Guarda-redes Ricardo Fernandes é reforço do Futebol Clube de Famalicão

O guarda-redes Ricardo Fernandes é reforço do Futebol Clube de Famalicão para as próximas duas temporadas. O jogador de 23 anos rescindiu o vínculo contratual com Os Belenenses e assinou com o FC Famalicão até junho de 2020.

Nas primeiras impressões com o símbolo do Vila Nova ao peito Ricardo Fernandes disse estar muito satisfeito pela oportunidade de jogar no clube. “Venho para trabalhar e ajudar a equipa. Esta é a minha forma de estar e trago muita vontade de contribuir para o sucesso desportivo do clube”.

Ricardo Fernandes esteve no último ano no Belenenses mas conhece bem o novo clube. “Defrontei o Famalicão quando jogava na AD Fafe e conheço bem a cidade do tempo em que fui jogador da AD Oliveirense. Sei por isso da grande paixão dos adeptos, do crescimento que o clube tem registado e também da ambição e responsabilidade que é jogar no FC Famalicão. É este o compromisso que trago e estou ansioso pelo começo da nova temporada” disse o jogador depois de rubricar contrato.

Ricardo Fernandes é o primeiro reforço do plantel para a época 2018/2019.

BE questiona Governo sobre transferência da pedopsiquiatria do Magalhães Lemos

O Bloco de Esquerda (BE) questionou o Ministério da Saúde sobre o motivo da transferência do serviço de Pedopsiquiatria do Hospital Magalhães Lemos para o Centro Materno Infantil, no Porto, divulgou esta segunda feira o partido.

Segundo o BE, “este serviço vai ser transferido do Magalhães Lemos para o Centro Materno Infantil do Norte (CMIN), onde ficará situado numa cave sem luz natural”.

Em pergunta dirigida ao ministério a 18 de maio, e hoje divulgada, o Bloco de Esquerda pretende saber se “o Governo considera adequado que um serviço de pedopsiquiatria seja colocado numa cave sem luz natural”.

O Hospital de Magalhães Lemos, no Porto, é o hospital de referência da região Norte do país em cuidados de psiquiatria e de saúde mental.

Este hospital disponibiliza serviço de internamento e ambulatório, com consulta externa especializada de psiquiatria, hospitalização parcial, reabilitação psicossocial e cuidados domiciliários.

Os serviços de internamento e ambulatório têm como destinatárias as pessoas residentes no Porto (exceto as freguesias de Bonfim, Campanhã e Paranhos), Matosinhos (novos casos de ambulatório são assumidos pela unidade local de saúde de Matosinhos), Póvoa de Varzim e Vila do Conde.

O internamento é também disponibilizado às populações de Arouca, Gondomar, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, São João da Madeira, Trofa, Vale de Cambra e Vila Nova de Famalicão.

A urgência psiquiátrica da área metropolitana do Porto funciona no Centro Hospitalar S. João, contribuindo o Hospital Magalhães Lemos com médicos psiquiatras para assegurar a constituição das equipas de urgência.

O Hospital Magalhães Lemos dispõe ainda, segundo o BE, de “um serviço de pedopsiquiatria reconhecido, altamente qualificado e diferenciado, que presta serviço a crianças em idade pediátrica (até aos dezoito anos de idade)”.

Laurus Nobilis vai ter palco para quem lá quiser atuar

O festival Laurus Nobilis, em Vila Nova de Famalicão, promete um cartaz “para quem gosta de música à séria”, com Dark Tranquility, Septicflesh e Infraktor como cabeças de cartaz e um palco para quem quiser atuar no evento.

“Temos um cartaz para quem gosta de música à séria, mas sobretudo temos a preocupação e o objetivo de dar palco a bandas portuguesas, além dos cabeças de cartaz”, explicou o diretor artístico, José Aguiar, esta segunda feira na apresentação da edição de 2018 daquele que quer ser “uma referência” nos festivais de verão.

Além dos cabeças de cartaz, o Laurus Nobilis de 2018 leva a Famalicão, de 26 a 28 de julho, bandas nacionais como Mata Ratos, Tarantula ou Cruz de Ferro, destacando-se ainda o palco “Faz a tua Cena”, que vai permitir “a quem quer que seja” atuar durante o evento.

“Não queremos ser só mais um festival. Queremos ser uma referência e temos feito caminho para isso ao nos especializarmos, de certa forma, no heavy metal. Temos ainda a particularidade de ser um festival de música dita pesada, mas num meio rural”, explanou.

Segundo José Aguiar, a escolha daquele género musical para desenhar o festival não é aleatória: “Fomos vendo que era o estilo que era mais rentável, mas este não é um festival só para quem gosta desse tipo de música. Temos ainda a área de campismo (gratuito), restauração, atividades, no fundo haverá o que fazer 24 horas por dia além dos espetáculos dos palcos principais”.

Como “grande novidade”, o responsável apontou o palco “Faz a Tua Cena”, que, disse, no fundo reflete uma das vertentes” que o Laurus Nobilis assume.

“É um palco dedicado ao público e a qualquer artista. Quem quiser inscreve-se, o pessoal chega ao palco e faz a sua cena”, explicou.

Com uma programação “75% gratuita”, o Laurus Nobilis é, para o embaixador do festival, António Freitas, “interessante e único”.

“Algumas pessoas dirão que ficou muito pesado, mas é bom porque devolve a vida, para não ser igual a tantos outros eventos”, referiu.

António Freitas destacou ainda a oportunidade que o festival dá ao trabalho dos músicos portugueses da área do heavy metal: “Este tipo de bandas são geralmente postas de parte e em Portugal temos muitas, cerca de 1.000. As pessoas não tem noção disso e têm tanto talento e valor como qualquer uma das bandas estrangeiras, o problema é que nunca têm a exposição que deveriam ter, seja em casas de espetáculos seja nas rádios”.

