Famalicão lidera nas exportações a Norte

Os dados relativos ao terceiro trimestre de 2020 (julho, agosto e setembro) colocam Famalicão como primeiro nas exportações, relativamente à região Norte. Foi enviado para o exterior valor no montante de 465 milhões de euros.

Os dados foram revelados pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional Norte (CCDRN). O mesmo relatório revela que o terceiro trimestre de 2020 foi melhor do que o segundo do mesmo ano, quando foram exportados 310 milhões de euros.

Por comparação com o ano anterior, o terceiro trimestre teve uma quebra associada à pandemia na ordem dos 8,1%. Se forem analisados os valores do segundo trimestre e comparados com os do ano anterior, a quebra foi de 41,4%.

No mês de abril, o concelho exportou 70 milhões, em maio 102, subindo em junho para 138, aumentando para 169 em julho; em agosto voltou a cair para os 126 milhões, mas subiu em setembro e outubro, com 170 e 191 milhões de euros de exportações.

No segundo lugar do ranking das exportações surge o concelho de Braga, que terminou o terceiro trimestre de 2020 com 408 milhões de euros; em terceiro surge Maia, com 380 milhões; depois Guimarães, com 348 milhões, e Gaia, com 341 milhões.

Turismo do Porto e Norte aprova sete milhões para incrementar o setor

A entidade Regional de Turismo do Porto e Norte aprovou para 2021 um orçamento de sete milhões para animar o setor.

A verba total inclui montantes transferidos do Orçamento de Estado e uma parte significativa que chega através dos Fundos Europeus.

Os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a atividade turística indicam que o destino Porto e Norte liderou o ranking nacional de dormidas de residentes no passado mês de outubro.

Apesar dos números refletirem uma queda brutal em relação ao período homólogo de 2019, embora menor do que seria expectável dada a pandemia, as mais de 402 mil dormidas refletem uma clara tendência de preferência dos turistas nacionais pela região. No número total de dormidas, o destino ficou apenas atrás do Algarve e ex-áqueo no segundo lugar com a região de Lisboa.

Recorde-se que em junho, o Turismo do Porto e Norte lançou uma forte campanha de promoção e divulgação do destino, para convidar o mercado nacional a partir à descoberta da região.

Covid-19: Novos casos diminuem no distrito de Braga

Segundo um relatório da Administração Regional de Saúde-Norte, a que a Lusa teve acesso, o distrito de Braga, a par de Bragança, Porto, Aveiro e Viana do Castelo, teve um decréscimo de novos casos de infeção entre a terceira e a última semana de novembro.

Em Braga, o decréscimo fixa-se nos 29% (passando de 8.033 novos casos para 5.703) e apenas o concelho de Esposende contraria esta tendência, assinalando um aumento de 29% de novos casos de infeção pela covid-19.

A Norte, Freixo de Espada à Cinta continua a ser o concelho que apresenta a maior incidência, 3.365 casos por 100 mil habitantes a cada 14 dias. A este concelho sucedem-se Chaves, Guimarães, Póvoa de Lanhoso, Vila Nova de Famalicão, Trofa e Mondim de Basto, cuja incidência é superior a 1.900 novos casos por 100 mil habitantes a cada 14 dias, sendo que a média da região se fixa atualmente nos 1.227,8 casos.

Covid-19: Há 58 surtos em escolas do Norte do país

Esta sexta-feira, há 477 surtos de covid-19 nas escolas de todo o país, sendo que 58 são no Norte, revelou o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, na habitual conferência de imprensa da Direção-Geral da Saúde.

Para o governante, as escolas estão a funcionar bem e os focos detetados não são considerados de grande intensidade. «As autoridades de saúde fazem e muito bem o seu trabalho de segregação daquilo que são os casos positivos, os contatos de alto risco, os contactos de baixo risco, sendo que uma turma ou uma zona da escola ou a escola só fechará caso a autoridade de saúde assim entenda», responde António Lacerda Sales.

Por estas razões, considera que não é necessário mudar o calendário escolar, isto quando se falava em antecipar as férias de Natal.

 

 

Covid-19: A grande maioria dos concelhos de risco elevado estão a Norte

Se o país for dividido em escalões de risco de Covid-19, cerca de 80 por cento dos concelhos com restrições mais apertadas estarão localizados a Norte, entre os quais está VN Famalicão que no último relatório divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) com referência aos municípios, registou 1349 casos de infeção por 100 mil habitantes.

No escalão das restrições mais apertadas podem entrar os concelhos com mais de 960 casos por 100 mil habitantes – é o caso de VN Famalicão; no escalão intermédio entre 480 e 960; e no escalão mais baixo os municípios cuja incidência se cifre entre 240 e 480 casos.

Recorde-se que esta terça-feira, depois de uma reunião com o Presidente da República, José Luís Ferreira, deputado do PEV, revelou que o Governo estuda a possibilidade de dividir o país em três escalões, adaptando as medidas de controlo consoante o risco de contágio pelo novo coronavírus.

Pelos dados divulgados pela DGS, quase 80% dos concelhos na lista daqueles que poderão ser sujeitos a restrições mais apertadas são no Norte: concretamente, 22 de 28 concelhos.

A região Norte tem vindo a reportar a maioria dos novos casos de Covid-19. No último boletim da DGS, foram detetados 2.941 novos casos, contra 812 novos casos em Lisboa e Vale do Tejo, a segunda região mais afetada.

Most Popular Topics

Editor Picks