Novo ano, novas vidas. Mais de 392 mil bebés vão nascer no dia de Ano Novo em todo o mundo

Em comunicado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) estima que mais de metade destes nascimentos aconteçam em oito países, com a Índia (67.385), a China (46.299) e a Nigéria (26.039) a figurarem nos três primeiros lugares da lista.

No extremo oposto da tabela estão países como Aruba, ilha no Mar das Caraíbas, onde deverão nascer apenas dois bebés, ou as Ilhas Virgens, também nas Caraíbas, e as ilhas Seychelles, no Oceano Índico, ambas com três bebés, calcula a Unicef.

As ilhas Fiji, no Oceano Pacífico, vão, provavelmente, receber o primeiro bebé de 2020 e os Estados Unidos da América (EUA) deverão receber os últimos bebés do primeiro dia do ano.

Em Portugal, a Unicef estima que nasçam no dia 1 de janeiro de 2020 um total de 213 bebés.

Segundo a Unicef, em 2018 um total de 2,5 milhões de bebés recém-nascidos morreram no seu primeiro mês de vida e um terço desses no primeiro dia.

A maioria morre de causas evitáveis como a prematuridade, complicações durante o parto e infecções como a sépsis. Para além disso, mais de 2,5 milhões de bebés são nados-mortos todos os anos, refere a organização.

Contudo, apesar de nas últimas três décadas ter havido um “progresso notável na sobrevivência de crianças”, que fez com que o número de crianças que morrem antes de completarem 05 anos, em todo o mundo, tenha caído para mais de metade, o progresso para os recém-nascidos “tem sido mais lento”.

Em 2018, os bebés que morreram no primeiro mês de vida representam 47% de todas as mortes entre crianças com menos de 05 anos, ilustra a Unicef.

A campanha da Unicef “Every Child Alive” (em português, “Toda a Criança Viva”) apela ao investimento em profissionais de saúde com formação adequada para assegurar que todas as mães e recém-nascidos são tratados de forma segura para prevenir e tratar complicações durante a gravidez, parto e nascimento.

UNICEF Portugal começa campanha para ajudar bebés prematuros em todo o mundo

Em comunicado, a UNICEF Portugal adianta que a campanha começa hoje e será divulgada nas televisões e na Internet, através de um vídeo que conta a história da bebé ‘Blessing’ (Bênção, na tradução para português), nascida prematuramente, na Tanzânia, e que “a UNICEF ajudou a salvar através de uma Unidade de Cuidados Intensivos de Neonatologia”.

De acordo com a organização, a campanha vai decorrer entre hoje e 27 de outubro e todas as formas de contribuição estão disponíveis na página da Internet da UNICEF Portugal.

Dados da UNICEF revelam que anualmente morrem 2,6 milhões de bebés antes de completarem um mês de idade, enquanto outros 2,6 milhões já nascem mortos.

“Mais de 80% das mortes de bebés recém-nascidos acontecem por prematuridade, complicações durante o parto e infeções como sépsis, meningite e pneumonia. São milhões de vidas que podiam ser salvas todos os anos se estas mães e os seus bebés tivessem acesso aos cuidados necessários, a uma boa alimentação e a água potável”, refere a UNICEF.

Com os donativos angariados, a UNICEF planeia criar e reforçar unidades de cuidados intensivos de neonatologia limpas e funcionais, formar equipas médicas em situação de emergência e triagem adequada durante visitas pré e pós-natais, bem como adquirir equipamento e medicamentos, nomeadamente aquecedores elétricos para bebés e máquinas de respiração de oxigénio.

O dinheiro angariado vai também servir para prestar apoio psicológico às famílias dos bebés prematuros.

Most Popular Topics

Editor Picks