Para a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o Laurus Nobilis é a prova do “esforço da política cultural para diversificar a sua oferta e chegar aos mais variados públicos”, referiu o vereador da Cultura, Leonel Rocha.

Ângelo Meneses renova com o FC Famalicão até 2020

A época terminou no passado domingo e o FC Famalicão já trabalha na formação do plantel para 2018/2019. A primeira novidade é a continuidade de Ângelo Meneses até 2020. O clube anunciou o prolongamento do vínculo contratual, que terminava esta temporada, com o defesa central.

De saída estão Denner, Diogo Cunha, Fred, Jaime Poulson, Jefferson e Nuno Diogo que terminam contrato e já foram informados de que o FC Famalicão não conta com eles para a nova temporada.

Ymotion vai celebrar o cinema português

O mundo do cinema português veio, este sábado, a Vila Nova de Famalicão para apadrinhar o lançamento da quarta edição do Ymotion, o festival de cinema jovem promovido pela autarquia famalicense que já deixou de ser uma promessa para ser uma certeza de futuro.

José Mata, Joana de Verona, Miguel Costa, Isabel Figueira e Tiago Teotónio Pereira foram algumas das caras conhecidas do público português que marcaram presença no evento, assim como Rui Pedro Tendinha, crítico de cinema e comissário do festival, que não escondeu a ambição que tem em fazer de Famalicão a capital do cinema jovem português. “Este é um festival pensado e feito para os jovens, que os premeia e acho notável o que a Câmara Municipal de Famalicão está a fazer, ao ajudar o cinema português desta maneira”.

As inscrições no Ymotion 2018 decorrem até outubro, em www.ymotion.org, e sobre esta nova edição do festival, Rui Pedro Tendinha adiantou que não vai viver apenas das curtas a concurso. Para novembro está agendada uma mostra de cinema, com uma seleção de filmes apontados pelo crítico. “São filmes que vão mostrar o estado de espírito do novo cinema português. O nosso cinema está a viver um grande momento, é preciso celebrá-lo e o Ymotion também vai servir para isso”.

A apresentação do Ymotion 2018, que esteve a cargo da apresentadora da SIC Ana Rita Clara, contou ainda com a presença da vereadora da Juventude da autarquia, Sofia Fernandes, e de alguns premiados de edições anteriores. Luís Campos, que no ano passado arrecadou os prémios de “Melhor Realização” e “Melhor Fotografia” com a curta “Carga”, realçou a importância do festival. “Qualquer prémio ajuda a projetar os nossos filmes e os prémios que recebi no Ymotion no ano passado foram um atestado de confiança no trabalho que fizemos. Isso motiva-nos, sobretudo, a fazer mais e melhor”.

Recorde-se que o Ymotion vai distinguir as melhores curtas metragens produzidas por jovens portugueses entre os 12 e os 35 anos. Serão atribuídos os seguintes prémios: “Grande Prémio Joaquim de Almeida”, no valor de 2500 euros; “Prémio Escolas Secundárias”, no valor de 850 euros; “Prémio Público”, no valor de 350 euros; “Prémio Melhor Animação”, no valor de 600 euros e prémios para “Melhor Ator/Atriz”, “Melhor Direção Fotografia”, “Melhor Banda Sonora Original”, no valor de 250 euros.

A gala de entrega de prémios está agendada para o dia 10 de novembro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

Integram o painel de jurados o argumentista Tiago R. Santos, os jornalistas Maria João Rosa e Tiago Fernando Alves, a atriz Teresa Tavares e o realizador Fernando Vendrell.

Mais informações em www.ymotion.org.

Primeiras imagens de “Linhas de Sangue” divulgadas

O lançamento da edição de 2018 do Ymotion foi o enquadramento escolhido pela equipa de “Linhas de Sangue” para a apresentação das primeiras imagens do filme realizado por Manuel Pureza e Sérgio Graciano.

José Mata, Miguel Costa, Isabel Figueira e Tiago Teotónio Pereira foram alguns dos atores do elenco que se associaram ao evento deste sábado em Famalicão.

O filme, considerado um dos mais aguardados do ano, tem estreia marcada para 26 de julho nas salas de cinema nacionais.

FC Famalicão aprova contas e abre Academia a 2 de junho

Os sócios do Futebol Clube de Famalicão aprovaram, na noite desta sexta-feira, 4 de maio, as contas de 2017, e ficaram a saber que a Academia, a nova casa da formação, onde diariamente as várias equipas do clube vão treinar e jogar, será inaugurada a 2 de junho.

Cento e dezoito associados estiveram reunidos no auditório da Universidade Lusíada e votaram favoravelmente o exercício passado, registando-se apenas uma abstenção. Jorge Silva considera que a aprovação das contas, de forma tão absoluta, é um voto de confiança no trabalho desenvolvido pelos órgãos sociais, mas também acarreta mais responsabilidade.

O clube tem, atualmente, um ativo que ascende a 1 milhão e 600 mil euros, particularmente devido ao investimento na Academia de Formação, enquanto que o passivo é de 1 milhão e 200 mil euros.

Durante a Assembleia Geral, o presidente da direção reiterou que o clube continua a ser deficitário na sua gestão, «mas temos todas as contas em dia», contando, para tal, com a ajuda «de muitos amigos que têm sido muito generosos», agradeceu Jorge Silva.

Mais apoio e envolvimento da comunidade e das empresas, bem como a constituição de uma parceria financeira e desportiva, são, para Jorge Silva, soluções importantes a ter em conta no futuro do FC Famalicão.

Most Popular Topics

Editor Picks