Famalicão: Engenho distinguida com o Prémio BPI “la Caixa”

A Engenho é uma das entidades distinguidas com o Prémio BPI “la Caixa” Seniores, sendo a única famalicense entre as 24 selecionadas em todo o país.

No total são distribuídos 750 mil euros, o que dá à Engenho a quantia de 31.250 euros.

Os prémios inserem-se na política de responsabilidade social do BPI e são financiados pela Fundação ”la Caixa”, entidade que desde 2018 impulsiona iniciativas de carácter social, científico e cultural.

Estes prémios BPI “la Caixa” destinam-se a promover a integração social e o envelhecimento ativo de pessoas em vulnerabilidade social. Por isso, vários dos projetos distinguidos atuam nos domínios dos serviços domiciliários, de combate ao isolamento social e do apoio às demências.

No total, os projetos selecionados vão apoiar 3.300 beneficiários diretos.

Este ano, que vai na 8.ª edição, foram recebidas 214 candidaturas, que foram sujeitas a avaliação segundo critérios de qualidade, sustentabilidade e relevância dos projetos.

Manuel Araújo continua à frente da Engenho

Manuel Augusto de Araújo foi reeleito presidente da direção da ENGENHO – Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este – nas eleições dos órgãos sociais para o quadriénio 2020/23, realizadas na manhã do passado domingo, dia 29.

A única lista apresentada a sufrágio foi aprovada com 50 votos a favor, sem votos contra, brancos ou nulos.

Para o este mandato, Manuel de Araújo, e toda a equipa que o acompanha, tem como grandes objetivos “continuar a assegurar a sustentabilidade económica e financeira da associação, proceder a obras de requalificação do Centro de Apoio Comunitário e manter os níveis de qualidade das respostas sociais e serviços da Instituição, sempre marcados pela inovação”. Paralelamente, este responsável pretende fazer com que a ENGENHO “nunca perdendo o seu rumo”, se ajuste às novas realidades e contextos do território e das comunidades que serve, assumindo – se, cada vez mais, como um “parceiro e ator privilegiado, sempre ativo e interveniente nas dinâmicas e projetos de desenvolvimento local e comunitário no Vale do Este, nas suas diversas dimensões”.

Consciente do “muito que já foi feito”, Manuel de Araújo refere que quer que a ENGENHO faça ainda “mais, melhor e diferente”, sabendo encontrar com ” pragmatismo” as melhores soluções por forma a ultrapassar eventuais constrangimentos e adversidades que possam surgir às organizações do setor social e solidário.

A assembleia geral continua a ser presidida por Mário Martins e o conselho fiscal por Agostinho Costa. A cerimónia da tomada de posse dos membros dos órgãos sociais, agora eleitos, realizar-se-á no decorrer deste mês de janeiro

Most Popular Topics

Editor Picks