Criança de cinco anos tenta disparar arma

A GNR de Braga apreendeu, esta terça-feira, como medida cautelar, uma arma de fogo que estava acessível a dois menores, de 5 e 7 anos, residentes em Crespos, naquele concelho.

Na sequência de uma denúncia de que os menores tinham livre acesso a uma arma de fogo, a GNR apurou que a mesma estava em lugar de fácil acesso às crianças e que o menor de cinco anos terá tentado dispará-la.

Foi feita uma busca domiciliária, que resultou na apreensão de uma arma de alarme e um carregador com cinco munições.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Braga e à Comissão Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Braga.

A GNR relembra que para possuir uma arma de fogo legalmente, é necessário respeitar algumas normas de segurança no domicílio, nomeadamente: o portador que se separe fisicamente da arma de fogo deve colocá-la no interior de um cofre ou armário de segurança não portáteis, sempre que exigido; nos casos não abrangidos pelo descrito anteriormente, deve o portador retirar à arma peça que impossibilite o seu disparo, que deve ser guardada separadamente, ou colocar um cadeado ou outro mecanismo que impossibilitem o seu uso, ou fixá-la a parede ou a outro objeto fixo por forma que não seja possível a sua utilização.

Homem detido quando ameaçava de morte mulher e três filhos menores

A GNR de Famalicão deteve, esta sexta-feira, um homem, de 39 anos, pelo crime de violência doméstica.

No decurso de uma denúncia de desacatos entre um casal numa residência, os militares deslocaram-se ao local e confirmaram que o agressor tentava arrombar a porta do quarto onde se encontrava a sua esposa, de 34 anos, e os três filhos com idades compreendidas entre os 4 e os 9 anos.

Enquanto tentava entrar no quarto, o homem ameaçava de morte as vítimas. Foi detido pela GNR em flagrante e foi presente ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão, para aplicação de medidas de coação.

Notícia sobre tentativa de rapto em Famalicão “não passa de um boato alimentado nas redes sociais”

Nas últimas horas a Cidade Hoje tem recebido algumas mensagens de pais a questionar a veracidade de notícias sobre uma alegada tentativa de rapto de uma menor, no centro de Vila Nova de Famalicão.

Uma vez que esta é uma situação que tem gerado algum alarme social, uma fonte policial, questionada pela Cidade Hoje, garantiu que essas informações “não passam de boatos construídos e alimentados nas redes sociais”.

Mais adianta que em momento algum as autoridades foram chamadas a intervir na situação que surge descrita nas redes sociais, partilhada em grande parte através de um portal de notícias.

A partilha de alegadas tentativas de rapto é um fenómeno que se tem verificado em vários pontos do país. Em Mirandela, por exemplo, o relato falso de uma situação idêntica, obrigou a uma tomada de posição pública por parte da PSP de forma a tranquilizar a população.

 

 

Most Popular Topics

Editor Picks