“Projeto Gritar” é um «bom exemplo» contra a violência

O “Projeto Gritar: Associação para a Erradicação da Violência”, que nasceu há menos de um ano em Joane, recebeu, na manhã desta sexta-feira, a visita de Jorge Paulo Oliveira, deputado à Assembleia da República.

Margarida Oliveira da Rocha, presidente da associação, e Susana Vilarinho, coordenadora geral, deram a conhecer a associação que tem como principal objetivo lutar e travar a violência contra as mulheres, crianças e idosos. Como afirmam, pretendem «travar a violência do zero aos cem».

A associação integra a Comissão Social Inter Freguesia de Joane, Vermoim, Pousada de Saramagos e Mogege e está apostada no combate à erradicação da violência pelo desenvolvimento de ações preventivas e formativas para uma educação de não violência, dirigida aos mais variados atores.

Segundo o deputado social democrata «apesar de todos os progressos alcançados no combate às mais variadas formas de violência, há ainda um longo caminho a percorrer, um caminho que exige o envolvimento de todos e do poder político». Por isso, assinalou, «é uma enorme satisfação verificar que em Vila Nova de Famalicão há cidadãos mobilizados para esta causa, que se associam, que se organizam em rede, que querem ser uma força no combate a este flagelo e uma força na mudança cultural que se impõe. O Projeto Gritar é um bom exemplo dessa determinação, entre outros, cujo trabalho no terreno deve ser valorizado e acarinhado».

Joane: Mulher enfrenta ladrões e resiste a roubo por esticão na via pública

Uma mulher, com cerca de 45 anos, ficou ferida depois de ter enfrentado uma dupla de homens que lhe tentou roubar a carteira, pelo método de esticão, na tarde desta sexta-feira, em plena via pública, na vila de Joane.

A vítima, residente em Pousada de Saramagos, foi abordada pela dupla, por volta das 16:30, na Rua do Relógio.

A mulher resistiu à força dos larápios e não permitiu que estes lhe levassem os pertences.

Depois da tentativa de roubo falhada, a dupla colocou-se em fuga pela N206, num Opel Corsa vermelho, e nunca mais foi avistada.

Os Bombeiros Voluntários de Famalicão foram chamados ao local e, antes de transportar a vítima para o CHMA, deram os primeiros socorros e alertaram as autoridades.

Acidente em Joane com ferido encarcerado

A colisão entre dois veículos ligeiros, na vila de Joane, na estrada nacional 206 (avenida dr. Mário Soares), junto ao Café Central, provocou, pelo menos, um ferido. No local estão os BV Famalicenses que procedem ao desencarceramento de uma vítima, desconhecendo-se a gravidade dos ferimentos.

O acidente aconteceu por volta das 18 horas e o trânsito encontra-se condicionado.

Joane: Aparatoso despiste seguido de capotamento na VIM

Uma pessoa ficou ferida, na sequência de um despiste seguido de capotamento na VIM, na zona da vila de Joane, em Vila Nova de Famalicão.

O sinistro aconteceu cerca das 09h30 deste domingo e para o local foram acionados os Bombeiros Voluntários de Famalicão, apoiados momentos depois pela VMER da unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Há um ferido a registar, a condutora do veículo, transportada para o Hospital de Guimarães.

Desconhece-se o estado de saúde da vítima.

Joane: Morreu a mulher vítima de explosão em casa

Não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer a mulher vítima da explosão, registada numa habitação, na manhã da passada segunda-feira, na vila de Joane, em Vila Nova de Famalicão.

A vítima, tinha 65 anos, era professora aposentada, ficou com 100% do corpo queimado na sequência da explosão, registada na cozinha da moradia onde vivia com marido e filha.

Estava no Hospital de S.João, no Porto, em estado crítico.

Uma fuga de gás no esquentador, que aquecia as águas da habitação, é a hipótese mais provável para explicar a explosão seguida de incêndio.

Joane: Vítima ficou com “100% do corpo queimado”, helicóptero do INEM estava indisponível

 

INEM nega indisponibilidade de helicóptero para transportar vítima de Joane

O Instituto Nacional de Emergência Médica, negou, na tarde desta segunda-feira, que o meio aéreo que chegou a estar alocado para o transporte da vítima de uma explosão em Joane, estivesse indisponível.

Em comunicado, o INEM esclarece que o helicóptero foi acionado após o Hospital de Coimbra ter dado a informação que estaria disponível para receber a vítima. Situação que se alterou após a mesma unidade hospitalar, em menos de 15 minutos depois da primeira comunicação, ter dado conta que não tinham capacidade para receber a doente.

Estando o Hospital de São João no Porto dotado da valência e capacidade de resposta necessária para esta utente, o Médico regulador do CODU decidiu que a doente deveria ser transportada para este Hospital, o que veio a acontecer por via terrestre dada a distância, e com acompanhamento da equipa da VMER.

Contrariando a informação avançada no local e telefonicamente pelos agentes de socorro, segundo o INEM, o helicóptero nunca chegou a estar indisponível.

Most Popular Topics

Editor Picks