Famalicão: Marco Sousa lidera «ano zero» da AD Oliveirense 1952

Marco Sousa é o novo presidente da Associação Desportiva Oliveirense 1952, o novo clube depois da insolvência da Associação Desportiva Oliveirense e respetiva SAD. Há um novo capítulo para ser construído mas as cores do novo emblema são as mesmas, as instalações continuam a ser no Campo de Ribes e os associados são, em grande parte, os mesmos, apesar de terem que se filiar no novo clube.

O novo presidente alerta para os erros que foram cometidos e que não poderão voltar a acontecer. A equipa vai começar (a 8 de novembro) a competir na 1.ª divisão da Associação de Futebol de Braga, o escalão mais baixo, porque é o seu primeiro ano em competição. A médio prazo, num espaço temporal de dois a quatro anos, o objetivo é chegar ao pró-nacional. «Não será fácil», reconhece, porque terá pela frente divisões muito competitivas e projetos ambiciosos.

Mesmo sendo para a 1.ª divisão da Associação de Futebol de Braga, Marco Sousa admite que foi fácil construir um plantel de qualidade porque o nome “Oliveirense” continua a ser muito respeitado.

A nova direção está também empenhada em dar boas condições aos jogadores. Tem um projeto, de 70 mil euros, para ser implementado que passa também pela iluminação nova, balneários e outros melhoramentos.

As instituições também estão a apoiar o projeto: a Junta de Freguesia fez um protocolo a ceder as instalações e a Câmara está a ajudar na nova iluminação que permitirá reduzir a fatura da luz.

Marco Sousa deixa também uma palavra de apreço às empresas patrocinadoras e aos associados. «Tem-se visto uma onda de revitalização como nunca tinha visto», elogia.

Assim se constrói o futuro de um clube. Mas ainda há outras formas: «temos um bar para explorar, quem estiver interessado que entre em contacto connosco. Os sócios que venham e nos ajudem. Muita coisa já tem mudado, mas só com a ajuda deles será possível», desafia o novo presidente.

Famalicão: A “obra do século” nasce em Oliveira Santa Maria

As obras de reabilitação e ampliação da zona envolvente ao Mosteiro de Oliveira Santa Maria, que estão a decorrer e que vão tornar esta área num cartão de visita obrigatória da freguesia, são vistas pelo autarca local como «a obra do século».

Delfim Machado Abreu deu nota da sua satisfação a Paulo Cunha, durante a visita de trabalho que o autarca efetuou esta quarta-feira à freguesia. Acompanhados pelo vereador das freguesias, Mário Passos, os autarcas percorreram várias zonas da localidade, falaram sobre novos investimentos e projetaram o futuro.

Depois de um investimento de 23 mil euros para as obras na zona envolvente à igreja paroquial, o presidente da Câmara levou a garantia de um novo investimento municipal de quase 150 mil euros para a segunda fase. O anúncio deixou o Delfim Abreu «muito satisfeito». Os trabalhos incidem essencialmente na pavimentação do espaço com granito amarelo, na plantação de dezena e meia de árvores, entre outros melhoramentos.

Paulo Cunha elogiou a obra «que, para além da sua utilidade, corresponde a uma ansiedade da população que vê assim esta importante intervenção concretizada».

Para além desta obra, o município investiu no último ano cerca de 40 mil euros na rede viária com destaque para as obras de pavimentação na rua Vista Alegre, Avenida do Mosteiro e Cruz da Estrada.

Vítor Carvalho mantém-se como coordenador da formação da AD Oliveirense

Pelo terceiro ano consecutivo, Vítor Carvalho é o coordenador da formação da Associação Desportiva Oliveirense

Depois de ter representado, como jogador e treinador, clubes como a AD Oliveirense, FC Famalicão, Vitória SC, CRP Delães e Ruivanense AC, onde também assumiu a função de coordenador, o treinador continua a ser aposta da AD Oliveirense para coordenadar todo o departamento de formação.

Com o Curso 1 nível UEFA C, Curso E.learning de Scouting e Curso AF Braga das lei jogo, Vítor Carvalho é, segundo o clube, «um homem identificado com a formação».

AD Oliveirense aposta na formação

Apesar dos momentos difíceis que atravessa, a AD Oliveirense não deixa de apostar na formação. E se os resultados não são, a curto prazo, o mais importante, a verdade é que clube tem sabido aliar a formação de jogadores com os desempenhos desportivos.

Como prova disso, os juvenis subiram à 1.ª Divisão da AF Braga e os juniores para a Divisão de Honra. Também os infantis realizaram uma boa época pois, aquando do cancelamento do campeonato, em virtude do covid-19, ocupavam o primeiro lugar da sua série.

É, assim, motivada, que toda a estrutura desportiva do emblema de Oliveira Santa Maria já pensa na próxima época desportiva, assumindo o propósito de tornar a formação do clube numa referência regional. Um trabalho que carece, também, dos devidos apoios para que o projeto vingue e dê uma nova alma ao emblema oliveirense.

Portugal, Croácia, Turquia e Espanha reuniram-se para avançar na instalação de supercomputador em Oliveira Sta Maria

O ministro português da Ciência, Manuel Heitor, disse à agência Lusa que “a primeira reunião do consórcio visou reforçar o plano de intervenção e tentar acelerar a instalação das máquinas – uma em Espanha, outra em Portugal – e reforçar a ideia da supercomputação verde”.

A instalação do segundo supercomputador em Vila Nova de Famalicão, onde já funciona a primeira máquina do género em Portugal, está prevista para o final de 2020.

O primeiro, conhecido como BOB em honra do seu criador, o investigador Robert Peterson, da universidade do Texas, nos EUA, está instalado na freguesia de Riba de Ave em fase de testes e deverá abrir ao público em janeiro do próximo ano.

Manuel Heitor acrescentou que os membros do consórcio, que se reuniram hoje em Espanha, querem aproveitar a parceria no âmbito do European High Performance Computing para “maximizar a produção de tecnologia europeia” em vez de recorrer a compra de tecnologia americana ou chinesa.

O objetivo da parceria é a instalação de um supercomputador em Barcelona e outro no centro de supercomputação avançada do Minho, em Oliveira Sta Maria.

Juntar-se-ão à rede de supercomputação europeia com o BOB, já um exemplo da supercomputação verde que pode ser útil para a busca da cura do cancro, identificação precoce de tumores, previsão do clima e alterações climáticas, ondas de calor ou de frio.

Famalicão: Portugal vai receber segundo super computador e vai ficar em Oliveira Sta Maria

O ministro da Ciência anunciou um segundo super computador para Portugal “já em 2020”, que ficará instalado numa freguesia de Vila Nova de Famalicão, onde está o BOB, a primeira máquina do género em Portugal.

O supercomputador pode ser útil para a busca da cura do cancro, identificação precoce de tumores, previsão do clima e alterações climáticas, ondas de calor ou de frio, entre outras funcionalidades.

Este equipamento vai ficar instalado no centro da REN, que funciona em colaboração com a EDP, na freguesia famalicense de Oliveira Santa Maria.

Most Popular Topics

Editor Picks