Trabalhadores da Continental contra corte de salários

Cerca de 150 trabalhadores da Continental Mabor concentraram-se esta segunda-feira à porta da empresa em protesto contra a redução salarial de 24% aos trabalhadores do turno de fim de semana. Em causa estão 675 colaboradores, de um total de 2.300 funcionários da empresa.

Em declarações ao Jornal de Negócios, fonte da Continental Mabor diz que este é um processo que não está fechado, mostrando-se surpreendido com a manifestação de trabalhadores. Afirma que, neste momento, este turno não está a funcionar por falta de encomendas e que a empresa está a negociar com a Comissão de Trabalhadores uma nova organização destes turnos.

Os trabalhadores estão contra os cortes nos salários que dizem ter sido adquiridos por estes trabalhadores ao longo de 20 anos e «que lutaram junto com a empresa pelos avultados lucros de milhões ao longo dos anos». No caso dos trabalhadores de fim de semana, sublinham que se privaram «da sua vida familiar e social em prol da empresa e, como contrapartida de um salário justo que agora ameaça ser retirado».

Recorde-se que a Continental esteve fechada três semanas, entre 22 de março e 13 de abril. Reabriu a 14 de abril, de forma condicionada por causa do covid-19, com rotação de equipas. O pessoal afeto à produção está dividido por três turnos diários, mantendo-se suspensa a laboração de fim de semana.

Continental entrega bens de primeira necessidade para ajudar famílias

Além das medidas para garantir a segurança e a saúde dos seus colaboradores em período de pandemia, as empresas do Grupo Continental de Lousado ajudaram instituições, no âmbito da sua responsabilidade social.

Neste contexto, a Continental doou 25 mil garrafas de água à Associação Casa – Centro de Apoio aos Sem-Abrigo, para as duas delegações: Porto e Lisboa. Irá suprimir as necessidades durante um mês, uma vez que distribui cerca de 900 garrafas de água por dia.

A Continental destaca o trabalho que a Casa tem vindo a desenvolver junto de uma franja da população com necessidades muito especiais e que se agudizaram no decorrer desta pandemia.

As ajudas do Grupo Continental contemplaram ainda o Banco Alimentar Contra a Fome, com paletes de produtos alimentares. Os bens foram para as delegações de Braga e Porto que os fizeram distribuir por quem mais precisa e foram muitos os casos novos que surgiram neste tempo de pandemia pelo covid-19.

A ajuda foi prestada também a alguns centros sociais dos concelhos de Famalicão, Santo Tirso e Braga, com entrega de produtos de primeira necessidade.

Computadores a escolas do concelho de V.N. de Famalicão

A Continental em Lousado doou 13 computadores a dois agrupamentos escolares, aderindo a campanhas lançadas por escolas no concelho, no sentido de resolver, em parte, o problema das carências de equipamentos informáticos, especialmente para os alunos que foram sinalizados como estando privados desses equipamentos em casa.

As doações não se ficaram por aqui. Foram distribuídas mais de 3000 viseiras de proteção individual a vários parceiros que estiveram e continuam a estar na linha da frente no combate à COVID-19 – rede Conti 360º, rede ContiService e motoristas das frotas parceiras ou a ACeS Baixo Vouga – USF Flor de Sal. De referir ainda a colaboração com a Câmara Municipal e Bombeiros Voluntários Famalicenses, entre outras instituições que receberam apoios monetários ou em espécie.

Em 2019, as empresas da Continental em Lousado, no âmbito da responsabilidade social apoiaram diversas instituições, com mais de 110 mil euros.

Calendário Mabor presta homenagem ao automobilismo

A Continental lançou uma edição limitada do Calendário Mabor. São duas mil unidades deste calendário, que é já uma referência para muitos portugueses.

Para o diretor de Marketing da Continental em Portugal, Nuno Rebelo, «este calendário é uma homenagem aos automóveis que eternizaram o nome de Portugal na história do automobilismo mundial. Eles, tal como a Mabor, materializam o espírito explorador, inventivo e desassossegado que habita em cada português. Eles são os clássicos de todos nós».

Em doze meses, o calendário presta homenagem ao automobilismo nacional. Janeiro e fevereiro são dedicados ao mítico Alba; março e abril ao primeiro carro português construído em série – o Sado 550; em maio e junho, o UMM assume o protagonismo bem como a prestação do piloto português José Megre no Paris-Argel-Dakar; nos meses de julho e agosto, as cinco unidades revolucionárias do AGB IPA são as protagonistas; em setembro e outubro é o MG Canelas. O sucesso do todo o terreno Portaro encerra o ano de 2020 numa edição limitada do calendário Mabor.

A marca Mabor nasce em 1938, em Lousado, pioneira no fabrico de pneumáticos em Portugal. Em 1946, inaugura a sua primeira fábrica e no próprio dia da inauguração apresenta o primeiro pneu da marca. Este foi também primeiro pneu produzido em Portugal. É durante a década de 50 que inicia a sua aposta no mundo dos desportos automóveis, tornando-se uma importante referência nacional nesta área. A Mabor destaca-se nas competições automóveis, não só a nível técnico, mas também enquanto marca, publicitando os maiores circuitos e competições da altura. A partir daqui passa a ser impossível dissociar a marca do meio automobilístico português. Os maiores pilotos da altura, como era o caso de Vasco Sameiro, corriam com pneus Mabor. Em 1990, a Continental AG adquire participação maioritária na Mabor. A Continental Pneus Portugal (CPP) é, desde 2013, líder de mercado no segmento de pneus ligeiros. Responsável pela comercialização e distribuição de 11 marcas do universo Continental, nos segmentos ligeiros, pesados e industriais, – das quais se destacam a Continental, a Uniroyal, a Mabor e a Barum.

Most Popular Topics

Editor Picks