Famalicão: Rota Camilo com financiamento de 700 mil euros

A Rota Camilo, um projeto de valorização do património de Camilo Castelo Branco, vai beneficiar de um apoio de mais de 700 mil euros para a sua dinamização, sendo que 500 mil euros são comparticipados pelo Norte 2020 através do FEDER.

Recorde-se que a Rota Camilo foi lançada pelo município de Famalicão, em conjunto com outros municípios e entidades culturais ligadas à vida e obra de Camilo Castelo Branco.

No âmbito deste apoio financeiro, o município acaba de ver aprovadas duas candidaturas ao programa operacional Norte 2020: “Rota Camilo: Valorização da Casa-Museu e Cemitério da Lapa” e “Rota Camilo: Qualificação e Divulgação Territorial”.

Este apoio vai permitir, por um lado, a modernização e requalificação da Casa-Museu Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide, nomeadamente a reconstrução da Quinta de São Miguel e da Casa dos Caseiros. Por outro, estabelecer uma rede de experiências inspiradas em Camilo com recurso à vida e obra do escritor, com o objetivo de aumentar exponencialmente ligações ao legado deixado por ele. A Casa Museu de Camilo ganhará novos espaços aptos ao acolhimento de experiências como visitas encenadas, degustações de ementas camilianas, pequenas performances, programas noturnos, entre outras.

Ainda no âmbito desta candidatura, apresentada em conjunto com a Venerável Irmandade da Lapa, do Porto, vai ser requalificado o cemitério da Lapa, um monumento de interesse público, onde está localizado o jazigo de Camilo Castelo Branco.

No que diz respeito à segunda candidatura o município de Vila Nova de Famalicão assume o papel de beneficiário líder e o município de Ribeira de Pena é co-beneficiário, em concertação com uma rede de parceiros distribuídos pela região, nomeadamente a Câmara Municipal do Porto, o Centro Português de Fotografia, a Confraria do Bom Jesus, CP – Comboios de Portugal e Venerável Irmandade de Nossa Senhora da Lapa.

Neste âmbito, a Casa Museu de Camilo, localizada em S. Miguel de Seide assume-se como o polo de acolhimento e distribuição da Rota de Camilo, mobilizando os públicos a partir do polo turístico do Porto para os destinos do Minho e Trás-os-Montes.

As intervenções deverão ficar concluídas até ao segundo semestre de 2021, altura em que a Casa-Museu assinalará 100 anos de abertura ao público.

Refira-se que a Rota Camilo foi lançada em março de 2017, no Porto, no dia em que se assinalava o 192.º aniversário do nascimento de Camilo Castelo Branco.

Famalicão: Cinema no Jardim da Casa de Camilo

Este fim de semana há cinema nos jardins da Casa de Camilo Castelo Branco, em Seide, com dois filmes: a comédia “A General” e o drama “Amarcord”.

Os filmes são exibidos às 22 horas e para assistir deve inscrever-se através do email [email protected]. Devido à covid-19, a assistência está limitada a 50 pessoas.

Esta sexta-feira, passa o filme “A General”, de Buster Keaton e Clyde Bruckman, de 1926. Johnnie é apaixonado pela sua locomotiva “A General” e também pela bela Annabelle Lee. A partir daqui muitas peripécias se desenrolam, tendo como cenário a guerra civil americana.

No sábado, dia 25, é exibido o filme “Amarcord”, de Frederico Fellini, de 1973. “Amarcord” que significa “eu recordo-me” é um olhar atento do realizador sobre a adolescência e juventude.

A iniciativa cine-esplanada decorre, desde há alguns anos, beneficiando do espaço exterior da casa do romancista de Seide, da envolvência da natureza e do ambiente camiliano. Este ano está inserida no programa de Verão “Anima-te, promovido pelo município famalicense.

Crime e Castigo no 13.º volume da coleção Estudos Camilianos

«Crime e Castigo em Camilo Castelo Branco» é o tema do volume 13 da coleção «Estudos Camilianos» que o Município acaba de lançar através da Casa de Camilo – Centro de Estudos.

Com organização de Sérgio Guimarães de Sousa e João Paulo Braga, a publicação foi apresentada esta segunda-feira, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Museus, em conferência realizada on-line.

