Famalicão: Início das obras na Quinta e Casa dos Caseiros de Camilo Castelo Branco

A Câmara Municipal de Famalicão deu início, na passada segunda-feira, às obras de renovação e restauro da Quinta e da Casa dos Caseiros da Casa de Camilo Castelo Branco.

Com um investimento de cerca de 320 mil euros e o prazo de execução de um ano, a empreitada insere-se na candidatura «Rota Camilo: Valorização da Casa-Museu e Cemitério da Lapa», recentemente aprovada no âmbito do programa operacional Norte 2020, sendo cofinanciada através Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

«Trata-se de uma obra de enorme relevância e que espelha bem a aposta cultural do município na preservação e valorização do património camiliano. Um trabalho incessante e apaixonante que tem atravessado gerações, motivado pelo valor da obra de Camilo Castelo Branco e pelo interesse que sempre suscitou a sua atribulada existência», afirma o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

A obra diz respeito à remodelação, ampliação e arranjos exteriores da Casa de Camilo. «É uma obra de arquitetura que vai valorizar ainda mais este lugar da vida e da ficção camilianas. O restauro da casa dos caseiros e a renovação da quinta permitirá, não só oferecer aos visitantes um cenário tão semelhante quanto o que Camilo experienciou, mas permitir que com essas novas infraestruturas possamos diversificar ainda mais a oferta pedagógica, cultural e científica da instituição para o melhor conhecimento da vida e da produção literária do escritor, além do período histórico em que viveu», sublinha Paulo Cunha.

Recorde-se que Camilo Castelo Branco residiu na casa de Seide cerca de 26 anos, entre o inverno de 1863 e a data da sua morte, a 1 de junho de 1890, e aqui grande parte da sua obra literária.

Para além deste projeto agora em curso, a candidatura apresentada em conjunto com a Venerável Irmandade da Lapa, no Porto, prevê ainda a qualificação do Cemitério da Lapa, um monumento de interesse público, onde se encontra o jazigo que guarda os restos mortais de Camilo Castelo Branco. A Câmara Municipal viu ainda aprovada ao Norte 2020 a candidatura «Rota Camilo: Qualificação e Divulgação Territorial». No conjunto, a autarquia famalicense irá beneficiar de um investimento de mais de 700 mil euros, contando com uma comparticipação FEDER de cerca de 500 mil euros. Os projetos envolvem, para além do município, um conjunto de instituições parceiras, com ligações importantes à memória camiliana.

 

Famalicão: Mercado Municipal deve abrir em finais de março

A Câmara Municipal estima que o novo Mercado Municipal, espaço que está a ser intervencionado com obras de reabilitação, possa abrir em finais de março ou nos primeiros dias de abril.

O anúncio foi pelo presidente do Município, Paulo Cunha, à margem da reunião do executivo desta quinta-feira. O atraso de abertura, de cerca de dois meses, deve-se à situação de pandemia que condicionou o andamento das obras, uma vez que os próprios trabalhadores se viram limitados no seu trabalho diário, particularmente no primeiro confinamento de 2020.

As obras do edifício estão terminadas; decorre atualmente as adaptações nos diferentes espaços comerciais para os adequar aos respetivos negócios.

Há três espaços que ficaram por preencher no concurso de ocupação do mercado e houve menos concorrentes que o expectável para os restantes lugares.

Paulo Cunha atribui a causa à incerteza quanto ao futuro económico devido à covid-19.

Famalicão: Salão paroquial de Joane transformado em espaço multiusos

A revitalização do salão paroquial de Joane é uma ambição da vila, colocando o espaço ao serviço da comunidade. Este propósito é partilhado por todos os responsáveis, conforme ficou latente após a visita do presidente da Câmara Municipal, esta segunda-feira. O desenvolvimento do projeto deverá arrancar em breve.

Nesta visita à vila joanense, Paulo Cunha, que esteve acompanhado pelo autarca local, António Oliveira, e pelo vereador das freguesias, Mário Passos, inteirou-se do últimos investimentos nas acessibilidades, com destaque para a pavimentação da Rua do Romão, que contou com um apoio municipal de 45 mil euros, para a requalificação da rotunda de acesso à VIM, que contou com um apoio de 6 mil euros e para a requalificação da Avenida Padre Silva Rego, cuja obra deverá arrancar em breve.

O complexo habitacional Habitorre e o recinto do Grupo Desportivo de Joane que, recentemente, contou com um apoio da autarquia para a substituição do sistema de iluminação, tendo recebido ainda um apoio municipal de 11 mil euros para a construção de um gabinete de apoio médico, entre outros trabalhos, foram outros espaços visitados pela comitiva que voltou a abordar a revitalização dos terrenos da antiga estamparia Rafael.

Recorde-se, que na última visita a Joane, em junho do ano passado, Paulo Cunha tinha já anunciado a revitalização deste espaço que, futuramente, vai dar lugar a uma nova área central na vila destinada à habitação, comércio e serviços, com um novo espaço verde para utilização recreativa, desportiva e de lazer com ligação ao Parque da Ribeira. O edil avançou, na ocasião, com a possibilidade de o espaço vir a receber também um equipamento de saúde pública.

Famalicão: Centro urbano vai ter sistema inovador de drenagem da água

No âmbito das obras de reabilitação do centro urbano de Famalicão está a ser criado um sistema inovador de drenagens sustentáveis, que consiste na absorção natural das águas de forma a não sobrecarregar os coletores e a fazer com que a água seja absorvida em cada espaço verde. Trata-se de uma medida de sustentabilidade ambiental que é, segundo o Município, uma das principais apostas das obras do centro da cidade, que arrancaram em outubro passado e que implicam um investimento de mais de oito milhões de euros.

O denominado Plano de Implementação do Sistema Urbano de Drenagem Sustentável (SUDS) vai abranger a área da Praça D. Maria II e da Praça Mouzinho de Albuquerque. Nestas áreas, as caldeiras (base) das árvores serão rebaixadas para permitir o acolhimento das águas da chuva; por outro lado, serão aumentadas as áreas verdes e canteiros para maximizar o aproveitamento das águas.

Desta forma, será realizada uma divisão da área a intervir em bacias de escoamento que vão encaminhar as águas para as zonas de absorção natural fazendo um percurso de canteiro em canteiro, de zona verde em zona verde, até, chegar aos coletores. Será ainda feito o encaminhamento das águas de bacia em bacia até chegar à zona das charcas na Praça Mouzinho Albuquerque o ponto final de recolha e de encaminhamento para o Rio Pelhe a jusante.

O Plano de Implementação do SUDS prevê, ainda, a plantação de espécies de vegetação autóctones privilegiando ambientes diversos.

A implementação do SUDS enquadra-se na estratégia para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), nomeadamente para a implementação de políticas e planos integrados para eficiência dos recursos no que diz respeito à água potável e saneamento, à criação de cidades e comunidades sustentáveis, e à ação climática.

Famalicão: Obras na sede da Junta de Freguesia de Vale S. Martinho

A Câmara Municipal de Famalicão aprovou, na última reunião, um apoio de 42 mil euros para a primeira fase das obras de requalificação da sede da Junta de Freguesia de Vale S. Martinho.

Esta remodelação corresponde à demolição de divisórias interiores, construção de novas, execução de tetos, pavimentos e colocação de instalação elétrica, climatização, colocação de loiças sanitárias, portas interiores, caixilharias e balcão de atendimento.

Most Popular Topics

Editor Picks