Famalicão: Landim ambiciona casa mortuária e novo parque de lazer

Quase concluída a primeira fase de requalificação do Largo dr. Fonseca Monteiro, no centro da freguesia de Landim, haverá uma segunda fase, ainda sem data para arranque, que implica a construção de um pequeno edifício com bar e biblioteca. Segundo o autarca de Landim, a freguesia «ganha um novo e aprazível espaço de lazer que até aqui Landim não tinha».

O espaço foi um dos vários locais visitados pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, na deslocação que efetuou à freguesia na passada quinta-feira, dia 24. O presidente da Junta aproveitou para chamar a atenção para a falta de uma Casa Mortuária e para a necessidade de um novo parque de lazer.

Em relação ao Largo das Tílias, o presidente da Câmara frisou que «este é um espaço muito frequentado pelos landinenses e um dos mais centrais da freguesia; daí a importância desta obra que vem trazer melhores condições para todos aqueles que utilizam este largo como ponto de convívio e lazer».

A obra contou com um apoio municipal na ordem dos 50 mil euros e vem dar uma nova vida a este espaço central da freguesia que serve de apoio para a realização de vários eventos, como é o caso da festa anual da Senhora das Candeias.

Paulo Cunha, que visitou a freguesia de Landim acompanhado pelo vereador das Freguesias, Mário Passos, e pelo presidente de Junta, foi também ver o trabalho de requalificação efetuado na rede viária, nomeadamente na Rua de Sande, na Travessa da Tapada, na Rua Joaquim Teixeira de Melo e na Avenida do Pinheiro Torto.

Famalicão: Quase um milhão de euros para recuperar Escola Básica de Avidos

A Câmara Municipal de Famalicão aprovou, na última reunião do executivo, na passada quinta-feira, o concurso de lançamento da recuperação e ampliação da Escola Básica de Avidos.

Além das obras de melhoramento, será construído um novo edifício para responder às necessidades do ensino básico da União de Freguesias de Avidos e Lagoa.

A obra tem uma estimativa de 918.500 euros, com prazo de execução de 365 dias.

Famalicão: Arrancaram as obras na Central de Camionagem

Já arrancaram as obras de requalificação na Estação Rodoviária de Passageiros (Central de Camionagem).

A empreitada foi entregue à empresa Costeira – Engenharia e Construção pelo valor de três milhões de euros, sendo que 2,5 milhões foram cofinanciados pelo Norte2020, através do Fundo Regional de Desenvolvimento Regional.

A obra deverá estar concluída no prazo de um ano e implica algumas alterações no funcionamento do espaço.

Durante o decorrer das obras, os autocarros e o cais de embarque vão manter-se, mas o interior do edifício estará interdito e as bilheteiras vão ser transferidas para o exterior, para instalações provisórias junto aos autocarros.

Entre as melhorias destaca-se uma nova cobertura no cais e frente sul da estrutura; remodelação das áreas de comércio e serviços, com a reformulação de montras e libertação da área de acesso ao cais de embarque; colocação de apoios para o estacionamento de bicicletas e de novo mobiliário, e conceção de sinalética, de acordo com a nova imagem concebida para a central e reorganização das bilheteiras, concentrando a venda de todas as viagens no mesmo balcão.

O objetivo das obras é criar condições de conforto e comodidade promotoras do uso do transporte público.

«Queremos cada vez mais pessoas a utilizar os transportes públicos e esta intervenção é decisiva para que isso aconteça», referiu o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Famalicão: Obras no adro da igreja de Lemenhe

O adro da igreja de Lemenhe vai sofrer obras de requalificação. Com um prazo de execução de seis meses, está previsto movimentação de terras, construção de muros, pavimentação, escadas revestidas a lajeado de granito, tratamento de espaços verdes.

Para ajudar a custear as obras, o município de Famalicão vai comparticipar com 76.500 euros. O apoio foi aprovado na reunião de Câmara desta quinta-feira.

Famalicão: Mais saneamento nos vales do Rio Este e Rio Pelhe

Esta quinta-feira foram aprovados, em reunião de Câmara, dois concursos para empreitadas de drenagem de águas residuais.

Uma obra corresponde a sete quilómetros de rede no Vale do Pelhe, nomeadamente nas freguesias S. Cosme, Telhado e Portela. O orçamento é de 494.352 mil euros, com prazo de execução de 260 dias. Permitirá abrir 115 ramais domiciliários, melhorando a qualidade de vida das populações.

A outra empreitada diz respeito a 8 km de rede nas freguesias de Mouquim, Lemenhe, Jesufrei, Gondifelos, Cavalões, Outiz e Louro. Estão previstos 240 ligações a residências. A obra tem um prazo previsto de 260 dias, depois de adjudicada a obra. O custo estimado cifra-se em 544 mil euros.

Há algumas semanas o município aprovou outras empreitadas de drenagem de águas e o presidente da Câmara Municipal de Famalicão promete lançar mais concursos. Paulo Cunha realça a importância das obras para a qualidade de vida das populações e para melhorar o ambiente.

Quer fazer pequenas obras? O Governo comparticipa até 7500 euros

A bem da melhoria da eficiência energética, o governo vai comparticipar pequenas obras – como a mudança de janelas ou a colocação de painéis fotovoltaicos – em casas de construção anterior a 2006. As obras, ou a compra de material, podem ser comparticipadas a 70 por cento, até 7500 euros.

Esta medida insere-se no apoio à eficiência energética das casas e fomentar a atividade económica. O programa de 4,5 milhões de euros entra em vigor a partir do dia 7 de setembro.

A partir desta quarta-feira, a informação começa a estar disponível na página do Fundo Ambiental.

O que pode ser comparticipado?

– Janelas eficientes de classe igual ou superior a A+

– Isolamento térmico, desde que efetuado com eco-materiais ou materiais reciclados

– Sistemas de aquecimento e/ou arrefecimento ambiente e de águas quentes sanitárias (AQS) que recorram a energia de fontes renováveis de classe A+ ou superior

– Bomba de calor sistema solar térmico, caldeiras e recuperadores a biomassa com elevada eficiência

– Caldeiras elétricas quando acopladas a outros sistemas que recorram a energias renováveis (bombas de calor e painéis solares)

– Instalação de painéis fotovoltaicos e outros equipamentos de produção de energia renovável para auto-consumo

– Intervenções que visem a eficiência hídrica: substituição de equipamentos por equipamentos mais eficientes – torneiras das casas-de-banho e do lava-loiças, chuveiros, autoclismos, autoclismos com dupla entrada de água (potável e não potável), fluxómetros, redutores de pressão e reguladores de caudal

Most Popular Topics

Editor Picks