PSD regressa com debates em janeiro

Até ao momento, a concelhia do PSD já realizou nove tertúlias nas “Segundas na Sede”. Já foram abordados assuntos como a saúde, a degradação dos serviços públicos, o marketing, os salários, a violência, entre outros. «No Partido Social Democrata, estamos habituados a preparar os embates eleitorais de uma forma positiva, construtiva e através da força das nossas ideias. Queremos ouvir ao máximo a nossa comunidade, para continuarmos a ser o partido com melhores condições para governar Vila Nova de Famalicão», explica Paulo Cunha, presidente da concelhia do PSD.

A iniciativa arrancou em outubro, com portas abertas à comunidade. Os debates acontecem todas as segundas-feiras, das 21 às 22 horas. “A Prevenção da Violência” foi o mote para a conversa da passada segunda-feira, dia 9 de dezembro. A tertúlia foi dirigida pela coordenadora da Associação Projeto Gritar, Susana Vilarinho. “O Segundas na Sede” regressa no dia 13 de janeiro de 2020, depois de uma pausa natalícia, com novos temas e novos contributos.

Estão envolvidas as quatro secções do PSD local (ASD – Autarcas Social Democratas, JSD – Juventude Social Democrata, MSD – Mulheres Social Democratas, e TSD – Trabalhadores Social Democratas).

O presidente da concelhia do PSD traça um balanço positivo dos debates, porque têm «conseguido conquistar várias franjas da sociedade famalicense para a participação cívica».

Jorge Paulo acusa Governo de não investir nos serviços públicos

Jorge Paulo Oliveira, candidato do PSD às eleições legislativas do próximo domingo, chumba o Governo no que diz respeito aos serviços públicos.

Na avaliação aos últimos quatro anos de exercício do Governo PS, Jorge Paulo Oliveira garante que Famalicão não está melhor em nenhum setor: da saúde, à educação, justiça, segurança, serviços bancários e outros. «Quatro anos depois não vemos em Vila Nova de Famalicão, nem mais estado, nem melhor estado, nem melhores serviços públicos», denuncia o candidato do PSD.

Em conferência de imprensa, esta segunda-feira, o social-democrata garante que o mau estado dos serviços públicos se deve à falta de recursos humanos e à degradação dos espaços.

Para Jorge Paulo Oliveira, esta falta de investimento foi um ato premeditado e discriminatório do Governo de António Costa.

PSD assinala dia sem carros com passeio de bicicleta

A Comissão Política Concelhia do PSD de Famalicão vai assinalar o Dia Europeu Sem Carros, domingo, dia 22, com um passeio de bicicletas pelas estradas nacionais 204 e 206, com saída de Joane.

O objetivo é chamar a atenção para o «mau estado do piso destas duas artérias nacionais em território famalicense e para a necessidade de uma intervenção que inclua a preocupação pela circulação de bicicletas».

Os social-democratas encontram-se às 9h30, no antigo campo da feira de Joane. Pretendem percorrer os 12 km até Famalicão, prosseguindo pela Estrada Nacional 204 até Brufe pela Avenida 9 de Julho, onde têm ocorrido diversos acidentes graves nos últimos meses.

Jorge Paulo Oliveira, o primeiro candidato famalicense do PSD pelas listas de Braga, diz que esta «é uma iniciativa com causas» e desafia os cidadãos do concelho «a tomarem uma atitude».

O passeio é de baixa dificuldade, não carece de inscrição e não assegura seguro de acidentes pessoais.

Candidato do PSD acusa governo de não investir no Hospital de Famalicão

Jorge Paulo Oliveira acusa o Governo de discriminar Famalicão no âmbito da saúde. O candidato do PSD pelo distrito de Braga diz que falta apoio por parte do Ministério da Saúde para a criação da Clínica da Mulher, da Criança e do Adolescente no Hospital de Famalicão, obra orçada em 300 mil euros.

O social-democrata fala em discriminação do Governo porque o Ministério da Saúde anunciou, no âmbito do Programa de Investimentos na Área da Saúde (PIAS), um investimento na ordem dos 5,3 milhões de euros, destinado à melhoria de infraestruturas e equipamentos do Hospital de Santo Tirso.

Recorde-se que as unidades hospitalares de Famalicão e Santo Tirso compõem o Centro Hospitalar do Médio Ave.

A criação da Clínica da Mulher, da Criança e do Adolescente é um investimento da responsabilidade do Ministério da Saúde, que o Ministério da Saúde se recusou a fazer invocando indisponibilidade financeira, a mesma que não faltou para a outra unidade do mesmo Centro Hospitalar, mas situada num outro município, alinhado politicamente com o Governo.

O famalicense acrescenta ainda que «esta atitude discriminatória do Governo para com Vila Nova de Famalicão não é isolada, muitas outras ocorreram ao longo dos últimos quatro anos», denuncia.

Esta clínica fica nas instalações das antigas urgências do Hospital de Famalicão, onde já existem alguns serviços das áreas da ginecologia e obstetrícia. A sua construção vai concretizar-se com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão que comparticipará a obra em 150 mil euros e com o apoio das empresas e dos empresários da região.

Most Popular Topics

Editor Picks