FC Famalicão: uma época de afirmação no topo do futebol nacional

A equipa feminina do FC Famalicão é mais uma a juntar-se a outras que estão no patamar maior do futebol nacional. Deste modo, o FC Famalicão afirma-se como um clube de topo com várias equipas a disputarem a 1.ª divisão nacional dos respetivos escalões.

Numa época, os seniores subiram à 1.ª divisão, já garantiram a manutenção e, para além disso, sonham com um lugar europeu. A estes juntam-se os juniores, que lutavam pelo título nacional, quando as provas foram paradas, enquanto que os juvenis e iniciados continuam no patamar maior do seu escalão.

Restava, então, a equipa feminina que, no primeiro ano de vida, venceu todos os jogos disputados quer para o campeonato, quer para a taça. Assim, o anúncio administrativo feito esta quarta-feira pela Federação, é um justo prémio para as atletas treinadas por João Marques, que se revelaram as melhores da primeira fase do nacional da 2.ª divisão.

A construção da Academia e a abertura do clube à constituição de uma Sociedade Anónima Desportiva são, claramente, as bases deste sucesso desportivo em pouco mais de um ano.

Dois jogadores do FC Famalicão cobiçados em Portugal e França

Os médios Gustavo Assunção e Racic, do FC Famalicão, têm vários interessados no seu concurso.

Do jogador brasileiro, avança o L´Équipe, os franceses do Nice estarão muito perto de fechar contrato. O jogador, de 20 anos, chegou a Famalicão esta época e tem contrato com o clube até 2024.

Já o sérvio Racic, depois do interesse do FC Porto, a imprensa desportiva avança com o Benfica e, segundo o seu empresário, há interesse de clubes ingleses e italianos.

Racic, de 22 anos, está em Famalicão por empréstimo do Valência.

João Marques já reagiu à subida: «o mais importante foi como o clube olhou para a futebol feminino»

O treinador da equipa feminina do FC Famalicão já reagiu à subida da equipa ao escalão maior do futebol nacional. João Marques assume que «o mais importante neste projeto foi a forma como o clube olhou para o futebol feminino, com uma confiança de toda a estrutura e na figura do presidente, que sempre nos deu condições para realizar este trabalho».

Como consequência dessa aposta e perante a decisão da Federação Portuguesa de Futebol a subida «é um prémio pelo trabalho da equipa. A decisão administrativa acabou por reconhecer, não da forma como queríamos, o trabalho que fizemos, porque dentro de campo, em todos os jogos, demonstrámos ser a melhor equipa do escalão e tenho a firme convicção de que este seria o desfecho se o campeonato fosse levado até ao fim», assume o treinador.

Recorde-se que na próxima temporada o principal escalão do futebol feminino vai ter 20 equipas, divididas, numa primeira fase, em duas séries de 10 equipas a norte e 10 a sul. A decisão da FPF foi comunicada oficialmente ao início da tarde desta quarta-feira, num comunicado onde se explica o alargamento de 12 para 20 equipas como forma de «sustentação e crescimento através do incentivo a melhores recursos humanos nos clubes com equipas femininas».

Agora «é tempo celebrar de forma contida pelas circunstâncias, mas também de olhar o futuro e preparar a nova temporada, que terá nova exigência mas à qual saberemos dar resposta com vitórias e alegrias a todos os famalicenses», promete o presidente do clube, Jorge Silva.

Racic retido na Sérvia

O médio Uros Racic, do FC Famalicão, ainda não se juntou aos seus companheiros que, desde o início desta semana, retomaram os trabalhos.

O jogador foi autorizado pelo clube a viajar para o seu país natal, Sérvia, no início do surto para estar com a família. Mas, agora, devido às restrições existentes, Racic está retido na Sérvia, sem voo para regressar a Portugal. Mesmo impedido de trabalhar com o plantel, o médio não tem estado parado e tem feito questão de o demonstrar nas redes sociais, com a publicação de vários vídeos a treinar.

FC Famalicão regressa aos treinos cumprindo todas as recomendações

O plantel do Futebol Clube de Famalicão voltou aos treinos esta segunda-feira, «com total compromisso de que estão garantidas todas as condições de higiene e segurança no recinto desportivo», avança o clube em nota de imprensa.

Assim, os jogadores, elementos da equipa técnica e todo o staff foram submetidos a testes serológicos para avaliação da resposta imunitária ao novo coronavírus, por laboratório externo e certificado, garantindo que os mesmos podem retomar a atividade com toda a segurança.

O FC Famalicão estabeleceu, ainda, várias normas fundamentais para um eficaz regresso aos treinos. Todos os espaços do Estádio Municipal são devidamente higienizados, estando, também, salvaguardada a utilização de equipamento de proteção individual e o distanciamento social entre todos.

O plantel está dividido em grupos reduzidos que vão utilizar percursos abertos para o acesso aos relvados do Estádio Municipal; o clube disponibiliza todo o material de treino individual para uso exclusivo por jogador, no qual se inclui equipamentos, bolas e garrafas para a indispensável hidratação.

Será, ainda, mantida uma monitorização individual e diária dos sintomas de todos os elementos, bem como uma avaliação da temperatura à chegada das instalações do clube.

Fábio Martins junta-se ao movimento “Ajudar Profissionais de Saúde”

O jogador do Famalicão Fábio Martins e o comediante Hugo Sousa juntaram-se ao movimento “Ajudar Profissionais de Saúde”, iniciado pelo Agrupamento de Escuteiros 245 de Vilarinho, pela empresa B2T-Team e pela Mocidade Alegre de Landim. O objetivo é apoiar instituições sociais e de saúde que precisam de material de proteção.

Para apoiar e contribuir com os materiais de proteção basta aceder, por exemplo, à página de facebook ou de instagram Ajudar Profissionais de Saúde, ou através do e-mail [email protected].

Fica a saber tudo o que têm feito e o que é preciso continuar a fazer. Os pedidos de ajuda são já de mais de 40 instituições de saúde, tanto de Famalicão, Guimarães, Vizela e Santo Tirso e já receberam pedidos das ilhas, de Ovar e de Lisboa.

Qualquer empresa ou cidadão pode fazer o seu donativo por transferência bancária através do PT50001000003941897000197, de MBWAY pelo 913527883 ou do crowdfunding criado para o efeito http://gofundme.com/f/Ajudarprofissionaisdesa-de

Estão em falta fardas, cógulas, manguitos, perneiras, aventais, toucas, cobre sapatos, batas e os fatos completos, depois o álcool gel, luvas, as máscaras, entre outros.

Segundo os responsáveis, a ideia deste movimento é chegar ao maior valor monetário ou material para doar equipamentos de proteção aos profissionais de saúde e por isso todo o valor e material arrecadado serão utilizados para distribuir materiais de proteção nos Hospitais, Centros de Saúde, Lares de Idosos, Unidades de Cuidados Continuados, Centros Covid-19, GNR e Corporações de Bombeiros.

Most Popular Topics

Editor Picks