Famalicão: Câmara obriga ARRIVA a cumprir horários e percursos do transporte escolar

Segundo o município, a empresa de transportes ARRIVA não cumpriu, neste arranque de ano letivo, os percursos e horários acordados no que diz respeito ao transporte escolar. Confrontada pela Câmara Municipal de Famalicão, a empresa reconheceu o erro e promete corrigir a situação que está a afetar vários itinerários. A autarquia promete manter-se atenta. Conheça o comunicado:

COMUNICADO | Perturbação no serviço de transportes escolares

“No processo de preparação do ano letivo 2020/2021, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão procedeu, como habitual, à articulação do serviço de transporte público de passageiros com os Agrupamentos de Escola e as empresas do setor que operam no concelho e possuem licença de concessão.

O processo foi ajustado, em termos de horários e de percursos, para dar cabal resposta às necessidades dos alunos e das famílias, no pressuposto do cumprimento da universalidade da gratuitidade dos passes escolares que se verifica em Famalicão, com a autarquia a assumir, como no ano anterior, a totalidade do pagamento dos passes a todos os alunos do concelho, desde o ensino básico até ao 12.º ano. Uma medida que abrange cerca de 5 mil alunos famalicenses num investimento total de 1,9 milhões de euros por ano.

Contudo, no primeiro dia do ano letivo, a Câmara Municipal e a comunidade escolar foram confrontadas com o incumprimento por parte da empresa de transportes ARRIVA de percursos e horários articulados, sem que esta tenha dado conhecimento ao município e às escolas de eventuais alterações. A situação originou graves constrangimentos no serviço prestado, tendo prejudicado alunos e famílias de Famalicão.

Perante esta inadmissível situação, a Câmara Municipal exigiu de imediato explicações à empresa, tendo recebido, hoje, sexta-feira, 18 de setembro, o reconhecimento do incumprimento por parte desta e a garantia da imediata normalização do serviço prestado.

A Câmara Municipal vai estar muito atenta a esta situação e não vai deixar de utilizar todos os meios ao seu alcance para que o serviço de transporte público rodoviário decorra com a normalidade habitual e da forma que foi articulado entre empresas, escolas e autarquia. A regularidade do serviço é uma exigência absoluta da Câmara Municipal para com as empresas responsáveis. Por isso, o Município não deixará de pedir responsabilidades à empresa pela grave situação provocada no primeiro dia de aulas.”

Famalicão tem ensino artístico de dança

Vinte e cinco alunos, do 5.º e do 7.º ano, estão a frequentar o ensino artístico e especializado da dança, em regime articulado. Foi possível devido a uma parceria entre o Conservatório de Dança de Vila Nova de Famalicão, o município e o Agrupamento de Escolas D. Sancho I. Projeto que foi reconhecido oficialmente pelo Ministério da Educação, através da DGEste.

As aulas são nas instalações da Escola Dr. Nuno Simões, em Calendário.

Reconhecendo a importância do ensino artístico e especializado da dança, o município está a financiar parcialmente em 50 por cento o valor da propina, reforçando depois o apoio conforme o escalão do aluno A ou B, tendo em conta que neste ano letivo ainda não foi atribuído financiamento do Estado.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, «este projeto corresponde a uma ambição da comunidade famalicense, pois são cada vez mais aqueles que se formam na dança e que gostariam de fazer parte do projeto educativo». O autarca salienta que se trata de «trazer para a educação formal aquilo que é a sua escolha formativa. É a junção dos dois mundos».

Famalicão: Presidente da Câmara satisfeito com a forma como as escolas estão a preparar o ano letivo

Na semana de abertura do ano letivo, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, visitou a Escola Secundária D. Sancho I, para se inteirar do plano de segurança que está a ser implementado para a prevenção contra a covid-19.

