Dezoito anos de prisão para homicida de Fermentões

O homem que em abril de 2019 esfaqueou quatro pessoas, acabando por matar uma mulher, de 46 anos, em Fermentões, Guimarães, foi condenado a 18 anos de prisão e ao pagamento de cerca de 230 mil euros em indemnizações.

José das Neves Ferreira, de 53 anos, foi condenado esta quarta-feira pelo Tribunal de Guimarães que deu como provado que o homem alterou-se quando ouviu um rapaz a cantar “maluco, maluco”, tendo puxado de um objeto cortante e desferiu-lhe vários golpes.

Depois desta agressão, o homem ainda esfaqueou mais três pessoas, entre as quais Maria José Dias, de 46 anos, a quem desferiu sete facadas, causando-lhe a morte.

José das Neves Ferreira, desempregado, foi condenado por um crime de homicídio simples, outro de tentativa de homicídio e dois de ofensa à integridade física.

Covid-19: Vitória de Guimarães liga aos sócios para saber como estão

O Vitória Sport Clube está a ligar aos sócios para saber como é que eles estão, durante este período de isolamento social.

Até ao momento a iniciativa não foi tornada pública pelo clube de Guimarães, contudo, um desses contactos acabou por relatado por uma colega nossa – jornalista – num post na rede social facebook.

Numa altura em que as competições desportivas estão suspensas, o Vitória Sport Clube segue na frente no campeonato dos afetos.

 

GNR e Bombeiros procuram homem desaparecido no Rio Ave

Estão a decorrer, desde a final da manhã desta terça-feira, buscas no Rio Ave por um homem que se encontra desaparecido desde a passada semana.

Segundo avança o o portal Guimarães Digital, as buscas estão concentradas na zona de Vila Nova de Sande, envolvendo meios cinotécnicos da GNR e a equipa de mergulhadores dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas.

Fonte / Imagem: Guimarães Digital

Famalicão poderá estar ligado a Guimarães, Braga e Barcelos por linha de eléctrico

No futuro poderá existir uma nova rede de transportes que una concelhos do Quadrilátero Urbano (Famalicão, Braga, Guimarães, Barcelos).

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães revelou, num debate sobre mobilidade urbana, que o estudo para encontrar a melhor solução que ligue estes concelhos já está em curso. Domingos Bragança afirmou que a decisão foi tomada na última semana, admitindo que chega com dois anos de atraso.

O autarca vimaranense frisou que a solução “só faz sentido se todos os municípios estiverem de acordo e assumirem a parte correspondente das responsabilidades que implica o projecto”

Uma reunião com representantes do governo deverá ser marcada para breve, de forma a serem discutidas formas de apoio ao projeto, que, a concretizar-se, vai implicar candidaturas a fundos comunitários e apoio do poder central.

 

Bloco de Esquerda apresenta projeto para comboio direto de Braga a Guimarães

O Bloco de Esquerda apresentou na Assembleia da República um projecto de resolução com vista a reforçar o investimento na ferrovia existente no distrito de Braga, propondo a requalificação das linhas ferroviárias, a ligação directa entre Braga e Guimarães, a criação de uma linha suburbana entre Barcelos e Porto e a integração modal, horária e tarifária de todos os modos de transportes públicos.

No documento, os bloquistas referem que “de acordo com o CENSOS de 2011, o distrito de Braga conta com 956 185 habitantes. As cidades mais populosas são Braga (181 494), Guimarães (158 124), Vila Nova de Famalicão (133 832) e Barcelos (120 391). Não obstante estas quatro cidades possuírem linha ferroviária, esta não se encontra interligada. Assim, uma viagem de comboio de Guimarães para Braga demora entre uma a duas horas; as cidades distam 25 quilómetros entre si”.

“A título de exemplo refira-se que em Braga e Guimarães situam-se os pólos da Universidade do Minho, como tal, diariamente centenas de alunos e profissionais deslocam-se entre estas duas cidades recorrendo a camioneta ou a viatura própria, uma vez que a ligação por ferrovia não constitui uma alternativa real”, justificam, voltando a mencionar os dados do último Censo. “Todos os dias entram em Braga 28 mil 347 pessoas, e saem para outras localidades 20 mil 309. Em Guimarães, entram 17 mil 590 pessoas e saem 18 mil 383. Em Vila Nova de Famalicão são 16 mil 229 as pessoas que saem da cidade enquanto entram 20 mil 398. Em Barcelos, todos os dias saem 9971 pessoas e são recebidas 16 mil 745. Estes intensos movimentos pendulares (ou seja, deslocamento diário de pessoas entre municípios distintos, para fins de trabalho e ou estudo) colocam em movimento milhares de pessoas, sendo efetuados essencialmente por viatura própria, autocarro ou camioneta. Esta situação sobrecarrega e congestiona as vias de acesso a estas cidades e aumenta a poluição bem como o recurso a combustíveis fósseis”, sustenta o Bloco, defendendo como “essencial fazer o caminho para inverter esta forte dependência do transporte próprio e dos meios de transporte colectivos mais poluentes, caminhando no sentido da utilização de mais transportes públicos ecologicamente sustentáveis, entre os quais se destaca a ferrovia. “O direito efetivo à mobilidade só pode ser universal com base em transportes públicos colectivos. Sem essa transição para uma mobilidade cada vez mais colectiva e mais eléctrica, nenhuma meta de descarbonização do país será cumprida”, lê-se no documento.

No comunicado enviado às redacções, o deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo Círculo Eleitoral de Braga, José Maria Cardoso, relembra que esta iniciativa surge na sequência da campanha eleitoral, onde o partido demonstrou que “o comboio não é uma alternativa viável, porque, atualmente, uma viagem entre Braga e Guimarães, que distanciam 25km entre si, demora mais de duas horas”.
Segundo o deputado, no distrito de Braga, “residem quase um milhão de pessoas (956 mil 185), existem pólos universitários da Universidade do Minho e do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave e inúmeras zonas industriais, o que implica muitos movimentos pendulares, principalmente entre as cidades do quadrilátero – Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães – que justifica a aposta nos transportes ferroviários de forma a diminuir a emissão de gases com efeitos de estufa provocados pelos transportes rodoviários”.

“É fundamental não adiar mais nem encontrar desculpas para protelar medidas efetivas para desenvolver a rede de transportes públicos no distrito de Braga, porque há muito que a população ouve falar no desenvolvimento da ferrovia mas esta tarda em chegar, pelo que o Bloco de Esquerda considera essencial que não se adie mais este investimento urgente”, conclui.

Carrinha furtada em Guimarães é encontrada por padeiro em Mogege

Uma viatura de mercadorias, furtada nos últimos dias em Guimarães, foi recuperada esta quarta-feira no concelho de Vila Nova de Famalicão.

A carrinha, que teria desaparecido da freguesia de Fermentões, acabou por ser localizada em Mogege, por um padeiro que ouviu o alerta do furto numa das rádios locais de Guimarães.

O veículo foi encontrado esta madrugada, enquanto o padeiro fazia a habitual ronda por algumas freguesias do concelho de Famalicão. Assim que percebeu que a carrinha correspondia ao alerta difundido na Rádio Santiago, entrou em contacto de imediato com a estação emissora de Guimarães e reportou o achado.

O proprietário da viatura foi chamado ao local e as autoridades tomaram conta do caso.

Most Popular Topics

Editor Picks