Trabalhadores dos CTT começam greve no final do mês

Nos dias 30 de novembro e 2 e 3 dezembro, os trabalhadores dos CTT vão estar em greve «pela defesa de aumentos salariais e do reforço do número de trabalhadores que asseguram o serviço postal», anuncia o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT).

Vitor Narciso confia que a greve deverá ter um grande impacto no atendimento e no tratamento e distribuição de correspondência, «e é essa a intenção, para que a empresa perceba a indignação dos trabalhadores e a opinião pública perceba o que se passa nos CTT».

Em declarações à agência Lusa o dirigente sindical lembrou que o processo negocial com a empresa arrastou-se desde o início do ano e acabou sem qualquer acordo.

 

Sindicato anuncia pré-aviso de greve para funcionários e professores

O Sindicato de Todos os Professores (STOP) apresentou um pré-aviso de greve para os dias 14 a 17 de setembro, caso não estejam garantidas as condições de segurança contra o contágio pelo covid-19.

Em declarações à Agência Lusa, o coordenador nacional do STOP, André Pestana, diz que ainda há outras razões para o protesto, como a falta de assistentes operacionais e o desconhecimento dos direitos dos trabalhadores que fazem parte do grupo de risco.

«Turmas com o mesmo número de alunos, falta de assistentes operacionais e a não clarificação da situação dos trabalhadores que pertencem a grupo de risco são as situações que nos preocupam», alertou André Pestana.

Recorde-se que as aulas começam na semana de 14 a 17 de setembro, precisamente aquela em que está prevista a greve. André Pestana diz que não existem condições para um regresso em segurança, mas espera que a situação se altere nos próximos dez dias e que as greves não avancem.

Por isso, entre os dias 5 e 10 de setembro, o STOP vai fazer uma sondagem junto das escolas para perceber se há condições para haver aulas e depois anuncia uma tomada de posição.

Trabalhadores de transportes rodoviários querem fim do lay-off

Trabalhadores de transportes públicos de passageiros manifestaram-se esta segunda-feira em frente ao edifício da Câmara Municipal de Famalicão contra o lay-off.

Os trabalhadores esperam que a Câmara Municipal de Famalicão interceda junto do Governo para que seja colocado um ponto final no lay-off dos trabalhadores do setor rodoviário.

Segundo as contas do sindicato, cerca de 70% dos trabalhadores ainda estão em lay-off, com redução de salário. Agostinho Silva, da delegação de Braga do STRUF, fala em dificuldades para os trabalhadores e para as populações que necessitam de mais horários de transportes públicos.

O sindicalista alerta ainda para as mudanças que vão chegar aos transportes públicos com a passagem da tutela para as CIM e para as autarquias.

Trabalhadores da TESCO em greve esta sexta-feira

Os trabalhadores da empresa TESCO – Componentes para Automóveis, LDA, em Ribeirão, vão estar em greve esta sexta-feira. Segundo avança o Sindicado dos Trabalhadores das Indústrias Transformadora, Energia e Atividades do Ambiente do Norte, os trabalhadores dos vários turnos vão concentrar-se à porta da empresa para reivindicar, entre outras medidas, o aumento salarial, a redução do horário de trabalho, a passagem ao quadro dos trabalhadores com contrato a termo e/ou temporário e o aumento dos dias de férias para 25 dias úteis.

Most Popular Topics

Editor Picks