Populares apanham ladrão a roubar casa em Gavião

Um homem, de 32 anos, foi apanhado por populares, na tarde desta terça-feira, quando roubava o interior de uma casa na rua da Bela Vista, em Gavião. A PSP foi chamada ao local e o indivíduo foi entregue sob detenção aos agentes pelos populares.

O suspeito havia furtado vários artigos em ouro e prata, no valor de 473 euros e a quantia de 435 euros em dinheiro.

Para assaltar a casa, escalou um muro com cerca de dois metros de altura e entrou pela porta da garagem, a qual dá acesso ao interior da residência.

Famalicão: Espalham recorrentemente copos com guloseimas por parque infantil do centro da cidade

Tem sido recorrente crianças e pais encontraram copos com bebida e guloseimas no parque 1º de maio, no centro da cidade, nas proximidades da zona escolar.

Regra geral, os copos estão recheados de rebuçados e acompanhados de outros com uma bebida. Estes objetos são colocados numa zona onde, por norma, só os jovens acedem, no interior das diversões.

A par dos copos, é também deixada a lata da bebida que neles foi vertida.

Este fim de semana, durante a noite de sábado, devido à luz de uma vela colocada no local, populares voltaram a encontrar os misteriosos objetos.

O caso foi reportado às autoridades locais.

Landim: Vaga de assaltos a casas durante a noite assusta população

Num espaço de poucas semanas, pelo menos três casas foram assaltadas, no lugar do Sobreiral, na freguesia de Landim, em Vila Nova de Famalicão.

Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, todos os roubos aconteceram no período da noite, em momentos em que não havia ninguém no interior das habitações. O último assalto aconteceu esta segunda-feira, tendo os autores do crime deixado um rasto de destruição.

Próximo desta habitação, no lugar de Campas, zona de fronteira entre Landim e Avidos, uma outra moradia, que estava para venda, ficou sem parte do recheio que tinha no seu interior. Os assaltantes conseguiram atuar durante a noite, sem que ninguém tivesse dado conta do que estava a acontecer.

Apesar de reportarem todos os casos às autoridades, e uma vez que os assaltantes parecem conhecer muito bem os hábitos de quem ali mora, os populares não se sentem seguros e exigem mais policiamento de proximidade, de forma a afastar os meliantes.

Contactado pela Cidade Hoje, o presidente da junta de freguesia confirmou a existência desta vaga de assaltos, acrescentado que a mesma terá começado “há cerca de três meses e também nas freguesias vizinhas”.

Most Popular Topics

Editor Picks