PCP defende continuidade da feira e do mercado

A concelhia do PCP recomenda ao executivo municipal uma série de medidas de prevenção à infeção pelo covid-19, e também algumas de incentivo à economia local.

Através do seu deputado na Assembleia Municipal, Daniel Sampaio, diz que é preciso manter a feira semanal e o mercado em funcionamento, com o cumprimento das devidas medidas de distanciamento, por entender que estes espaços são a oportunidade para estes pequenos comerciantes e produtores escoarem os seus produtos.

O PCP propõe também a desinfeção dos espaços públicos, nomeadamente transportes, paragens, instalações públicas, contentores, zonas de maior passagem, etc. Recomenda que sejam criadas condições e fornecido o material necessário para que os alunos que recorrem às refeições diárias as possam levar para casa em regime de take-away.

Acrescenta que o material de proteção individual, como máscaras, luvas batas, deve ser entregue pelas autoridades sanitárias. O PCP condena, assim, o PS por ter andado a distribuir máscaras na feira semanal, uma atitude que o PCP classifica de «populismo» e «oportunismo eleitoralista».

Além da defesa da saúde e da economia local, o PCP diz que é necessário defender os direitos laborais. Este partido mostra-se atento aos «abusos» da parte dos empresários e promete denunciar situações de despedimento, férias forçadas, propostas de banco de horas e de lay-off, etc.

Covid-19: Paulo Cunha diz que governo não dá meios nem informações para “luta” eficaz contra o vírus

Em declarações ao jornal Expresso, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, não poupou criticas ao governo na gestão de recursos e informações da pandemia do Covid-19.

O autarca de Vila Nova de Famalicão queixa-se de haver um grande atraso no rastreio dos possíveis infetados, mesmo nos testes considerados urgentes.

Há uma “enorme dificuldade no acesso à informação para identificar quem está infetado e onde”, o que invalida qualquer estratégia que se queira eficaz de contenção, refere o edil social democrata.

Recordamos que a região norte de Portugal é uma das mais afetadas pelo covíd-19 com perto de 9 mil infetados.

A entrevista do Expresso a vários autarcas do norte pode ser lida aqui.

Covid-19: Universidade Lusíada suspende aulas

O Conselho de Administração da Fundação Minerva e o Reitor da Universidade Lusíada – Norte, reunidos no dia 8 deliberaram «suspender as atividades letivas e de atendimento pessoal ao público, no campus de Vila Nova de Famalicão da UL-N, até ao próximo dia 13 (treze), altura em que a situação será reavaliada»; aconselham os estudantes residentes nos Municípios de Felgueiras e de Lousada a não se dirigirem à Universidade e a cumprirem as orientações da Direção Geral da Saúde e das respetivas autarquias locais;

«O Conselho de Administração da Fundação Minerva e o Reitor, em função da evolução da situação que estão a acompanhar, e das orientações determinadas pelos poderes públicos, sem prejuízo da sua própria avaliação, poderão estender as medidas agora tomadas ou deliberar quanto a outras que se afigurem necessárias para garantir a saúde e o bem estar da sua comunidade académica e, nessa medida, colaborar com as autoridades sanitárias nas ações de proteção da saúde pública portuguesa».

Câmara de Famalicão tem plano de contingência para o novo coronavírus

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão dispõe de um plano de contingência que promove uma série de procedimentos para a operacionalização e implementação de medidas de prevenção tendo em vista o novo Coronavírus – COVID-19, seguindo as recomendações emitidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e que será ativado se necessário.

Coordenado pelos Departamento de Saúde, Segurança e Higiene no trabalho e pela Proteção Civil Municipal, o plano aponta para vários níveis de intervenção e que definem as regras e cuidados a ter pelos serviços no atendimento municipal autárquico.

“Estamos atentos e estamos a acompanhar a evolução do coronavírus, mas sem alarmismos” afirmou a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, salientando que o município está neste momento a “reforçar a informação emitida pela DGS aos funcionários municipais, apostando nas medidas preventivas”.

Neste âmbito, o plano prevê diversos procedimentos, nomeadamente o reforço de dispensadores com desinfetante nos vários serviços municipais, a intensificação da informação e esclarecimento de trabalhadores municipais e ainda a referenciação de áreas de isolamento e circulação e a previsão de condições de teletrabalho.

Para já é fundamental “preparar respostas à situação, bem como medidas de informação, prevenção, vigilância e identificação de possíveis casos”, acrescenta o autarca.

Coronavírus: Máscaras “made in Famalicão” estão em todo o mundo, empresa subiu as vendas em 30%

A Raclac é uma empresa sediada na freguesia de Cruz, em Vila Nova de Famalicão, que vende máscaras e outros produtos descartáveis para os sectores da saúde, da indústria, da alimentação e da estética.

Com o alastramento do coronavírus, esta empresa famalicense viu a procura pelos seus produtos a crescer de uma forma anormal.

As máscaras, que são encaradas por muitos como um mecanismo que pode prevenir o contágio do vírus entre os seres humanos, terão sido as responsáveis pelo aumento na faturação desta empresa na ordem dos 30%, em comparação com o valor registado no mesmo período o ano passado, adiantou o administrador da Raclac em entrevista ao jornal Público.

O responsável refere ainda que a procura pelas máscaras vem um pouco por todas as partes do mundo, havendo também interesse por parte do mercado interno.

É expectável que, a verificar-se a existência de infetados pelo coronavírus em Portugal, as vendas destas máscaras “made in famalicão” venha a ter mais saída para o território português e, em consequência disso, a Raclac venha a subir ainda mais os bons números já registados no início de 2020.

 

Most Popular Topics

Editor Picks