Famalicão: Avançam as obras na estrada municipal entre S. Martinho e Portela

Arrancaram as obras de reparação do pavimento na Estrada Municipal 309, nas freguesias de Vale S. Martinho e União de freguesias de Vale S. Cosme, Telhado e Portela. A obra da Câmara Municipal de Famalicão implica um investimento de cerca de 95 mil euros, com um prazo de execução de 30 dias.

Os trabalhos servem para retificar o pavimento em faixa de rodagem, na zona de Vale S. Martinho, Vale São Cosme, Telhado e Portela que se encontra deteriorado pelo desgaste no tempo e pelas intervenções que aconteceram ao nível da rede de saneamento básico.

Trata-se, nas palavras de Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal, «de uma obra fundamental para a mobilidade nesta zona que abrange o cruzamento com a estrada 206, no lugar de Cruz de Pêlo até ao limite do concelho, na freguesia de Portela».

Os trabalhos serão executados somente na faixa de rodagem, com intervenções numa faixa de cada vez, condicionando assim o trânsito, que se fará de forma alternada.

 

Famalicão: Piso da Avenida 9 de Julho está a ser reparado

Começou a ser reparado, esta terça-feira, pela IP – Infraestruturas de Portugal, o piso da Avenida 9 de Julho, em Vila Nova de Famalicão.

A intervenção que está a ser realizada visa a reparação de alguns buracos existentes naquela via, e não a substituição do tapete em asfalto.

O objetivo é minimizar o mau estado da via enquanto não se procede a uma intervenção de fundo, como tem reclamado a Câmara Municipal e, mais recentemente, o deputado famalicense na Assembleia da República Jorge Paulo Oliveira.

Governo anuncia: Vem aí uma redução no preço das portagens da A28

“A ideia é trabalharmos num modelo de desconto de portagens para o interior e, também, para a Via do Infante [A22] e para a A28”, precisou Ana Abrunhosa, na intervenção final da audição parlamentar sobre a proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), que decorreu ao longo de cinco horas, na Assembleia da República.

De acordo com a responsável pela pasta da Coesão Territorial, o trabalho para a implementação de descontos nas portagens das autoestradas e vias rápidas “está avançado”, prevendo-se a apresentação de uma portaria “em breve”.

“Não está em causa abolir as portagens, está em causa reduzir as portagens”, reforçou a ministra, explicando que a proposta de redução das portagens se encontra em estudo, através de um grupo de trabalho constituído por membros dos ministérios da Coesão Territorial, das Infraestruturas e da Habitação e das Finanças, que está a trabalhar nas “prioridades” e em “vários cenários para a redução gradual das portagens”.

Lembrando que esta era uma promessa do Governo, Ana Abrunhosa assegurou que o grupo de trabalho responsável pela medida está a dar a “máxima das prioridades a este assunto” e a trabalhar num modelo de desconto de portagens “baseado em descontos de quantidade e descontos nos dias de descanso”, corrigindo a informação inicial de que abrangia apenas fins de semana.

“Gostaríamos muito que nos dias de descanso o desconto tivesse algum impacto, que beneficie os utilizadores frequentes, bem como aqueles que visitam o território”, declarou a governante, defendendo que “os impactos de uma pequena redução são sempre significativos”.

Assim, o Governo pretende “dar um sinal político para estes territórios e que se sinta no bolso das pessoas”.

“Não posso comprometer-me com datas, não posso comprometer-me com percentagens [de desconto], porque isso terá que ser anunciado em conjunto pelo grupo trabalho”, referiu a ministra da Coesão Territorial.

Trofa: Obras do Mercadona obrigam a corte parcial da N14 a partir do dia 6 e durante dois meses

Devido às obras de construção do Mercadona da Trofa, a Câmara Municipal informa que estão previstas algumas alterações na normal circulação do trânsito naquela cidade.

Pelo período de dois meses, e com início a 6 de janeiro de 2020, a Rua António Sousa Reis vai ter o trânsito cortado, estando os desvios devidamente assinalados no local.

Em paralelo, informa a autarquia trofense, a Rua D. Pedro V vai estar parcialmente cortada, com trânsito alternado com recurso a sinalização luminosa e policiamento por parte da GNR.

Mais informa que “esta fase das obras decorrerá sempre durante o período noturno”.

Governo está trabalhar numa nova legislação sobre segurança rodoviária para alterar sanções como as relacionadas com o uso do telemóvel

“Ao nível da legislação temos de melhorar determinadas situações, nomeadamente no que diz respeito às sanções”, disse Patrícia Gaspar, considerando que a condução sob efeito do álcool e com utilização de aparelhos, como os telemóveis, “são situações que não podem ser obviamente aceitáveis e põem em perigo a segurança de quem pratica estes atos e dos restantes condutores”.

A secretária de Estado participou numa conferência de imprensa de apresentação do balanço provisório da sinistralidade e fiscalização rodoviária de 2019 e da campanha de Natal e Ano Novo, promovida pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

Questionada sobre as alterações legislativas, Patrícia Gaspar referiu que o Governo está a trabalhar na legislação relativa à segurança rodoviária, sendo “a penalização e as sanções associadas a determinado tipo de infrações temas que estão em cima da mesa”.

“Não consigo garantir neste momento a 100% qual será o resultado final dessas decisões, mas posso garantir que é algo que está a ser trabalhado para que nos próximos meses possamos apresentar soluções alternativas ao que hoje em dia está estipulado”, precisou.

Assumindo que a segurança rodoviária é “uma prioridade” do Governo, Patrícia Gaspar adiantou que será também reforçada a fiscalização das infraestruturas rodoviárias e dada continuidade às campanhas de sensibilização, designadamente direcionadas para alvo específicos, como jovens.

A secretária de Estado considerou ainda fundamental “a componente do cidadão”.

“Por melhor que se trabalhe na área da fiscalização, por mais adequada que se seja a legislação em matéria de segurança rodoviária e por melhor que seja o socorro, há um papel fundamental e que depende de cada um de nós”, frisou, sustentando que “este é um desígnio nacional”.

Os dados hoje divulgados mostram que o número de mortos nas estradas diminuiu 7% no ano passado em relação a 2018, totalizando 472, mas os acidentes rodoviários, os feridos graves e ligeiros aumentaram.

“Falar de 472 vítimas mortais num ano é obviamente um número que não pode agradar a ninguém e não pode sobretudo trazer nenhum tipo de sentimento de confiança ou de trabalho completamente terminado, muito pelo contrário”, disse.

A secretária de Estado considerou ainda que “estes números não podem obviamente deixar satisfeitos, nem tão pouco com a sensação de missão cumprida”.

Most Popular Topics

Editor Picks