Famalicão: Choque entre dois automóveis provoca dois feridos

Dois automóveis estiveram envolvidos, na tarde desta quinta-feira, num violento acidente com elevados danos materiais.

Apesar da violência do embate, há a registar dois feridos ligeiros que foram transportados ao hospital de Famalicão.

O sinistro aconteceu na Avenida S. Silvestre, na freguesia de Requião.

Os BV de Famalicão mobilizaram para o local duas viaturas e quatro operacionais.

Famalicão: sessão de esclarecimento sobre o Requerimento para o Estatuto do Cuidador Informal

O projeto Cuidar Maior, a funcionar em Requião, está de volta com o seu plano de atividades e em setembro, na tarde do dia 10, pelas 18:30, promove uma sessão de esclarecimento sobre o Processo de Requerimento para o Estatuto do Cuidador Informal.

A sessão, da responsabilidade da Dra. Miriam Soares, será desenvolvida na sala de Formação dos Bombeiros Voluntários Famalicenses.

A iniciativa seguirá todas as regras de segurança impostas pela DGS e os interessados terão que se inscrever obrigatoriamente pelo e-mail: [email protected]

Poderão também inscrever-se no evento, técnicos que estão apoiar os Cuidadores Informais neste processo.

Requião ganha Pavilhão Multiusos para desenvolver a freguesia

Um espaço polivalente no centro de Requião vai impulsionar a dinâmica social, recreativa e cultural local. O novo equipamento é, para o autarca João Pereira, «uma infraestrutura imprescindível ao normal desenvolvimento da freguesia, um espaço capaz de receber a população que aqui pode expressar as suas artes e cultura e adquirir conhecimentos nessas mesmas áreas».

A primeira fase de obra, no valor de 160 mil euros, tem o apoio financeiro municipal de 147 mil e 500 euros e desenvolve-se com a edificação do espaço polivalente e construção de estruturas de apoio: receção, instalações sanitárias, arrumos, camarins e copa.

Esta obra esteve em análise na visita do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, à freguesia, realizada esta quarta-feira, 1 de julho, no âmbito do novo ciclo de visitas do autarca ao território.

Também Paulo Cunha fala numa valência «que vai alavancar o crescimento da freguesia através de uma aposta nas capacidades das pessoas e no movimento comunitário e associativo».

A visita a Requião serviu, ainda, para o autarca municipal conferir as várias intervenções realizadas na freguesia e confirmar «o bom nível de desenvolvimento que a freguesia tem vindo a trilhar. Temos vindo a percorrer um caminho equilibrado mas ascendente que nos deixa orgulhosos e confiantes no território que legamos para o futuro», assinala João Pereira, presidente da Junta de Freguesia.

Famalicão: “Cuidar Maior” não esmorece com opções do Governo

O Governo selecionou 30 municípios para integrar o projeto-piloto dos cuidadores informais. Famalicão ficou fora destas opções apesar de ter um projeto pioneiro no país, que se chama “Cuidar Maior”, criado pelo Centro Social e Paroquial de Requião, pela Didáxis e pela Junta de Freguesia de Requião.

Adélia de Almeida, coordenadora do projeto “Cuidar Maior”, diz que esta opção por não incluir o concelho de Famalicão «não tem justificação possível e o porquê também não sabemos». A responsável pelo desenvolvimento do projeto “Cuidar Maior” admite que estão a tentar saber o porquê junto de entidades com responsabilidade na matéria, aguardando ainda as respostas. Mas, mesmo estando de fora, Adélia de Almeida confessa que «estamos cheios de força e não foi isso que nos desmotivou».

O único foco da equipa “Cuidar Maior”, que está sediada na Junta de Freguesia de Requião, é o atendimento aos cuidadores informais nas freguesias de influência. «Somos uma equipa determinada e vamos continuar a ser persistentes», realça.

Uma das vantagens deste projeto-piloto é que os cuidadores informais se possam candidatar a benefícios financeiros, técnicos ou de tempo de descanso. Mas os responsáveis do projeto “Cuidar Maior” também estão a ajudar os cuidadores a preencherem formulários para se poderem candidatar a estas mesmas ajudas já aprovadas pelo Governo.

O apoio não se fica por aqui. O “Cuidar Maior” está a proporcionar formação aos cuidadores e a prestar outros auxílios diversos. Por exemplo, durante a pandemia da covid-19, e porque não podiam prestar auxílio presencial, mantiveram o contacto telefónico com cerca de 30 famílias sinalizadas e, nalguns casos, levaram alimentos a casa porque esses cuidadores não tinham retaguarda familiar. Apesar da covid-19, que abrandou o andamento do projeto, o certo é que agora estão a trabalhar em pleno, com atendimento, formações e ajudas nos domicílios. «Estamos a fazer o nosso caminho, como é costume em Famalicão», realça Adélia de Almeida.

Famalicão: Cuidar Maior faz parte da Associação Nacional

O Projeto Cuidar Maior, a funcionar em Requião, passa a fazer parte da Associação Nacional Cuidadores Informais – Panóplia Heróis.

O projeto famalicense foi escolhido para representar a associação na região Norte.

«Este trabalho que iniciamos será uma mais-valia para os nossos Cuidadores Informais e para todos aqueles que cuidam com carinho. À Associação Nacional de Cuidadores Informais, agradecemos toda a confiança depositada no nosso trabalho e prometemos continuar empenhados para darmos a visibilidade que os nossos Cuidadores Informais merecem», escreve na página do Facebook a associação famalicense.

Most Popular Topics

Editor Picks