GNR tem no terreno Operação Fique em Casa II

Está em curso, desde esta sexta-feira, e até segunda-feira, 20 de abril, uma operação da GNR de intensificação do patrulhamento, fiscalização e sensibilização com o objetivo de apoiar a população e garantir o cumprimento das normas do Estado de Emergência.

Durante a “Operação Fique em Casa II”, a GNR vai empenhar as suas várias valências no esforço do cumprimento do confinamento obrigatório, por parte daqueles sobre os quais impede esse dever, bem como no apoio aos mais vulneráveis e desfavorecidos.

Neste particular, a Guarda continua a promover o Programa “65 Longe+Perto”, contactando a população mais idosa, sobretudo a que vive sozinha, isolada ou sozinha e isolada, elucidando sobre as regras específicas decretadas para o Estado de Emergência. Deste modo, procura sinalizar situações de idosos que, por força do maior isolamento social, necessitem de uma abordagem ao nível psicológico, para as quais serão disponibilizados psicólogos do Centro Clínico da GNR.

Para além da sensibilização para a limitação da circulação na via pública, a GNR irá garantir o cumprimento das demais normas previstas na lei, zelando para que a população evite deslocações desnecessárias que podem potenciar a propagação da epidemia COVID-19.

Morreram seis idosos no Centro Social de Bairro

O Centro Social de Bairro, que acolhe 45 idosos, tem cerca de 25 utentes e 10 funcionários infetados com Covid-19.

Dos utentes infetados, seis faleceram e três que estavam hospitalizados já regressaram à instituição. O foco de infeção foi detetado em março. Desde então, todos os utentes e funcionários já foram sujeitos a testes.

Lar ilegal fechado em Famalicão

Segundo o comando distrital de Braga, a PSP de Famalicão, em coordenação com a Autoridade de Saúde Local e a Segurança Social, efetuou buscas a um lar, na cidade de Famalicão, que se encontra a funcionar ilegalmente e que, por isso, será encerrado. Dentro das instalações estavam 11 idosos, que serão colocados noutros lares devidamente legalizados.

De referir ainda, que até ao momento não há confirmação de qualquer infetado com o vírus SARS CoV-2. A PSP está acompanhar todas estas diligências que se devem prolongar durante toda a tarde.

Aumenta o crime de burla sobre os idosos

A GNR tem estado particularmente atenta à evolução de determinados fenómenos criminais, visando sobretudo proteger os mais vulneráveis, como os idosos sozinhos ou isolados e as vítimas de violência doméstica.

No mês de março, registou 938 denúncias por violência doméstica (menos 26% do que em período homólogo de 2019), tendo detido 76 suspeitos e apreendido 97 armas (dados provisórios). Ainda assim, conscientes que o período de maior isolamento social pode suscitar um desfasamento mais acentuado entre o número de denúncias e o número de crimes praticados, a GNR, através dos Núcleos de Investigação a Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE), tem intensificado os contactos com as vítimas identificadas, no sentido de promover, se necessário for, um ajustamento das medidas de proteção das vítimas. A GNR recorda que se trata de um crime público, pelo que qualquer pessoa pode denunciar, devendo ser privilegiado o recurso ao Sistema de Queixa Eletrónica (https://queixaselectronicas.mai.gov.pt/).

De igual modo, tem reforçado as ações junto dos idosos, sobretudo dos cerca de 41 mil que, durante a Operação Censos Sénior 2019, foram sinalizados como vivendo sozinhos ou isolados ou sozinhos e isolados.

A GNR tem contribuído para a prestação de um necessário apoio social e para a sensibilização face ao aumento do número de crimes de burla (467, durante o mês de março de 2020, o que corresponde um aumento de 52%, face ao período homólogo de 2019), que incidem sobretudo sobre a população mais vulnerável, como é o caso dos idosos.

Ainda neste âmbito, está em fase de implementação o Programa 65 Longe+Perto, o qual visa, através das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC), em primeira linha, a promoção do contacto telefónico com todo os idosos sinalizados, procurando identificar situações que justifiquem uma abordagem ao nível psicológico, para a qual serão disponibilizados psicólogos do Centro Clínico da GNR, numa segunda linha de apoio.

