Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho consagra “obra notabilíssima” de Joana Matos Frias

O prestigio e valor de um grande prémio pode medir-se pela qualidade dos premiados, pela idoneidade das instituições associadas e também pelo público que cativa. À décima edição do Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, instituído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores (APE) pode dizer-se que o galardão vive dias de grande êxito. A ensaísta Joana Matos Frias juntou-se a uma galeria de escritores admiráveis ao receber o prémio, na passada sexta-feira, perante uma plateia repleta de nomes grandes da literatura nacional. Para além das escritoras já premiadas Rosa Maria Martelo, em 2012, e de Isabel Cristina Rodrigues, em 2016, marcaram ainda presença na cerimónia que decorreu na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, a antiga ministra da Cultura Isabel Pires de Lima e o escritor Jorge Reis Sá, entre outras figuras da cultura.

“O Murmúrio das Imagens”, publicado em março, em dois volumes, pela editora Afrontamento, foi a obra que valeu à autora o galardão atribuído.

“Receber um prémio por aquilo que se gosta de fazer é só alegria e deslumbramento” começou por referir a autora premiada, salientando que quando recebeu a notícia ficou sem palavras e “aflita de tanto gostar”.

“Receber este prémio de ensaio Eduardo Prado Coelho é uma honra e uma enorme alegria, mas, também, uma grande responsabilidade”. “Trata-se de o meu trabalho ficar vinculado a um dos mais importantes pensadores da contemporaneidade” adiantou, considerando ainda “o ensaio como a maior liberdade do pensamento”.

O presidente da APE, José Manuel Mendes, evocou a “figura maior que dá nome a este grande prémio anual – Eduardo Prado Coelho – e tudo aquilo que ele representou”. O responsável descreveu ainda a obra de Joana Matos Frias como “uma obra notabilíssima”.

Por sua vez, o vereador da Cultura, Leonel Rocha, sublinhou a importância que este Grande Prémio de Ensaio tem para a autarquia, antes de mais porque acolhe a biblioteca do reconhecido autor e pensador, mas sobretudo porque “a educação e a cultura fazem parte da estratégia famalicense para promover o desenvolvimento do concelho e do território”.

De acordo com a sinopse do livro, “O Murmúrio das Imagens” consiste num “estudo que visa apresentar uma ponderada reconstituição teórica desse complexo vínculo entre Poesia e Imagem”. Através do cruzamento dos domínios elementares da retórica, da poética e da estética, este livro propõe “uma reflexão transdisciplinar que não se escusa mesmo a uma certa indisciplinaridade”.

Refira-se que Joana Matos Frias, professora auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, tem publicado ensaios no campo da estética comparada, privilegiando as correlações entre a poesia, a pintura, a fotografia e o cinema.

O Prémio Eduardo Prado Coelho já consagrou vários autores, desde 2010, como Vítor Aguiar e Silva, Manuel Gusmão, João Barrento, Rosa Maria Martelo, José Gil, Manuel Frias Martins, José Carlos Seabra Pereira, Isabel Cristina Rodrigues, Helder Macedo e agora Joana Matos Frias.

Maior congresso têxtil mundial de sempre começou em Vila Nova de Famalicão

Perto de 400 congressistas de 30 países deram em Vila Nova de Famalicão o pontapé de saída para a realização do maior congresso têxtil mundial que decorre no Porto até amanhã, 22 de outubro, com organização da ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal. O encontro anual da International Textile Manufacturers Federation (ITMF) começou com uma deslocação dos participantes à Cidade Têxtil de Portugal com uma cerimónia de receção realizada neste domingo, 20 de outubro, no Palácio da Igreja Velha, em Vermoim.

A Convenção ITMF é um congresso de partilha e troca de informações, debate de ideias e networking, sendo os temas escolhidos os mais emergentes na indústria têxtil, antecipando as estratégias e desafios de futuro. Segundo Mário Jorge Machado, presidente da ATP, a edição deste ano é “a maior convenção de sempre da ITMF e tem um foco muito especial no que se está a fazer no têxtil em Portugal”.

O Presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, deu as boas vindas dos congressistas ao “coração do têxtil português” e apresentou-lhes um município preparado para acolher e fazer crescer novos investimentos internacionais do setor, hipótese que o sul coreano Kihak Sung, presidente do ITMF, não descurou, notoriamente entusiasmado pela forma como Vila nova de Famalicão recebeu os congressistas.

A ITMF é uma associação internacional para a indústria têxtil mundial, com sede na Suiça e com a filiação de 34 associações e 74 empresas. Dedica-se ao intercâmbio e partilha de informação entre os seus membros, empresas têxteis e de vestuário. Realiza as suas reuniões magnas desde 1904, sendo esta a terceira vez que Portugal recebe a “ITMF Convention”, depois de 1969 e 1993. Uma clara demonstração da “dinâmica e importância que a indústria têxtil e vestuário portuguesa ganhou no negócio global do setor”, regista o diretor-geral da ATP, Paulo Vaz.

