Famalicão: Paulo Cunha pede resposta urgente do Governo ao encerramento de serviços em Famalicão

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, escreveu às Ministras do Trabalho e Solidariedade e Segurança Social e da Justiça, pedindo uma resposta urgente ao encerramento dos respetivos serviços em Famalicão, em virtude de casos confirmados e confinamento de funcionários pela covid-19.

Os serviços de Segurança Social e do Registo Civil e do Notariado de Famalicão estão encerrados desde esta quinta-feira, sem qualquer atendimento ao público. O autarca fala «num cenário grave» e pede uma resposta que «colmate a falta de resposta dos serviços» para com os cidadãos.

De resto, Paulo Cunha recorda que em anteriores situações, já havia alertado para a falta de funcionários nestes serviços «que cria uma enorme lacuna no agendamento de atendimento ao público e no tratamento de processos», agora agravados «pelo contexto nacional que vivemos».

Famalicão: Serviços da Segurança Social e Registo Civil encerrados devido a casos covid-19

Os serviços de Segurança Social e Registo Civil de Famalicão estão encerrados para atendimento ao público e não há data para a reabertura.

Esta situação deve-se a casos positivos à covid-19 de funcionários e ao isolamento profilático de outros. A falta de recursos humanos impediu o recurso de equipas em espelho, o que obrigou ao encerramento dos serviços.

O anúncio foi feito há instantes por Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal, durante a reunião do executivo municipal, que está a decorrer.

Pede-se, por isso, que os utentes não se desloquem a estes serviços.

Filas no registo civil de Famalicão começam às 6 da manhã

A máquina onde são tiradas as senhas deixa de funcionar momentos após a abertura daquele espaço.

Renovar o cartão do cidadão no serviços do registo civil do concelho tem sido uma missão quase impossível para a maioria dos emigrantes que por cá estão durante este mês de Agosto.

Com a falta de espaço e funcionários para atender as centenas de pessoas que procuram este serviço, o método encontrado por muitos para conseguir, por exemplo, renovar o cartão do cidadão, é madrugar e ir para a porta do registo civil às 6 da manhã.

“Estes dias cheguei às 10h00 e não havia senhas. Fui aconselhado por um senhor a vir cá hoje mas cedo, cheguei às 6 da manhã e felizmente consegui resolver a minha situação.”

Paulo Silva – Emigrante famalicense residente em França

A situação não é nova mas agrava-se sempre neste período do ano. A solução poderá surgir nos próximos anos quando for aberta a Loja do Cidadão de Vila Nova de Famalicão, que deverá ficar instalada no Centro Comercial D. Sancho I – espaço da antiga superfície comercial “Inô” -, local que já se encontra arrendado à autarquia famalicense.

Most Popular Topics

Editor Picks