Colaboraram neste trabalho Henrique Marques Samyn (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), Luciana Namorato (Indiana University, Estados Unidos), Maria João Dodman (York University, Toronto, Canadá) e Patrícia Silva Cardoso (Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil).

«Os estudos aqui reunidos, demonstram a complexidade, a profundidade e a riqueza da problemática do bem e do mal, do crime e do castigo no autor de Anátema», escreve na nota introdutória o diretor da coleção e da Casa de Camilo, José Manuel de Oliveira.

A publicação encontra-se à venda no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide, e na Casa do Território, em Vila Nova de Famalicão. Pode, também, ser requerida via digital através da loja on-line da Casa- Museu em www.camilocastelobranco.org.

Assaltada residência em Seide S. Miguel

Foi assaltada uma residência no largo de Seide S. Miguel, na tarde desta quarta-feira, entre as 14 e as 16 horas.

Os assaltantes levaram diversas peças de ouro, de valor elevado e de grande estima da proprietária. Além do roubo, remexeram toda a residência, deixando um rasto de destruição.

A proprietária, uma senhora viúva, com 80 anos, tinha-se ausentado de casa e quando regressou encontrou a vivenda arrombada e assaltada.

Não há testemunhas deste assalto. A GNR esteve no local e tomou conta da ocorrência.

Homenagem a João Bigotte Chorão nos Encontros Camilianos

Nos dias 11, 12 e 19 de outubro tem lugar, em Seide, a 5.ª edição dos Encontros Camilianos. Este ano, destaca-se a homenagem ao ensaísta e crítico literário João Bigotte Chorão, um dos maiores especialistas na obra de Camilo Castelo Branco.

Estudioso da literatura autobiográfica, João Bigotte Chorão faleceu no passado mês de fevereiro, deixando vários ensaios sobre a obra de Camilo Castelo Branco. O tributo ao camilianista realiza-se durante a tarde do dia 12 de outubro, iniciando com a inauguração da exposição bibliográfica e documental “Esta nossa debilidade camiliana: Tributo a João Bigotte Chorão”. Seguem-se várias intervenções, entre as quais a de Pedro Mexia, filho do homenageado.

A 5.ª edição dos Encontros Camilianos arranca no dia 11 de outubro com um roteiro camiliano ao cemitério da Lapa, onde estão depositados os restos mortais de Camilo Castelo Branco. À noite, pelas 21h30, decorre um serão musical sob a direção do professor Rui Mesquita.

Os trabalhos abrem no dia 12, no auditório do Centro de Estudos Camilianos, a partir das 9h30. A comunicação inaugural está a cargo do professor no Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho, Sérgio Guimarães de Sousa.

Os Encontros Camilianos regressam a 19 de outubro com a realização de um Roteiro Literário Camiliano a Ribeira de Pena, onde Camilo Castelo Branco viveu durante dois anos e onde casou com Joaquina Pereira de França, aos 16 anos.

Os interessados em participar nos Encontros Camilianos de São Miguel de Seide devem efetuar a sua inscrição através do site em www.camilocastelobranco.org. A inscrição é obrigatória e gratuita para o limite de 120 participantes.

Os Encontros Camilianos realizam-se de dois em dois anos, com os objetivos de promover o debate e a reflexão interdisciplinar em torno das temáticas camilianas, contribuindo, desse modo, para a melhor promoção e divulgação da vida e da obra de Camilo Castelo Branco, bem como para sedimentar a sua política de intervenção cultural e científica a favor da Língua e da Cultura portuguesas.

“Desenha a tua Vida” com a ajuda de Ricardo Mendoza

O Centro de Estudos Camilianos, em Seide de São Miguel, recebe na tarde deste domingo, um evento denominado “Desenha a tua Vida”, com a presença do orador Ricardo Mendoza, especialista em intervenção estratégica, programação neurolinguística (PNL) e inteligência positiva.

O melhoramento da vida profissional, a motivação e o relacionamento com os colegas, amigos e família serão alguns dos temas abordados na palestra. O evento, com organização da Faz Acontecer, é aberto ao público e tem entrada gratuita. Todas as contribuições angariadas revertem a favor dos Bombeiros Voluntários de Famalicão.

Most Popular Topics

Editor Picks