Escolas de Famalicão vencem Concurso de Ideias empreendedoras

O Ecoponto das emoções, do Agrupamento de Escolas D. Sancho I – 2.º ciclo; O Help School, do Agrupamento de Escolas de Pedome – 3.º ciclo; e o Sanvo, do Agrupamento D. Sancho I – secundário/profissional, foram os projetos vencedores do Concurso de Ideias – Escolas Empreendedoras IN.Ave.

O anúncio foi feito na passada sexta-feira. O concurso faz parte do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Ave, da CIM do Ave.

Para além destes primeiros lugares, o concelho de Famalicão registou, ainda, outras distinções. No 3.º ciclo, a EB 1,2,3 de Gondifelos arrecadou o segundo lugar, com Seniores na Horta; igual lugar, no ensino secundário/profissional, foi conquistado pelo Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, com o projeto Agrotec.

Famalicão com forte presença na ISPO

O município de Vila Nova de Famalicão vai estar representado na ISPO Munich 2020, a maior feira têxtil mundial de artigos para desporto, com sete empresas especialistas em têxteis técnicos e dois centros tecnológicos do concelho.

O evento decorre de 26 a 29 de janeiro, em Munique, na Alemanha, e para além do CITEVE e do CeNTI, vão também estar presentes nesta feira as empresas CM Socks, Dune Bleue, Fradelsport, Lusosocks, Oldtrading, Olmac e Scoop, cuja participação no certame foi apoiada pela autarquia famalicense através da atribuição de Vouchers Internacionalização, que resultam da parceria estabelecida com a ATP – Associação Têxtil e do Vestuário.

A ISPO, montra privilegiada para os têxteis técnicos e funcionais, vai este ano contar com mais de 2800 expositores que apresentarão as últimas tendências do desporto de segmentos como desportos da neve, outdoor, saúde e fitness, urbano e desporto de equipa.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai associar-se ao evento através da presença do vereador da Economia, Empreendedorismo e Inovação, Augusto Lima, nos dias 26 e 27 de janeiro.

Recorde-se que Vila Nova de Famalicão é a Cidade Têxtil de Portugal, marca que veio dar força àquilo que o concelho já é há mais de um século – um importante centro de produção, de investigação e desenvolvimento do sector têxtil –, e impulsionar um conceito de produção e de atividade económica que vai muito além dos muros das empresas.

A importância dos têxteis técnicos no total das exportações em Vila Nova de Famalicão é, de resto, cada vez mais relevante. De acordo com o mais recente Anuário Estatístico Regional do INE, referente ao ano de 2018, as exportações de têxteis de aplicação técnica somam já 156 milhões de euros, representando 31% do total das vendas internacionais do setor têxtil e vestuário neste concelho.

Refira-se ainda que a participação das empresas portuguesas na ISPO 2020 foi organizada pela Associação Selectiva Moda, através do projeto From Portugal.

Empresas famalicenses conseguem 340 milhões de fundos europeus

As empresas famalicenses conseguiram 340 milhões de euros do Portugal 2020. Até ao momento estão aprovados 380 projetos, que vão beneficiar de fundos europeus. O Compete 2020 aprovou 115 projetos, no montante de 243,2 milhões de euros; o Norte 2020 deu luz verde a 265 projetos.

O objetivo é melhorar a competitividade, a internacionalização, a inclusão social e o emprego, a sustentabilidade e a eficiência de recursos.

Este aproveitamento de fundos europeus revela a determinação dos empresários e a vitalidade da economia famalicense.

Famalicense desenvolve chapéu que monitoriza pacientes com epilepsia

O famalicense Francisco Pinho desenvolveu um dispositivo portátil, esteticamente sob a forma de um chapéu, que possibilita a monitorização de pacientes com epilepsia e outras patologias através da eletroencefalografia (EEG), considerada como uma ferramenta importante tanto para o diagnóstico e classificação como para o tratamento. O sistema proposto demostrou vários argumentos para a possível monitorização destes pacientes, tanto em regime de ambulatório como de avaliação presencial.

A criação foi desenvolvida no âmbito da tese de doutoramento em Engenharia Biomédica, defendida em julho último na Universidade do Minho, em discussão pública intitulada “Wireless and Wearable EEG Acquisition Platform”. Considerando a originalidade, a natureza inovadora e o valor cientifico da tese, bem como o nível com que decorreram as provas, e ainda as classificações obtidas no percurso de doutoramento, o júri deliberou por unanimidade atribuir o resultado de “aprovado”, com a menção de Muito Bom.

O Presidente da Câmara Municipal realçou o trabalho de investigação de Francisco Pinho e felicitou-o pessoalmente e institucionalmente nesta semana pelo resultado alcançado “pelo contributo que dá ao desenvolvimento científico e tecnológico e pelo exemplo que empresta às novas gerações de famalicenses com o seu percurso de rigor e de dedicação à investigação científica”.

Francisco Pinho tem especialização na Área da Fisioterapia, pela Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro, é licenciado em Engenharia Eletrónica e Informática, pela Escola Superior de Engenharia da Universidade Lusíada, onde conquistou os prémios de melhor aluno da Escola de Engenharia, melhor aluno do Curso de Engenharia Electrónica e Informática, melhor aluno na unidade curricular de Automação e de melhor aluno na unidade curricular de Electrónica. É ainda licenciado em Fisioterapia pela Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa do Instituo Politécnico de Saúde do Norte.

Atualmente, é Professor Assistente Convidado noInstituto Politécnico do Cávado e do Ave da Escola Superior de Tecnologia no curso de Licenciatura em Engenharia de Sistemas Informáticos, Professor Assistente Convidado na Escola Superior de Saúde do Vale do Ave do Instituto Politécnico de Saúde do Norte, no Curso de Licenciatura em Fisioterapia e Professor Assistente Convidado na Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro, no Curso de Licenciatura e Mestrado em Fisioterapia.

Most Popular Topics

Editor Picks