Concelho

“Temos de recolocar na agenda politica a criação do Destacamento Territorial da GNR de Famalicão”

O deputado famalicense na Assembleia da Republica, Jorge Paulo Oliveira defendeu a necessidade de se voltar a insistir com a desvinculação dos Postos dos Comandos Territoriais de Famalicão, Riba de Ave e Joane, da tutela operacional do Destacamento de Barcelos da GNR. A criação de um Subdestacamento em Famalicão pode ser uma solução intermédia e evolutiva à situação presente admite o social democrata.

Jorge Paulo Oliveira, acompanhado de Cristina Peixoto, Presidente do Núcleo do PSD de Joane e de Luís Barroso, dirigente da JSD concelhia, esteve esta segunda feira em visita ao Posto do Comando Territorial da GNR da Vila de Joane. À semelhança das deslocações efetuadas aos outros Postos territoriais existentes no concelho, a visita serviu o propósito do deputado à Assembleia da República se inteirar das condições de trabalho dos agentes e do serviço que é prestado à comunidade.

Inaugurado há perto de uma década, o edifício do Posto do Comando Territorial na Vila de Joane é, dos três existentes no concelho, aquele que melhores condições infraestruturais apresenta, quer em termos de trabalho dos próprios militares quer de receção do público em geral.

Jorge Paulo Oliveira, aproveitou a visita e a presença do próprio Comandante do Destacamento Territorial de Barcelos, do qual o Posto da GNR de Joane, como sucede com os de Famalicão e Riba de Ave, dele dependem em termos operacionais, para defender a criação do Destacamento Territorial de Vila Nova de Famalicão “que nunca passou de uma boa intenção no papel”.

O deputado famalicense lembrou que a criação deste destacamento data de 16 de dezembro de 2008, mas nunca viu a luz do dia. “A dimensão territorial, populacional, económica e social, expressa ademais na existência de 3 postos territoriais da GNR, recomenda que Vila Nova de Famalicão seja dotado de um escalão eminentemente operacional”, disse o social democrata. Não advogamos a extinção do Destacamento de Barcelos, mas apenas a criação do de Vila Nova de Famalicão” esclarece.

“Teríamos muito a ganhar com isso”, exemplificando o social democrata com a vinda para o concelho de unidades importantes como os do Núcleo de Investigação Criminal (NIC), o Núcleo de Proteção do Ambiente (NPA) ou a Secção de Programas Especiais (SPE) que, por seu turno, inclui unidades especificas como a Escola Segura, Idosos em Segurança ou o Comércio Seguro.

“Sabemos que a concretização desta vontade não é fácil. Exige avultados investimentos financeiros e disponibilidade de recursos humanos que escasseiam. Mas é preciso fazer esse caminho de reivindicação. É preciso colocar na agenda politica esta necessidade. De outra forma ela nunca se concretizará” disse Jorge Paulo Oliveira.

Reconhecendo a existência dessas dificuldades, Jorge Paulo Oliveira não deixa por isso de avançar com uma solução alternativa e intermédia. “No mínimo devemos lutar pela criação do Subdestacamento Territorial de Famalicão que permitiria reforçar o quadro dos efetivos, com todas as vantagens que dai adviriam, e aproveitar a circunstância para proceder a uma intervenção profunda de reabilitação do atual posto da GNR de Famalicão”, sustentou o deputado social democrata.

“Há semelhança do que aconteceu no passado e acontece no presente, estou certo que o município não deixará de colaborar empenhadamente com o Ministério da Administração Interna, como sempre o fez, para que uma ou outra solução ambição possa avançar”, assegurou Jorge Paulo Oliveira.

 

Previous post

Papa Léguas de Famalicão Campeões Regionais de Infantis

Next post

Médico Famalicense Alvo de Homenagem

Cidade Hoje