Aesacademy tem a receita para criar chefs de sucesso

É a profissão do momento. Ser chef de cozinha está no auge da moda e há cada vez mais gente a procurar esta área, no entanto, a profissão exige muita dedicação, algum talento e principalmente a formação adequada. Foi precisamente com o objetivo de oferecer conhecimento, mas principalmente prática, que António Rodrigues decidiu criar em outubro de 2017 a Aesacademy, uma academia de formação profissional na reciclagem de conhecimentos e na atribuição de competências. Desde então, já passaram por aqui mais de 300 formandos, muitos vindos do estrangeiro.

O edifício instalado num moderno e inovador cluster empresarial instalado na freguesia de Ruivães, em Vila Nova de Famalicão, dá nas vistas por fora, mas é por dentro que reside a verdadeira magia para uma receita de sucesso.

Uma equipa composta por mais de dez pessoas, das áreas do design, marketing e chefs trabalha num espaço que se assemelha a um estúdio de televisão. Numa cozinha tipo Master Chef, com diferentes salas de formação, a Aesacademy proporciona formação prática e certificada nas áreas de cozinha, pastelaria, serviço de mesa e bar. A atmosfera é a mesma dos grandes concursos televisivos: há chefs para avaliar, fotógrafos para registar, cronómetros para marcar o tempo, ingredientes para explorar. Tudo para garantir certificação de profissionais do canal HORECA (Área de atividade económica relativa aos hotéis, restaurantes e cafés).

Na passada sexta-feira, o espaço recebeu a visita do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no âmbito de mais um roteiro pela inovação no concelho.

O autarca salientou “as virtudes” do projeto, referindo que a estrutura que nasceu focada numa área especifica cedo percebeu que havia necessidades no mercado que exigiam outras competências e outros serviços, avançando para a verticalização e contribuindo para que outras propostas económicas pudessem crescer e ser bem-sucedidas.

Paulo Cunha valorizou ainda o sector da gastronomia, salientando que “é um setor que muito interessa a Famalicão, pela nossa tradição e pela dinâmica e fulgor turístico-cultural do concelho”.

Neste âmbito, destacou ainda a importância de qualificar os recursos humanos – desde os empresários aos cozinheiros, passando pela sala – “é essencial para as propostas na área da gastronomia serem bem-sucedidas”. “Mais que a história e a tradição, é importante que a nossa gastronomia tenha qualidade e valor acrescentado” sublinhou.

Por sua vez, o diretor geral da Aesacademy António Rodrigues explicou que “a legislação portuguesa obriga os empregadores a ministrarem várias horas de formação nesta área, no entanto, muitos acabavam por não desenvolver a componente prática e foi, por isso, que decidimos criar esta academia e esta equipa, oferecendo conhecimento e dando às empresas as competências para crescerem e terem sucesso”.

Sob a orientação de uma equipa liderada pelo chef Vítor Almeida, os formandos têm à sua disposição cursos para diferentes graus de conhecimento num modelo quase integralmente prático. “Desde o corte de legumes, ao empratamento, ao enquadramento nutricional, são ministrados vários níveis, numa formação essencialmente prática que é uma mais valia”, como salientou o chef.

O responsável explicou que “há muitas pessoas no mercado que nunca tiveram formação de base, nunca tiveram certificação e não conseguem acompanhar a evolução do mercado”. Entre os formandos há um pouco de tudo desde donos de restaurantes, que querem aprender a cozinhar para gerirem melhor as suas empresas, profissionais que tiveram a sua formação, mas que querem agora evoluir um pouco mais e ainda pessoas que têm paixão pela cozinha e querem mudar de profissão.

No espaço onde está implantada a academia com mais de três hectares, há também espaço para o cultivo de microlegumes, microvegetais, flores comestíveis e ervas aromáticas, do prado ao prato.

Mas há mais projetos a nascer. Neste espaço, onde a formação pode ser delineada à medida das necessidades dos formandos, a aposta centra-se, agora, na internacionalização e poderá passar, também, pela criação de oferta de alojamento, como adiantou António Rodrigues.

Morreu homem atropelado na passadeira em Calendário

O homem com 60 anos, atropelado esta noite numa passadeira, na freguesia de Calendário, não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer.

A situação aconteceu cerca das 20h15, na Rua de São Julião, nas proximidades da casa do F.C.Porto, e para o local foram chamados os Bombeiros Voluntários Famalicenses que, momentos depois, pediram o auxílio da equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) da unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Local onde a vítima foi atropelada

O óbito foi declaro no local e o cadáver vai ser encaminhado para a morgue de Famalicão.

A condutora que atropelou a vítima também foi transportada para o hospital por estar em “estado de choque”. O homem morava a poucos metros do local onde acabou por perder a vida.

A GNR tomou conta da ocorrência.

Homem atropelado na passadeira em Calendário

Um homem ficou com ferimentos considerados graves, depois de ser colhido por um carro, na noite deste domingo, numa das passadeiras da Rua de São Julião, em Calendário.

O alerta para os B.V.Famalicenses foi dado cerca das 20h15.

Dado a gravidade dos ferimentos, uma equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) foi chamada ao local.

[Atualização] Vítima acabou por falecer no local.

Veja a notícia atualizada

Morreu homem atropelado na passadeira em Calendário

Most Popular Topics

Editor Picks