Governo aprova procedimentos a adotar em lares residenciais para idosos

O Governo aprovou, na passada quinta-feira, os procedimentos a adotar pelas instituições sociais de idosos sempre que sejam detetados casos de infeção por Covid-19, O objetivo é proteger os utentes e os respetivos trabalhadores.

Assim, este despacho prevê a intervenção articulada das Câmaras Municipais, da Proteção Civil, da Autoridades de Saúde locais e da Segurança Social de forma a encontrar equipamentos alternativos para alojar pessoas em isolamento profilático e/ou em situação de infeção confirmada de Covid-19 que, face à avaliação clínica, não tenham necessidade de internamento hospitalar.

Estabelece, ainda, que, quando não existam equipamentos alternativos nos próprios municípios, sejam procuradas soluções noutras autarquias do distrito ou de distritos adjacentes, sempre em articulação entre as várias autoridades.

Este despacho, assinado por diversos ministros, procura apoiar as instituições e entidades públicas que tenham de intervir nestas situações, garantindo assim o especial dever de proteção de uma população especialmente fragilizada.

Covide-19: Recomendações a idosos e familiares

O Núcleo de Estudos de Geriatria (NEGERMI) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) elaborou um conjunto de recomendações para os doentes idosos e familiares para prevenir a infeção por COVID-19.

Como medidas preventivas:

Deve lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes; evite tocar na cara com as mãos; na medida do possível, evite tocar em superfícies de alto toque em locais públicos como botões do elevador, maçanetas, corrimãos, apertos de mão com pessoas, etc.; se é destro use mais a mão esquerda e faça o contrário se for esquerdino; use um lenço de papel ou a sua manga para cobrir a sua mão ou o seu dedo, se precisar tocar em algo; evite partilhar objetos pessoais ou comida; tape o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deite sempre o lenço de papel no lixo.

Mantenha-se em casa e tome precauções:

Limpe e desinfete a casa, principalmente as superfícies tocadas com frequência (como mesas, maçanetas, interruptores de luz, torneiras e telemóveis); evite fazer compras diariamente ou frequentar locais com muitas pessoas; se tiver que sair de casa por algum motivo de saúde urgente mantenha sempre o distanciamento social mínimo de 1 a 2 metros; idealmente, procure um familiar ou um vizinho que lhe leve as compras e a medicação a casa, não mantendo qualquer contacto físico com ele; não deixe acabar a medicação. Se necessitar de mais receitas, contacte o seu Centro de Saúde por telefone ou email ou peça a um familiar para o fazer; mantenha-se em contacto com os seus familiares e amigos por telefone.

Se sentir sintomas:

Se tiver febre ou dores no corpo, tenha à mão paracetamol que pode tomar até 3-4 gramas por dia; não tome anti-inflamatórios não esteroides (estes medicamentos são inapropriados para os idosos); beba bebidas quentes; deve beber muitos líquidos, de preferência em bebidas quentes que deve ter sempre preparadas, com mel (se não for diabético), limão, outros sumos, chá, café; alimente-se bem, comendo carne, peixe, ovos e fruta que deve lavar e descascar antes de comer. Não dispense a sopa quente.

Faça exercício. Não esteja horas sentado. Ande em casa por períodos de mais de 10 minutos 3 vezes por dia ou se possível use uma pedaleira.

Quando já estiver bem não contacte com outras pessoas durante 14 dias

Deverá procurar atendimento médico se sentir:

Dificuldade em respirar ou falta de ar; dor ou opressão persistente no peito.

Atuação dos familiares do idoso:

Confirme que o seu familiar tem medicamentos e alimentos suficientes a fim de evitar faltas inesperadas; sempre que o contacto físico for indispensável lave cuidadosamente as suas mãos, mas se tiver tosse ou febre não o visite; promova o isolamento social do seu familiar, mas não o abandone; esteja atento à eventual dificuldade de respirar do seu familiar ou às manifestações de alteração do estado de consciência e confusão.

Se o seu familiar estiver institucionalizado, informe-se do protocolo criado pela instituição e cumpra-o rigorosamente.

Most Popular Topics

Editor Picks