Começou o julgamento de 16 arguidos acusados de tráfico de droga

Já começou, no Tribunal de Braga, mais concretamente no pavilhão desportivo de Maximinos, o julgamento de 16 arguidos, acusados de tráfico de droga em diversos concelhos, incluindo Famalicão.

Estão acusados de vender canábis, heroína, cocaína e MDMA, para consumo ou revenda.

Sete dos arguidos estavam em prisão preventiva, mas passaram para domiciliária com pulseira eletrónica, por causa da pandemia.

Um dos principais arguidos vendeu drogas entre 2014 e 2018, fazendo-o a partir de telefonemas e das redes sociais, usando linguagem codificada, com expressões como “tomar café, beber um fino, traz tabaco e arranja peixe”.

A GNR apreendeu quatro carros, telemóveis, tablets, computadores, drogas, dinheiro, munições e artefactos ligados ao tráfico. O MP quer que sejam declarados como perdidos a favor do Estado.

O processo conta com 161 testemunhas: 31 militares da GNR e 130 consumidores.

Suspeitos de tráfico de droga julgados em pavilhão desportivo

O julgamento de 16 arguidos e 161 testemunhas, acusados de tráfico de droga, em vários concelhos do norte do país, incluindo Vila Nova de Famalicão, mas também Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Amares, Braga, Vila Verde, Póvoa de Lanhoso, Terras do Bouro e Porto, começa quarta-feira, dia 3 de junho, num pavilhão gimnodesportivo de Maximinos, em Braga, para que existam as devidas condições de distanciamento.

Sete dos arguidos estão em prisão preventiva desde finais de maio de 2019. Estão acusados de se dedicarem, de forma isolada e/ou conjuntamente, à aquisição e venda de canábis, heroína, cocaína e MDMA.

Além da detenção, a operação resultou na apreensão de 2.654 doses de haxixe, 100 de cocaína e 4.647 euros.

O Ministério Público arrolou um total de 161 testemunhas, entre militares da GNR e consumidores que terão comprado droga aos arguidos.

Pedome: 6 anos de prisão para homem que tentou matar proprietária de café

Foi condenado a uma pena de seis anos e cinco meses de prisão, o homem que agrediu violentamente a proprietária de um café, na freguesia de Pedome, depois desta ter rejeitado manter uma relação amorosa com ele, a 3 de julho de 2018.

A sentença, proferida pelo juiz do Tribunal de Guimarães, foi conhecida esta tarde e revelada momentos depois pela CMTV.

O indivíduo foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado na forma tentada e furto qualificado.

Ficou cega e com problemas de audição mulher que foi atacada por funcionário em Pedome

Most Popular Topics

Editor Picks