Jovem famalicense de 21 anos morre em acidente de viação em França

Sónia Lopes, jovem de 21 anos, natural de Ribeirão mas emigrada em França, morreu este sábado na sequência de um acidente de viação, em Pibrac, a cerca de 15kms de Tolouse.

A vítima foi projetada para fora do carro, depois do mesmo ter entrado em despiste, numa estrada local. O namorado da prima, com cerca da 20 anos, era quem estava a conduzir a viatura no momento do acidente e, ao que conseguimos apurar, não sofreu ferimentos de maior.

Do sinistro resultou ainda um outro ferido, o irmão da vítima mortal, também ele levado para uma unidade hospitalar mais próxima. Não corre perigo de vida.

As autoridades competentes encerraram a via ao trânsito para a recolha de indícios que expliquem as causas do despiste fatal para a jovem famalicense.

 

Começa já amanhã o julgamento em Moulins (França)

Jovem arrisca dez anos por doze mortes Tio e sobrinho julgados por acidente de 24 de março de 2016

Emigrados na Suíça, doze portugueses procuravam a forma mais barata de visitar Portugal. Para isso, optaram por fazer a viagem numa carrinha adaptada, conduzida por Ricardo Pinheiro, jovem de 21 anos, e propriedade do tio deste, Arménio Martins, de 44.

A 24 de março de 2016, quando seguiam na apelidada ‘estrada da morte’ de França.

Apenas o condutor sobreviveu, que juntamente com o tio vai começar esta quarta-feira a ser julgado. Tanto Ricardo como Arménio – naturais da zona de Trancoso – vão ser julgados pela morte dos portugueses, que perderam a vida à passagem por Moulins. E é nessa mesma localidade que vai decorrer o julgamento. Ricardo Pinheiro pode ser condenado a uma pena de prisão até dez anos.

Ricardo Pinheiro não estava habilitado a conduzir a carrinha, que tinha sido transformada meses antes para poder transportar mais passageiros. Em vez dos seis lugares de origem, transportava treze. Foi já de noite que se deu o acidente.

A carrinha tinha iniciado a viagem na Suíça. Levava as vítimas – entre os 7 e 63 anos – com destino à zona da Guarda. A tragédia deu-se quando a carrinha chocou com um camião italiano. As perícias dizem que a Mercedes Sprinter seguia a 100 km/h numa zona de 80.

A polícia também constatou que nos meses antes do acidente a carrinha foi controlada a circular em excesso de velocidade mais de uma dezena de vezes. Arguidos respondem por 12 homicídios involuntários.

 

Most Popular Topics

Editor Picks