Hortas Urbanas criam hotéis para insetos

As hortas urbanas, instaladas no Parque da Devesa, estão a criar condições para acolher e proteger os insetos que ali habitam e que ajudam a controlar as pragas agrícolas e florestais, como é o caso das joaninhas, crisopas e vespas parasitas.

Para isso, estão a ser construídos vários abrigos, também apelidados de hotéis para insetos em áreas urbanas, que têm como objetivo criar condições para que os insetos se mantenham por perto exercendo o seu “trabalho” para o bom equilíbrio biológico.

Exposição “6 mil – das origens a Famalicão” até março

A exposição “6 mil – das origens a Famalicão”, que deveria encerrar no final de janeiro, foi prolongada até ao primeiro dia de março, por sugestão de várias instituições educativas, para que mais alunos a visitem no segundo trimestre letivo, no âmbito do serviço educativo do Parque da Devesa.

O coordenador científico da exposição, o historiador Armando Coelho, fala de uma «pequena amostra do grande potencial arqueológico do concelho e do muito que há a explorar».

A exposição, que foi inaugurada em julho de 2019, está patente na Casa do Território (Parque da Devesa). São mais de uma centena de objetos arqueológicos recolhidos no território de Famalicão e que servem para contar a história do concelho. Aborda os primeiros vestígios de expressão megalítica reveladores dos começos da agricultura e da introdução da metalurgia.

A mostra, que retrata a evolução do território desde os primeiros vestígios da presença humana até à Idade Média, propõe ao visitante uma leitura pedagógica e criativa da “primeira história” do território e da sua ocupação ao longo 6 mil anos.

Nesta exposição, organizada pela Câmara Municipal, no âmbito das comemorações do 34.º aniversário da elevação de Famalicão a cidade, é possível também conhecer os projetos, as intervenções e os sítios arqueológicos do concelho, bem como todo o trabalho que tem vindo a ser realizado pelo Gabinete de Arqueologia do Município. Dá também a possibilidade de mostrar alguns objetos que se encontram dispersos por alguns museus nacionais como, por exemplo, uma ara (altar romano) da Sociedade Martins Sarmento, uma lucerna (lamparina da época romana) patente no Museu Nacional de Arqueologia e uma lâmina de piras em ouro cedida pelo Museu do Ouro de Travassos.

Há, ainda, uma reconstrução digital do Castelo de Vermoim, que terá sido atacado por vikings, durante uma incursão à região Entre-Douro-e-Minho, em 1016.

Bombeiros chamados para incêndio em apartamento junto à CESPU

Os bombeiros voluntários de Famalicão e Famalicenses foram acionados, ao início da noite desta quarta-feira, para o combate às chamas num apartamento localizado ao lado da CESPU, nas proximidades do Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão.

Ao que conseguimos apurar, o foco do incêndio concentrou-se na cozinha daquele apartamento, no fogão e equipamento que assegura a exaustão do ar.

Na sequência desse incidente, uma mulher com cerca de 40 anos acabou por ficar com ferimentos nos dedos, acabando assistida no local pelos bombeiros e, momentos depois, transportada para a unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

A vítima não inspira cuidados de maior. Desconhece-se em que estado terá ficado o apartamento e se o mesmo continuou a ter condições de habitabilidade.

 

Visita-guiada a instalações artísticas na Devesa

O artista Edgar Massul faz, este sábado, a partir das 17 horas, uma visita-guiada às suas instalações patentes no Parque da Devesa.

No dia em que o parque comemora sete anos, esta é uma oportunidade para os visitantes percorrerem o espaço acompanhados pela arte de Edgar Massul, um artista plástico multidisciplinar.

A participação é livre e gratuita, sendo que o ponto de encontro está agendados para as 17 horas, na Casa do Território.

As obras patentes compõem uma intervenção do artista em residência durante o GERMINAL 2019 onde realizou processo de estudo para esculturas no Parque da Devesa, Land Art.

As obras de Massul são esculturas que se integram e desintegram na paisagem e estão divididas em 3 coleções: “Shadows”, “Sara’s Dreams” e “Untitled (Mabor Working Class Series)”.

Estas instalações serão objeto de registo fotográfico pela fotógrafa Inês D`Orey que, deste modo, preservará a memória desta intervenção artística de Edgar Massul.

A exposição estará patente no Parque da Devesa até segunda-feira, 30 de setembro.

Foto: Inês D`Orey

Most Popular Topics

Editor Picks