No final, mostrou confiança de que o arranque do ano letivo vai correr bem. «Saio daqui com a certeza absoluta que tudo aquilo que resulta da ação humana está feito nesta escola. Tudo aquilo que a Câmara Municipal, a escola, as associações de pais, juntas de freguesia e comunidade educativa no seu todo, podiam fazer, está feito. A escola está de portas abertas e está pronta para receber os alunos», analisou

Paulo Cunha que esteve, esta terça-feira, na Escola D. Sancho I acompanhado do vereador da educação, Leonel Rocha, e da diretora do Agrupamento, Helena Pereira.

Aos mais jovens, o presidente da Câmara deixou uma mensagem de confiança e otimismo: «venham com muita vontade de aprender e com a certeza de que estão a fazer tudo pela vossa segurança e proteção da saúde. Hoje, a escola está mais competente e mais qualificada», afirmou.

Da parte da Escola, com a colaboração da Associação de Pais e da Junta de Freguesia, «os principais cuidados estão relacionados com a organização do próprio espaço, com a necessidade que tivemos de reforçar todas as condições de segurança, mais especificamente os circuitos que estão claramente definidos, para que os jovens possam cumprir as regras fundamentais e evitem os cruzamentos e os contactos», revela a diretora.

Helena Pereira conta que houve um reforço em todas as salas de aula, no que diz respeito aos equipamentos de higiene, nomeadamente o gel desinfetante e produtos de desinfeção de equipamentos.

Apesar de todas estas medidas preventivas, a responsável afirmou que «um aspeto fundamental é o envolvimento dos jovens no cumprimento das novas regras. Por isso, estamos a fazer uma aposta fundamental na sensibilização e na cidadania dos nossos jovens».

Refira-se que a Câmara Municipal entre outros apoios, assumiu todo o investimento com a produção e colocação de sinalética e informações nas escolas do concelho. Foi um trabalho desenvolvido em rede e em colaboração com os agrupamentos de escolas e comunidade educativa.

Famalicão: Agrupamento Camilo Castelo Branco apresenta plano para funcionamento das aulas em tempo de covid-19

Os alunos do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco regressam às aulas no dia 17 de setembro. Mas entre os dias 14 e 15, os encarregados de educação dos alunos do 1.º ciclo vão reunir com os professores. No dia 16 os alunos reúnem com os diretores de turma para conhecerem os horários e as regras de funcionamento da escola.

Além do uso de máscara e da higienização das mãos, estudantes e professores têm que seguir circuitos diferenciados; só há um intervalo no exterior da sala de manhã e outro intervalo à tarde, com horários desencontrados entre as turmas.

Na maioria dos anos, as turmas terão aulas só de manhã ou só de tarde e sempre na mesma sala, com exceção dos laboratórios e da educação física. Nesta disciplina, haverá aulas teóricas e outras práticas, sempre que possível no final no período letivo de cada dia. Tudo para evitar muitos meninos nos balneários.

Há horários desfasados para as refeições, para evitar a concentração. Ajuntamentos no bar, papelaria ou outros espaços de uso comum não serão permitidos.

O diretor do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco solicita a toda a comunidade escolar, incluindo às famílias, para que as regras sejam cumpridas. Carlos Teixeira acredita que a colaboração e o civismo vão ajudar a evitar os contágios.

Famalicão: Selo de qualidade para o ensino profissional da Didáxis

O ensino profissional da Didáxis, de Riba de Ave, vai iniciar o novo ano letivo com o Selo de Conformidade EQAVET que foi atribuído no passado dia 14 de agosto, pela Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP).

Este selo, que é válido por 3 anos, certifica que o ensino ministrado é de qualidade e, simultaneamente, permite uma avaliação e consequente implementação de ações fundamentais para o processo de melhoria contínua.

A escola vê, assim, concluído o processo de implementação do Sistema de Garantia da Qualidade, alinhado com o Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para o Ensino e a Formação Profissionais (Quadro EQAVET).

Most Popular Topics

Editor Picks