Acompanhe no facebook da Cidade Hoje debate sobre impacto da covid-19 no ensino

O impacto da covid-19 no ensino vai ser tema de debate promovido pela Cidade Hoje e com transmissão no facebook.

Pode acompanhar esta noite, a partir das 21 horas, as perspetivas das escolas, dos pais e da Câmara Municipal.

Cidade Hoje convidou Marco Magalhães, chefe de divisão da Educação na Câmara Municipal; Helena Pereira, diretora do Agrupamento de Escolas D. Sancho I; Amadeu Dinis, diretor da Escola Profissional CIOR; João Ruivo Meireles, do Colégio Machado Ruivo; e Antónia Oliveira, presidente da Federação Concelhia de Associações de Pais de Vila Nova de Famalicão.

Esta é mais uma conferência promovida pela Cidade Hoje depois do debate sobre o impacto da covid-19 na saúde/proteção civil e na economia.

É um debate que serve para apresentar ideias, fazer um balanço do impacto da covid no ensino e levantar algumas perspetivas sobre o ensino no próximo ano letivo.

Câmara aprova voto de louvor ao ensino famalicense

A classificação das escolas do concelho no ranking nacional, divulgado no passado fim de semana, mereceu um voto de louvor, aprovado por unanimidade, na reunião de Câmara desta quinta-feira.

A proposta, que foi levada pelo executivo liderado por Paulo Cunha, «é um reconhecimento merecido pelo trabalho desenvolvido por todos os agentes educativos».

«As sementes lançadas por toda a comunidade educativa, com um trabalho de proximidade, em rede, de complementaridade, têm dado os seus frutos», assinala Paulo Cunha que reconhece que sendo os resultados académicos «apenas uma das variáveis do excelente trabalho dos mais diversos atores e agentes educativos, devem ser, também, realçados, pelo esforço, dedicação, persistência e resiliência de todas as partes».

Recorde-se que segundo o ranking divulgado, VN Famalicão tem na Secundária Padre Benjamim Salgado, de Joane, a melhor do Distrito, sendo que a Camilo Castelo Branco e D. Sancho I também constam entre as melhores.

Está suspensa a entrega dos manuais escolares gratuitos

Os manuais escolares relativos ao ano letivo 2019/20 já não precisam de ser entregues. Por proposta do CDS-PP, aprovada no Parlamento, fica suspensa a obrigatoriedade de devolução dos manuais escolares gratuitos. A decisão, que teve apenas os votos contra do PS, tem por base a garantia de condições para a recuperação de matéria escolar em atraso, devido à suspensão das aulas presenciais.

Os pais manifestaram-se satisfeitos com esta medida mas alertam que algumas famílias já entregaram os livros. O prazo para a entrega arrancou na sexta-feira, dia que marcou o final do 3.º período, e terminaria a 28 de julho. Por isso, o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), Jorge Ascensão, espera que as escolas possam devolver os manuais às famílias que já os entregaram, porque os alunos irão precisar deles no próximo ano letivo.

A proposta partiu do CDS e teve a aprovação dos restantes partidos, com exceção do PS que votou contra. A referida proposta faz parte do conjunto de alterações ao Orçamento de Estado Suplementar que esta terça-feira começou a ser discutido e votado na especialidade.

Os pais já tinham manifestado apreensão em relação à obrigatoriedade de devolver os manuais escolares utilizados este ano, questionando como é que os alunos iriam recuperar os conteúdos que ficaram por lecionar no 3.º período, sem o apoio dos livros.

Escolas de Famalicão vencem Concurso de Ideias empreendedoras

O Ecoponto das emoções, do Agrupamento de Escolas D. Sancho I – 2.º ciclo; O Help School, do Agrupamento de Escolas de Pedome – 3.º ciclo; e o Sanvo, do Agrupamento D. Sancho I – secundário/profissional, foram os projetos vencedores do Concurso de Ideias – Escolas Empreendedoras IN.Ave.

O anúncio foi feito na passada sexta-feira. O concurso faz parte do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Ave, da CIM do Ave.

Para além destes primeiros lugares, o concelho de Famalicão registou, ainda, outras distinções. No 3.º ciclo, a EB 1,2,3 de Gondifelos arrecadou o segundo lugar, com Seniores na Horta; igual lugar, no ensino secundário/profissional, foi conquistado pelo Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, com o projeto Agrotec.

Famalicão: Escolas de Gondifelos e Ribeirão vencem prémio de escrita criativa

As turmas do 5.º 1 da EBI de Gondifelos e 6.º F da EB2,3 de Ribeirão venceram o Concurso de Escrita Criativa intitulado “tODoS por um mundo melhor”, promovido pela Rede Municipal de Leitura Pública de Famalicão, no âmbito do projeto “ODS: juntos mudamos o mundo”.

A turma do 5.º 1 venceu nas categorias “Erradicar a Fome” e “Erradicar a Pobreza” enquanto a turma 6.º F venceu na categoria Saúde e Qualidade.

Inscreveram-se para este concurso 26 turmas dos Agrupamentos de Escolas de Gondifelos, Ribeirão, D. Sancho I e Camilo Castelo Branco.

A iniciativa foi dinamizada, em contexto de sala de aula, pelas técnicas do serviço educativo e cultural da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco que apresentaram, numa primeira fase, o projeto “ODS: juntos mudamos um mundo” e a dinâmica do concurso e, numa segunda fase, realizaram uma oficina de escrita criativa junto de cada uma das turmas inscritas para ajudar na estruturação e construção dos textos.

O júri do concurso, constituído por Isaura Costa, técnica superior do Município de Famalicão, António Pires, coordenador interconcelhio das Bibliotecas Escolares de Vila Nova de Famalicão e Fátima Almeida, autora local, selecionou os vencedores desta primeira edição.

O objetivo final seria criar um conto infantojuvenil onde o assunto central refletisse os temas abordados no ano letivo. No final, será publicada uma coleção de 17 contos interativos digitais com todos os textos vencedores das edições realizadas.

Recorde-se que a Rede Municipal de Leitura Pública ciente da importância dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, instituídos pela ONU em 2015, criou um projeto intitulado “ODS: juntos mudamos um mundo”, com o pretexto de dar a conhecer e dinamizar com a comunidade escolar os 17 ODS, através de diversas iniciativas educativas e culturais, dirigidas a todos os ciclos de ensino com propostas de atividades diferenciadas.

Retirada do amianto em quatro escolas de Famalicão

O Governo vai retirar as placas de amianto das Escolas Básicas Conde de Arnoso (Arnoso Stª Maria), D. Maria II (Gavião), Dr. Nuno Simões (Calendário). A Escola Básica Júlio Brandão também está incluída, embora parte já tenha sido retirada.

A lista das novas escolas alvo de obras para retirada de amianto foi divulgada esta terça-feira. Esta remoção das placas, cujas datas ainda não são conhecidas, é suportada pelo Programa Operacional Regional Norte 2020. O valor total é de 60 milhões de euros.

Estão incluídos 578 estabelecimentos de ensino, repartidos por todo o país, do pré-escolar ao secundário, sendo que 218 ficam no norte do país.

A utilização de fibras de amianto foi proibida em 2005 por motivos de saúde e daí para cá têm vindo a ser removidas de forma gradual de estabelecimentos públicos, que não apenas escolas.

Most Popular Topics

Editor Picks