«Maior investimento financeiro de sempre do clube»

O Futebol Clube de Famalicão inaugura no próximo dia 2 de junho (10h00) a Academia FC Famalicão, equipamento desportivo destinado ao futebol de formação e que foi construído ao longo do último ano.

Construída com equipamentos de última geração e para corresponder aos parâmetros de exigência de certificação da Federação Portuguesa de Futebol, a Academia tem três relvados de piso sintético, balneários para 12 equipas, espaços de estudo, de lazer, loja do clube, gabinetes técnicos, ginásio, auditório e residência para jogadores. «É o maior investimento financeiro de sempre do Futebol Clube de Famalicão mas maior ainda no futuro de gerações de jovens que vão dar vida a este sonho tornado realidade. Aqui vão ter todas as condições para crescer, evoluir e construir o sonho de serem jogadores de futebol» salienta o presidente do FC Famalicão Jorge Silva.

A Academia FC Famalicão vai receber todos os escalões de formação do clube, desde as Escolas até aos Sub-19, cerca de 350 jovens jogadores, que vão crescer com excelentes condições de treino. São três os relvados (espaço coberto de futebol 5, campos de futebol 7, futebol 9 e futebol 11), com bancada coberta para 500 espectadores. «Aqui vão ter todas as condições para crescer, como jovens e como jogadores. Aqui queremos que aprendam os valores do nosso clube, que os transportem para a vida». A Academia FC Famalicão começou a ser construída a 3 de junho de 2017 e um ano depois a obra está a abrir portas para o futuro.

Deni Hocko pela primeira vez na Seleção do Montenegro

Deni Hocko, médio de 24 anos, jogador do Futebol Clube de Famalicão foi chamado pelo selecionador do Montenegro Ljubisa Tumbakovic para representar a seleção nos jogos particulares a realizar frente à Bósnia Herzegovina e Eslovénia, encontros de preparação das seleções a realizar nos dias 28 de Maio e 2 de Junho.

Apesar de ter representado em todos os outros escalões a seleção nacional esta é a 1ª vez que o jogador é chamado a integrar os trabalhos da seleção principal.

Já a cumprir período de férias, Deni Hocko recebeu a convocatória com alguma surpresa mas com grande alegria. “É reconhecimento ao trabalho que tenho feito no FC Famalicão e estou muito feliz por ser chamado a representar o meu país. Significa também que a aposta pessoal que fiz, de procurar novos horizontes para a minha carreira depois de ser campeão no Montenegro, foi acertada” começou por dizer o jogador depois de receber a convocatória.

“No último ano realizei 36 jogos no FC Famalicão e fico feliz por o trabalho realizado ter suscitado a atenção do selecionado nacional. São dois jogos particulares em que vou procurar corresponder à confiança que estão a depositar em mim”. Deni Hocko já estava de malas feitas para gozar período de férias mas rapidamente trocou as roupas e refez a bagagem para cumprir um objetivo que há muito tinha, o de representar a seleção principal do seu país.

Guarda-redes Ricardo Fernandes é reforço do Futebol Clube de Famalicão

O guarda-redes Ricardo Fernandes é reforço do Futebol Clube de Famalicão para as próximas duas temporadas. O jogador de 23 anos rescindiu o vínculo contratual com Os Belenenses e assinou com o FC Famalicão até junho de 2020.

Nas primeiras impressões com o símbolo do Vila Nova ao peito Ricardo Fernandes disse estar muito satisfeito pela oportunidade de jogar no clube. “Venho para trabalhar e ajudar a equipa. Esta é a minha forma de estar e trago muita vontade de contribuir para o sucesso desportivo do clube”.

Ricardo Fernandes esteve no último ano no Belenenses mas conhece bem o novo clube. “Defrontei o Famalicão quando jogava na AD Fafe e conheço bem a cidade do tempo em que fui jogador da AD Oliveirense. Sei por isso da grande paixão dos adeptos, do crescimento que o clube tem registado e também da ambição e responsabilidade que é jogar no FC Famalicão. É este o compromisso que trago e estou ansioso pelo começo da nova temporada” disse o jogador depois de rubricar contrato.

Ricardo Fernandes é o primeiro reforço do plantel para a época 2018/2019.

BE questiona Governo sobre transferência da pedopsiquiatria do Magalhães Lemos

O Bloco de Esquerda (BE) questionou o Ministério da Saúde sobre o motivo da transferência do serviço de Pedopsiquiatria do Hospital Magalhães Lemos para o Centro Materno Infantil, no Porto, divulgou esta segunda feira o partido.

Segundo o BE, “este serviço vai ser transferido do Magalhães Lemos para o Centro Materno Infantil do Norte (CMIN), onde ficará situado numa cave sem luz natural”.

