis no escuro.

Durante a primeira fase do projeto, as empresas podiam concorrer a oportunidades financiadas para usufruir destes serviços, de que estão a beneficiar. Posteriormente, empresas poderão recorrer ao markeplace para acederem a estes serviços a um preço justo.

A par do Centro de Nanotecnologia, que tem instalações em VN Famalicão, fazem parte do consórcio diversas empresas, centros de investigação e inovação e organizações focadas na eletrónica flexível, eletrónica orgânica, nanotecnologia e tecnologias digitais. Recorde-se que a eletrónica flexível está hoje presente em vários setores – automóvel, saúde e bem-estar, têxtil, eletrónica de consumo, energia, embalagens – e permite tornar os objetos inteligentes, conferindo-lhes propriedades e funcionalidades únicas e garantindo a partilha de informação entre os objetos e o utilizador. A sua aplicação traz, por isso, ganhos acrescidos para as empresas, que podem, assim, responder às atuais tendências digitais com soluções tecnológicas disruptivas, úteis e com elevado valor para o mercado.