Trabalhadores dos impostos em greve até ao final do dia de hoje

Trabalhadores dos impostos em greve até ao final do dia de hoje

Os trabalhadores dos impostos cumprem hoje um dia de greve para vincarem o seu protesto pela ausência de uma nova proposta do Governo sobre a revisão das carreiras.

Os dirigentes sindicais receberam no final de fevereiro uma primeira versão de proposta de revisão das carreiras.

O início do processo negocial levou o Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) a desconvocar a greve que tinha marcado para 28 de fevereiro, mas a ausência de resposta por parte do Governo às sugestões de alteração entretanto formuladas fez com que o STI decidisse manter a paralisação agendada para este dia 29 de março.

Nesta luta por “carreiras dignas”, o STI exige “preto no branco” que a proposta devolva aos funcionários da Autoridade Tributária e Aduaneira o vínculo por nomeação, um regime de avaliação permanente, a transição de todos os trabalhadores para a nova carreira e a concessão aos trabalhadores do estatuto de órgão de polícia criminal.

Apesar de considerar positiva a decisão do Governo em iniciar o processo negocial e alguns aspetos da proposta, o presidente do STI,

Paulo Ralha, referiu na ocasião, em declarações à Lusa, que de faltam ainda “dar passos decisivos” na revisão das carreiras dos trabalhadores da Autoridade Tributária e Aduaneira.

Num comunicado aos trabalhadores, o STI lembra que o pré-aviso de greve os abrange a todos independente de serem ou não filiados neste ou em outro sindicato.

A Associação Sindical dos Profissionais de Inspeção Tributária e Aduaneira (APIT) também tem criticado algumas das soluções que constam da proposta enviada pelo Governo, nomeadamente o facto de esta não contemplar o vínculo de nomeação definitiva dos trabalhadores da AT ou o modelo de avaliação.

Most Popular Topics

Editor Picks