Riba d’Ave: Bombeiros salvam “Pitinhas” de buraco fundo

Os Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave foram, na tarde desta quinta-feira, chamados para resgatar um animal naquela vila.

O alerta chegou a esta corporação de bombeiros por volta das 15h50. Chegados ao local, a equipa responsável pelo resgate foi encontrar uma cadela, a “Pintinhas”, presa num buraco com mais de 5 metros de profundidade.

Visivelmente assustada mas sem mazelas da queda, a cadela foi resgatada com sucesso.

Vinte e oito projetos com Selo Famalicão Visão´25

A sessão solene evocativa dos 184 anos do Dia do Concelho decorreu, na manhã deste sábado, em Riba de Ave.

No Largo da Igreja, 28 empresas e instituições receberam a marca “Selos Famalicão Visão’25, galardão municipal que reconhece as iniciativas, ações ou projetos que têm contribuído para a coesão, competitividade e desenvolvimento do concelho.

Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal, elogiou os projetos distinguidos que, a seu ver, fazem prova que a comunidade está empenhada no desenvolvimento coletivo. «A melhor forma de celebrar uma comunidade é dar conta dos seus feitos e méritos e é o que está a acontecer. Estou muito satisfeito pelo trabalho que as instituições e empresas têm feito em Vila Nova de Famalicão». No entanto, o autarca reconhece que há áreas «que têm que ser alvo de uma atenção constante, para que a cidadania seja mais ativa, que as pessoas seja protagonistas e não esperem pelo que os outros possam fazer por si. Só assim seremos mais fortes em termos de comunidade».

Esta é já a quarta edição dos Selos Famalicão Visão’25, que se distribuem por 4 categorias: “Famalicão Made IN”, “B-Smart Famalicão”, “Força V – Famalicão Voluntário” e “Famalicão Comunitário”.

Susana Pereira, presidente da Junta de Riba de Ave, abriu a sessão evocativa do Dia do Concelho, assumindo que o regime de itinerância da cerimónia faz prova de um verdadeiro sentido de descentralização. A autarca pediu uma comunidade ativa «que valorize o seu passado, porque só assim se construirá um melhor futuro». Recordando a perda de serviços e valências de que a vila tem sido alvo, a autarca acredita que a localidade vai retomar «o caminho do sucesso».

Famalicão celebra 184 anos de municipalidade em Riba de Ave

A sessão solene evocativa dos 184 anos do Dia do Concelho decorre, este sábado, a partir das 10 horas, no Largo da Igreja de Riba de Ave. Na sessão, 28 empresas e instituições vão receber a marca “Selos Famalicão Visão’25, galardão atribuído pela Câmara Municipal para reconhecer as iniciativas, ações ou projetos desenvolvidos no território que têm contribuído para a coesão, competitividade e desenvolvimento inteligente e sustentável do concelho.

Esta é já a quarta edição dos Selos Famalicão Visão’25, que se distribuem por 4 categorias: “Famalicão Made IN”, “B-Smart Famalicão”, “Força V – Famalicão Voluntário” e “Famalicão Comunitário”.

Ainda no âmbito das comemorações do Dia do Concelho, na tarde de sábado, a partir das 17 horas, a Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco recebe a apresentação do livro “O Estado Totalitário”, de Joaquim Loureiro, advogado famalicense.

Homem encontrado morto na ponte da VIM em Oliveira Sta Maria

 

Um homem foi encontrado sem vida por volta das 07h00 deste domingo, na ponte da VIM que atravessa o Rio Ave, na freguesia de Oliveira Santa Maria, em Vila Nova de Famalicão.

A situação foi reportada ao 112 por populares que encontraram a vítima, com cerca de 40 anos, inanimada.

Chegados ao local, os Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave já nada conseguiram fazer uma vez que o homem já não tinha sinais vitais.

Dado algumas características que o cadáver apresentava suspeita-se que a morte terá acontecido durante a madrugada.

No local também esteve a VMER de Guimarães, GNR de Riba d’Ave e os Bombeiros Voluntários Famalicenses, estes últimos que asseguraram o transporte da vítima.

Bombeiros Voluntários de Riba de Ave, começam a manhã deste domingo, a efectuar resgate na ponte da VIM, zona de Oliveira Santa Maria. 🛥️🚑🛥️

Publicado por Bombeiros de Riba de Ave em Domingo, 15 de setembro de 2019

 

Já em janeiro deste ano, uma situação semelhante havia acontecido no mesmo local.

