Salários em atraso na Oliveirense

Os jogadores da Oliveirense SAD e a equipa técnica ainda não receberam o mês de janeiro e aguardam a liquidação do salário para regressar aos treinos.

Os momentos conturbados na Oliveirense estão, assim, por resolver, não se sabendo, ainda, se será possível à equipa apresentar-se em Braga, na próxima jornada, ante a formação B bracarense.

Recorde-se que a 27 de fevereiro, a assembleia de credores decretou a insolvência da Sociedade Anónima Desportiva, decisão passível de recurso. Terá sido este o argumento que os responsáveis da SAD alegaram junto da Federação Portuguesa de Futebol para realizarem o jogo de domingo passado, com o Vizela.

 

Mais um dia de greve na Tesco

Os trabalhadores da Tesco – Componentes para Automóveis, LDA, em Ribeirão, voltam a cumprir, esta sexta-feira, mais um dia de greve dando continuidade às suas reivindicações.

Os trabalhadores exigem aumento salarial justo; fim da discriminação salarial; redução do horário de trabalho; passagem ao quadro da empresa dos trabalhadores com contratos a termo ou temporários; aumento do subsídio de refeição; 25 dias úteis de férias.

Sindicato dos Jogadores confirma pagamento ao plantel da Oliveirense

O Sindicato dos Jogadores confirma, em comunicado, que já foi pago o mês de agosto aos atletas do plantel sénior da SAD da AD Oliveirense. Perante «este sinal claro para regularizar os pagamentos em atraso», o Sindicado foi mandatado para desconvocar a greve ao jogo deste domingo, dia 20 de outubro, para a Taça de Portugal, que opõe a AD Oliveirense Futebol SAD ao Santa Clara.

Mesmo assim, a estrutura sindical garante que continuará atenta esta situação, «junto do plantel», ao mesmo tempo que diligenciará no sentido de rever o modelo de licenciamento de clubes no Campeonato de Portugal, lê-se, ainda, na nota enviada à comunicação social.

SAD da Oliveirense paga agosto para jogar domingo

A SAD da Oliveirense confirmou à Cidade Hoje o pagamento dos vencimentos em atraso, referentes ao mês de agosto, até ao final deste sábado.

Desta forma, garante a presença da equipa no jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal, frente aos açorianos do Santa Clara, marcado para as 15h00, deste domingo, no campo de Ribes, em Oliveira Sta Maria.

Em falta fica o pagamento do mês de setembro, que segundo Mário Luna, representante da SAD da Oliveirense, será pago durante a próxima semana.

Recorde-se que, no passado fim de semana os atletas da equipa sénior chamaram o sindicado dos jogadores para lhe dar conta das dificuldades que viviam pela falta de pagamento dos vencimentos. Muitos dos jogadores, que são estrangeiros, não tinham dinheiro para a própria alimentação, chegando a faltar aos treinos.

Houve um pré aviso de greve que pode ter sido ultrapassado com a promessa manifestada pelo diretor desportivo da SAD oliveirense.

 

A.D.Oliveirense: Jogadores ameaçam não jogar enquanto não lhes pagarem salários em atraso

Desde o início da época que os jogadores da Associação Desportiva Oliveirense estão sem receber salários, adianta o Sindicato dos Jogadores de Futebol Profissional.

O organismo liderado por Joaquim Evangelista informou ainda que o jogadores profissionais da equipa de Santa Maria de Oliveira estão a ponderar não disputar o encontro frente ao Santa Clara, da terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Há uma reunião marcada com todo o plantel, na manhã deste sábado, para que o Sindicato se possa “inteirar da situação dramática em que se encontram alguns dos atletas”.

A equipa promete regressar aos relvados caso parte da dívida seja paga até à próxima quarta-feira.

Funcionários obrigados a fechar ginásio em Famalicão porque não sabem dos patrões

A loja de Vila Nova de Famalicão da rede de ginásios Extra Fit, localizada na Avenida Engenheiro Pinheiro Braga, ao lado da Farmácia de Gavião, fechou portas esta quarta feira depois dos responsáveis pela empresa terem, de acordo com os funcionários, desaparecido.

Lázaro Carvalho, empresário no ramo da hotelaria e restauração, é um dos responsáveis da cadeia de três ginásios “Xtra Fit” está incontactável e em parte incerta. (Imagem: RTP)
Os trabalhadores dizem que era habitual o casal de patrões não estar sempre contactável e que nunca estranharam a situação.
Contudo, desta vez, o silêncio teve outros contornos: os salários deixaram de ser pagos, a mensalidade do aluguer da loja também deixou de ser liquidada e até o programa informático, que permite a faturação das vendas, deixou de funcionar.
Por este acumular de situações o funcionamento da loja deixou de ser viável e os funcionários, que continuam sem conseguir comunicar com os responsáveis, decidiram fechar portas até que tudo fique clarificado.
Alguns clientes também acabaram por sair lesados e acusam o ginásio de burla.
Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, uma boa parte dos frequentadores daquele espaço foram aliciados a pagarem em adiantado as mensalidades do serviço com a garantia de que iriam ter acesso a meses de utilização dos serviços gratuita.
No facebook da empresa funcionários e clientes criticam a atitude da gerência.
A Cidade Hoje tem tentado entrar em contacto com os responsáveis pela empresa, mas tal não foi possível.
Entretanto, as outras lojas desta cadeia, localizadas em Braga e Viseu, estão abertas mas com os serviços reduzidos. Pessoas próximas da empresa garantiram que funcionários e serviços contratados (exemplo: telefone, água) não estão a ser pagos.

Most Popular Topics

Editor Picks