Em pergunta dirigida ao ministério a 18 de maio, e hoje divulgada, o Bloco de Esquerda pretende saber se “o Governo considera adequado que um serviço de pedopsiquiatria seja colocado numa cave sem luz natural”.

O Hospital de Magalhães Lemos, no Porto, é o hospital de referência da região Norte do país em cuidados de psiquiatria e de saúde mental.

Este hospital disponibiliza serviço de internamento e ambulatório, com consulta externa especializada de psiquiatria, hospitalização parcial, reabilitação psicossocial e cuidados domiciliários.

Os serviços de internamento e ambulatório têm como destinatárias as pessoas residentes no Porto (exceto as freguesias de Bonfim, Campanhã e Paranhos), Matosinhos (novos casos de ambulatório são assumidos pela unidade local de saúde de Matosinhos), Póvoa de Varzim e Vila do Conde.

O internamento é também disponibilizado às populações de Arouca, Gondomar, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, São João da Madeira, Trofa, Vale de Cambra e Vila Nova de Famalicão.

A urgência psiquiátrica da área metropolitana do Porto funciona no Centro Hospitalar S. João, contribuindo o Hospital Magalhães Lemos com médicos psiquiatras para assegurar a constituição das equipas de urgência.

O Hospital Magalhães Lemos dispõe ainda, segundo o BE, de “um serviço de pedopsiquiatria reconhecido, altamente qualificado e diferenciado, que presta serviço a crianças em idade pediátrica (até aos dezoito anos de idade)”.

Laurus Nobilis vai ter palco para quem lá quiser atuar

O festival Laurus Nobilis, em Vila Nova de Famalicão, promete um cartaz “para quem gosta de música à séria”, com Dark Tranquility, Septicflesh e Infraktor como cabeças de cartaz e um palco para quem quiser atuar no evento.

“Temos um cartaz para quem gosta de música à séria, mas sobretudo temos a preocupação e o objetivo de dar palco a bandas portuguesas, além dos cabeças de cartaz”, explicou o diretor artístico, José Aguiar, esta segunda feira na apresentação da edição de 2018 daquele que quer ser “uma referência” nos festivais de verão.

Além dos cabeças de cartaz, o Laurus Nobilis de 2018 leva a Famalicão, de 26 a 28 de julho, bandas nacionais como Mata Ratos, Tarantula ou Cruz de Ferro, destacando-se ainda o palco “Faz a tua Cena”, que vai permitir “a quem quer que seja” atuar durante o evento.

“Não queremos ser só mais um festival. Queremos ser uma referência e temos feito caminho para isso ao nos especializarmos, de certa forma, no heavy metal. Temos ainda a particularidade de ser um festival de música dita pesada, mas num meio rural”, explanou.

Segundo José Aguiar, a escolha daquele género musical para desenhar o festival não é aleatória: “Fomos vendo que era o estilo que era mais rentável, mas este não é um festival só para quem gosta desse tipo de música. Temos ainda a área de campismo (gratuito), restauração, atividades, no fundo haverá o que fazer 24 horas por dia além dos espetáculos dos palcos principais”.

Como “grande novidade”, o responsável apontou o palco “Faz a Tua Cena”, que, disse, no fundo reflete uma das vertentes” que o Laurus Nobilis assume.

“É um palco dedicado ao público e a qualquer artista. Quem quiser inscreve-se, o pessoal chega ao palco e faz a sua cena”, explicou.

Com uma programação “75% gratuita”, o Laurus Nobilis é, para o embaixador do festival, António Freitas, “interessante e único”.

“Algumas pessoas dirão que ficou muito pesado, mas é bom porque devolve a vida, para não ser igual a tantos outros eventos”, referiu.

António Freitas destacou ainda a oportunidade que o festival dá ao trabalho dos músicos portugueses da área do heavy metal: “Este tipo de bandas são geralmente postas de parte e em Portugal temos muitas, cerca de 1.000. As pessoas não tem noção disso e têm tanto talento e valor como qualquer uma das bandas estrangeiras, o problema é que nunca têm a exposição que deveriam ter, seja em casas de espetáculos seja nas rádios”.

Para a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o Laurus Nobilis é a prova do “esforço da política cultural para diversificar a sua oferta e chegar aos mais variados públicos”, referiu o vereador da Cultura, Leonel Rocha.

Ângelo Meneses renova com o FC Famalicão até 2020

A época terminou no passado domingo e o FC Famalicão já trabalha na formação do plantel para 2018/2019. A primeira novidade é a continuidade de Ângelo Meneses até 2020. O clube anunciou o prolongamento do vínculo contratual, que terminava esta temporada, com o defesa central.

De saída estão Denner, Diogo Cunha, Fred, Jaime Poulson, Jefferson e Nuno Diogo que terminam contrato e já foram informados de que o FC Famalicão não conta com eles para a nova temporada.

Most Popular Topics

Editor Picks