Famalicão: INAC integra rede europeia para o ensino das artes circenses por meios digitais

O INAC – Instituto Nacional das Artes do Circo, com sede em Famalicão, vai ser apoiado pelo Erasmus + por causa do projeto COSMIC que consiste na partilha de metodologias digitais no ensino da arte circense. Há 11 parceiros neste projeto, de diferentes países, mas o INAC é o único português envolvido.

Os parceiros, onde se inclui o INAC, integram a Federação Europeia de Escolas do Circo. O INAC faz parte como membro e par da direção.

«O COSMIC é um projeto que se enquadra nos dias de hoje, face ao covid, porque possibilita o ensino, através das novas tecnologias, especialmente o vídeo», destaca André Borges, da direção do INAC. Assegura que os vídeos baseados em atividades práticas, complementados com apontamentos, permitem o ensino à distância. O COSMIC dá também oportunidade de dar aulas à distância «e quem recebe a aula tem que estar num estúdio que permita a prática da arte do circo».

Segundo André Borges, se já fazia sentido antes o ensino através de meios digitais, agora, com a covid, ainda tem mais pertinência, uma vez que as aulas presenciais não são recomendáveis. «O circo tem disciplinas muito específicas, e antes, alunos ou profissionais que quisessem melhorar deslocavam-se a outra parte do mundo para terem aulas; mas através desta ferramenta é possível uma pessoa do Canadá ter aulas com um professor na Rússia em tempo real», realça.

Além dos parceiros envolvidos, há cinco festivais internacionais de circo que vão colaborar nesta parceria. São eles: Le Festival Mondial de Cirque de Demain (França), Festival de Cirque Actuel CIRCA (França), Axé Cirque (Suíça), La Biennale Internationale des Arts du Cirque – BIAC (França) e Festival Sul Filo del Circo (Itália).

INAC dá aulas em casa

O Instituto Nacional de Artes do Circo não quer que isolamento e distanciamento social sejam sinónimos de sedentarismo e falta de exercício físico para os alunos e todos os artistas de circo. Por isso, o INAC, instituto que tem sede no Lago Discount, em Ribeirão, decidiu iniciar esta terça-feira, um conjunto de aulas online que serão transmitidas através da sua página oficial do facebook .As aulas decorrem todos os dias, serão ministradas pelos professores do instituto às 10h30, preparação física; 17 horas, flexibilidade.

Cidadãos portadores de deficiência no palco da Casa das Artes

Dezenas de utentes de instituições de solidariedade social do concelho de Famalicão participaram no projeto EnvolArte, promovido pela Câmara Municipal de Famalicão e pelo INAC para cidadãos portadores de deficiência, numa missão de estímulo à arte e à integração.

Os protagonistas do espetáculo “Circo por todos” estavam nervosos com esta subida ao palco, também não é todos os dias que atuam perante uma sala lotada. Os ensaios tinham começado em maio, nas instalações do INAC, no Lago Discount, onde demonstraram um empenho digno de registo.

Participaram no projeto utentes da ACIP, AFPAD, Associação Teatro Construção, Centro Social de Landim, Centro Social e Paroquial de Ribeirão e APPACDM.

A assistir ao espetáculo, que marcou o encerramento do quarto ano do projeto “EnvolArte” e assinalou o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, esteve o vereador da Cultura e Educação, Leonel Rocha, que lembrou que «através da arte é possível tornar a vida dos outros mais fácil e fazer da nossa sociedade uma sociedade mais inclusiva».

Com este espetáculo da “EnvolvArte”, os participantes podem incentivar o respeito por si próprio e pelos colegas; socializar e integrar; desenvolver a coordenação motora; praticar atividade física através do trabalho muscular e de alongamento; aprender a noção de espacialidade e concentração; ganhar consciência corporal e despertar o interesse e a perceção artística.

O espetáculo final do projeto “EnvolvArte” não foi o único momento pensado para assinalar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência em Vila Nova de Famalicão. O Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco (AECCB) foi até aos Paços do Concelho com a exposição itinerante “Caminhar com os sapatos dos outros: deixa-te conhecer-me!”, onde cada par de calçado exposto representa a oportunidade que cada observador tem de se despir do seu individualismo e sentir o outro.

Com esta iniciativa, o AECCB pretende alertar a comunidade famalicense para a questão do respeito pelos Direitos Humanos.

Most Popular Topics

Editor Picks