Homem encontrado morto na ponte da VIM em Oliveira Sta Maria

Renascimento do Teatro Narciso Ferreira traz dinamismo e centralidade a Riba de Ave

A reabilitação física e cultural do Teatro Narciso Ferreira, em Riba de Ave, uma obra emblemática da freguesia que está atualmente em estado de ruína, é vista como um sinal de revitalização da própria vila.

“Vamos reerguer este edifício e vamos fazê-lo num contexto de rejuvenescimento de Riba de Ave”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, esta segunda-feira, durante a assinatura do auto de consignação, que marcou o arranque das obras de reabilitação do edifício.

Encerrado desde os anos 90, altura em que estalou a crise do sector têxtil que afetou o Vale do Ave, o Teatro Narciso Ferreira deverá voltar a abrir portas no final de 2020, através de um projeto de recuperação que chega aos 3,5 milhões de euros e cuja obra foi entregue à empresa Costeira – Engenharia e Construção, SA.

Com verbas aprovadas no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), assinado entre a autarquia e o Programa Operacional Norte 2020, o município tem garantido um cofinanciamento FEDER, no valor de 2,9 milhões de euros.

O lançamento desta obra é um “momento marcante para Riba de Ave. A vila vai ganhar uma nova valência e um conjunto de condições que lhe vai permitir ter uma atividade cultural. Riba d’Ave voltará a ter uma centralidade cultural, recreativa e lúdica. Voltará a ter condições para que as forças vivas desta comunidade ganhem um novo dinamismo e vitalidade”, assinalou Paulo Cunha.

Visivelmente emocionada, a presidente da Junta de Freguesia de Riba d’Ave, Susana Pereira, realçou que a recuperação do teatro “é um momento simbólico que traz uma nova esperança à freguesia”. A autarca que se recorda bem “das tardes de cinema e de teatro no edifício” salientou que se trata de “um equipamento único pela sua história e pelo fim a que se destina e ímpar pela sua obra”.

“Riba D’Ave perdeu as escolas, os CTT saíram da avenida. Têm acontecido coisas muito más e espero que com as obras do teatro, e a atividade que aqui se vai desenvolver, traga uma nova dinâmica”, salientou ainda Susana Pereira.

A requalificação do Teatro Narciso Ferreira, inaugurado em 1944 e batizado em honra do empresário têxtil responsável pela construção das fábricas mais importantes de Riba de Ave no século XX, é assim um investimento fundamental para o desenvolvimento sócio-económico da vila.

A requalificação, projetada pelo arquiteto Noé Dinis, “um filho da terra” vai preservar os traços exteriores, desenhados pelo arquiteto portuense Manuel Amoroso Lopes, mas remodelar todo o interior. “Trata-se de um belo exemplar da arquitetura modernista que importa manter”, referiu Noé Dinis, salientando que “a obra deverá homenagear a inovação e carater empreendedor de Narciso Ferreira e levar a bom porto o desígnio de desenvolvimento que Riba de Ave merece”.

O projeto foi elaborado em colaboração com ESMAE e com o arquiteto José Prata, nomeadamente no que respeita às áreas de Arquitetura de Cena e Acústica.

O Teatro Narciso Ferreira vai-se tornar num espaço multifacetado, preparado para espetáculos de teatro, de dança ou de música e para sessões de cinema e capaz de responder às necessidades da própria comunidade, mas também de albergar alguns espetáculos de âmbito mais profissional.

A sala de espetáculos apresentará uma tipologia contemporânea multifuncional, de cota única, contemplando uma bancada telescópica motorizada e um teto técnico integral praticável, características que lhe permitirão configurações cénicas variáveis, capazes de responder tanto a desafios criativos específicos quer a montagens mais tradicionais, e ainda a utilizações de carácter lúdico e de atividades do âmbito da formação e da vida comunitária. Reunirá ainda os requisitos técnicos necessários à realização de assembleias, reuniões magnas, atos públicos e sessões solenes; conferências, palestras e apresentações; dança; música de câmara e/ou solista – vocal e/ou instrumental; música moderna e contemporânea com componente eletroacústica dominante; Ópera e Teatro.

Most Popular Topics

Editor Picks