Empresas famalicenses na Web Summit

A IOTech, JMP Information Systems e Drible são as três startups famalicenses presentes na Web Summit, para ganhar escala e gerar novos negócios. A Famasete, quase a completar 25 anos de existência, também está na Web Summit, que termina esta quinta-feira, para apresentar uma nova mesa interativa portátil. MOVA é a primeira mesa rebatível da marca Wingsys e consiste num sistema multitoque totalmente móvel, leve e adaptável a vários ambientes.

A IOTech, que nasceu em 2018 com a missão de simplificar o dia-a-dia de pessoas e empresas através da inovação, tecnologia e inteligência artificial, apresentou nesta sua estreia na Web Summit o ioGuest (gestão de visitas, reuniões e salas de forma integrada e digital) e ioAttend (gestão de presenças com o telemóvel em qualquer lugar e a qualquer hora).

Estreia também para a novel startup JMP Information Systems, criada em outubro de 2018, e que está vocacionada para a digitalização da indústria. Uma das suas principais competências é o desenvolvimento de Sistemas de Gestão de Produção (MES-Manufacturing Execution Systems).

O principal cliente da JMP Information Systems é a Continental AG (Hannover) para quem desenvolve um Manufacturing Dashboard que se tornou ContiStandard em Março de 2019, o que significa que o mesmo é utilizado em todas as fábricas do grupo como ferramenta de trabalho do dia-a-dia.

Já a Drible marca presença pelo terceiro ano consecutivo para apresentar as novidades do seu software de marketing digital, Closum. Trata-se de uma plataforma que torna fácil a aquisição e gestão de contactos. Usada ainda apenas no mercado nacional, as perspetivas são de expansão para os PALOP e mercados europeus já no início de 2020.

Portugal, Croácia, Turquia e Espanha reuniram-se para avançar na instalação de supercomputador em Oliveira Sta Maria

O ministro português da Ciência, Manuel Heitor, disse à agência Lusa que “a primeira reunião do consórcio visou reforçar o plano de intervenção e tentar acelerar a instalação das máquinas – uma em Espanha, outra em Portugal – e reforçar a ideia da supercomputação verde”.

A instalação do segundo supercomputador em Vila Nova de Famalicão, onde já funciona a primeira máquina do género em Portugal, está prevista para o final de 2020.

O primeiro, conhecido como BOB em honra do seu criador, o investigador Robert Peterson, da universidade do Texas, nos EUA, está instalado na freguesia de Riba de Ave em fase de testes e deverá abrir ao público em janeiro do próximo ano.

Manuel Heitor acrescentou que os membros do consórcio, que se reuniram hoje em Espanha, querem aproveitar a parceria no âmbito do European High Performance Computing para “maximizar a produção de tecnologia europeia” em vez de recorrer a compra de tecnologia americana ou chinesa.

O objetivo da parceria é a instalação de um supercomputador em Barcelona e outro no centro de supercomputação avançada do Minho, em Oliveira Sta Maria.

Juntar-se-ão à rede de supercomputação europeia com o BOB, já um exemplo da supercomputação verde que pode ser útil para a busca da cura do cancro, identificação precoce de tumores, previsão do clima e alterações climáticas, ondas de calor ou de frio.

Most Popular Topics

Editor Picks