Famalicão: Luto municipal pela morte de Cruzeiro Seixas

A Câmara Municipal de Famalicão decretou, esta segunda-feira, dia de luto municipal pelo falecimento de Artur Cruzeiro Seixas, artista plástico e poeta, um dos nomes do surrealismo português que, embora não sendo famalicense, deixou grande parte da sua obra à Fundação Cupertino de Miranda.

Artur Cruzeiro Seixas faleceu este domingo, aos 99 anos de idade, em Lisboa. «Partiu um amigo de Famalicão. Um artista único cuja obra vai permanecer viva em Famalicão. O município estar-lhe-á eternamente agradecido pela projeção cultural e artística que trouxe a Vila Nova de Famalicão. Aos seus familiares e amigos expresso as minhas mais sinceras condolências», afirma Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

Em 2015, foi-lhe atribuída a medalha de honra do município de Vila Nova de Famalicão; em 2013, Cruzeiro Seixas foi homenageado com a atribuição do seu nome a uma das principais ruas de acesso ao Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão.

Em outubro tinha sido distinguido, pelo Presidente da República, com a Medalha de Mérito Cultural, pelo «contributo incontestável para a cultura portuguesa».

Cruzeiro Seixas, que viveu uns anos na cidade de Famalicão, estará sempre ligado a esta cidade em virtude do seu espólio se encontrar na Fundação Cupertino de Miranda.

Artista plástico, poeta, Cruzeiro Seixas esteve ligado ao grupo “Os surrealistas”, ao lado de António Maria Lisboa, Mário Cesariny, Mário Henrique Leiria e Pedro Oom, entre outros. Foi consagrado, em 1989, com a atribuição do Prémio Artista do Ano, e com a edição de um álbum integrando numerosos testemunhos.

 

Cultura: Morreu Cruzeiro Seixas

Faleceu, este domingo, no hospital Santa Maria, em Lisboa, Mestre Cruzeiro Seixas, um dos maiores vultos do Surrealismo português. Em nota de imprensa, a Fundação Cupertino de Miranda (FCM), detentora do acervo artístico de Cruzeiro Seixas (1920-2020), «lamenta profundamente a perda deste vulto da cultura nacional, que apoiou e acompanhou ao longo dos anos», particularmente no período em que viveu em Vila Nova de Famalicão de 2012 a 2016.

Recorda-se que a FCM é detentora do seu maior acervo do artista constituído por cartas, postais, correspondência, cadernos manuscritos, fotografias, desenhos, catálogos, serigrafias, colagens, objetos, pinturas, entre outros.

Gustavo Assunção perdeu familiar uma hora antes do jogo com o Benfica

No final do jogo da noite desta quinta-feira, que terminou empatado a um golo, João Pedro Sousa, treinador do Famalicão, dirigiu as primeira palavras a Gustavo Assunção.

O jovem médio do Famalicão soube, uma hora antes do jogo, do falecimento de uma familiar próximo, mas não deixou de ser titular contra o Benfica

O treinador manifestou ao jogador e família a solidariedade do grupo de trabalho. «Ver um miúdo de 19 anos a dar uma resposta desta, após um acontecimento destes, só posso dizer que é uma máquina. Estamos triste por ele, mas fica aqui um abraço solidário»

 

Faleceu utente da Residência Pratinha

Um homem, de 88 anos, natural de Vila do Conde, utente da Residência Pratinha, em Cavalões, faleceu esta terça-feira.

A mulher, também infetada pelo covid-19,, está a ser tratada no hospital de Famalicão.

Recorde-se que o homem, tal como os restantes utentes da Pratinha, estava no Hospital Militar do Porto.

Faleceu Sá Marques, neto de Bernardino Machado

Faleceu esta terça-feira Manuel Machado Sá Marques, neto de Bernardino Machado, o famalicense que foi Presidente da República.

Manuel Sá Marques era médico, investigador e escritor. Por diversas vezes marcou presença em cerimónias que decorreram no Museu Bernardino Machado, organizadas pela Câmara Municipal de Famalicão.

Sá Marques tinha 96 anos de idade e faleceu em Lisboa, vítima de doença.

Funeral de Manuel Carvalho é esta sexta-feira, no Porto

Manuel Carvalho, falecido esta quinta-feira, vítima de doença prolongada, está em câmara ardente na capela mortuária da Igreja dos Capuchinhos, no Amial, Porto. O funeral decorre esta sexta-feira, às 10h30, com as exéquias fúnebres no mesmo local.

Natural de Requião, Manuel Carvalho foi sócio fundador do Círculo de Cultura Famalicense, instituição que serviu enquanto director e, mais tarde, assumindo a presidência da direção. Manuel Carvalho dividiu a sua vida empresarial (Gráfica da Trofa) com a associativa, tendo sido dirigente de várias instituições do concelho de Vila Nova de Famalicão e da região.

Nesta hora de profundo pesar, o CCF, proprietário CIDADE HOJE Rádio / Jornal / Televisão, apresenta as mais sentidas condolências à família enlutada.

Most Popular Topics

Editor Picks