Partido Chega com núcleo em Famalicão

Na noite do próximo sábado, às 20 horas, é apresentado o grupo de coordenação do núcleo de militantes do Partido Chega em Famalicão. A apresentação acontece num restaurante de Riba de Ave e terá a presença de Luís Arezes, presidente da distrital.

Victor Meira de Sousa é o coordenador do núcleo famalicense do Chega. O líder concelhio e mais dois delegados estarão na II Convenção Nacional do partido, em Évora, nos dias 19 e 20 de setembro.

Nuno Sá diz que PS não precisa “de curandeiros políticos”

O vereador e deputado à Assembleia da República, Nuno Sá, disse, esta segunda-feira, em conferência de imprensa, que «Famalicão precisa do PS que não dá passos atrás, nem se perde com divisões, jogos de poder, quezílias e ambições pessoais».

Nuno Sá, assim como todos os vereadores e deputados municipais, é apoiante de Rui Faria, atual presidente da concelhia e candidato a um novo cargo na liderança do partido.

Porém, Nuno Sá nega que estas críticas se destinem a alguém em concreto, nomeadamente à candidatura adversária. «Servirão a quem enfiar a carapuça», frisou.

Rui Faria, presidente do partido e candidato a novo mandato foi mais direto nas críticas. «Descabido é que a candidatura que surge parte do meu secretariado», referindo- se a Eduardo Oliveira que continua a fazer parte do secretariado do partido. «Como é que alguém apresenta uma candidatura assente na solidariedade, na lealdade, no devolver o partido aos militantes, quando não consegue ser leal com a pessoa que o trouxe para o secretariado?», atira Rui Faria. «Onde está o projeto?» pergunta Rui Faria, dirigindo-se ao adversário.

Eduardo Oliveira disse que tinha o apoio dos militantes de base; Rui Faria, presidente da concelhia do PS, responde que militantes de base são todos, apenas alguns deles exercem cargos políticos.

Nesta conferência de imprensa, a candidatura de Rui Faria falou do trabalho de oposição à Câmara. O dirigente disse que quer os vereadores quer os deputados socialistas na Assembleia Municipal têm desempenhado um papel «de combate pela democracia e transparência». Fez acusações à Câmara de alegadas falhas nesta matéria.

Rui Faria diz que PS em Famalicão corre risco de divisão

Rui Faria, atual líder da concelhia do PS, teme uma desunião no PS, fruto de duas listas com estratégias distintas para ganhar a concelhia, nas eleições que estão marcadas para janeiro de 2020.

O atual líder da concelhia do PS apresentou esta segunda-feira, dia 25 de novembro, a sua recandidatura à liderança da concelhia do Partido Socialista.

Rui Faria garante que são duas visões diferentes para o partido: «aquela que quer desunir, afastar, discriminar, criticando tudo e todos, seja a concelhia ou a Federação Distrital, almejando o poder numa lógia destrutiva, eivada de vaidade e sofreguidão». Quanto à lista que encabeça, Rui Faria garante que é a que procura um «PS plural onde todos têm lugar; o PS capaz de reconhecer os seus erros e aprender com eles. O PS responsável que saiba, com humildade, corrigir e fazer melhor».

Nas eleições de janeiro (ainda não é conhecida a data, mas segundo os estatutos será na segunda quinzena) está em causa a liderança do partido para o biénio 2020/22, período que coincide com as eleições para as juntas e Câmara Municipal.

Most Popular Topics

Editor Picks