Empreendedores famalicenses comercializam Baby Box

A startup famalicense Baby Box, instalada na Incubadora Famalicão Made IN – Polo Edifício Globus, em Vilarinho das Cambas, tem à venda no site (www.babybox.pt), a baby box, uma caixa de cartão, especialmente desenhada para caber no interior de berços e camas de grades de bebés, embora também possa ser transportada para outros sítios.

Este conceito, que nasceu na Finlândia, na década de 30, tem por objetivo promover práticas de sono mais seguras, prevenindo a síndrome da morte subida do bebé. Verónica Macedo e João Cortinhas estiveram seis anos na Inglaterra e voltaram para Portugal para transformar esta ideia em negócio.

A Baby Box é uma caixa de cartão certificada e muito confortável. Pelas suas medidas (68 centímetros de comprimento por 42 de largura), a Baby Box reduz a tendência de pôr objetos, peluches, brinquedos e almofadas no berço, uma prática que pode potenciar mortes por asfixia.

Para além da caixa, que aguenta um peso até dez quilogramas, a Baby Box inclui ainda um colchão ajustável, uma cobertura impermeável e um lençol 100% de algodão.

Pode ser adquirida por 34,95€, a partir do dia 1 de junho, data em que começam a aceitar encomendas. O valor já inclui portes de envio e a marca envia para qualquer ponto de Portugal Continental. As Ilhas serão incluídas em breve.

João Cortinhas vê a caixa como «um meio para um fim, funcionando como um objeto educativo para os adultos». Reconhece que «isolada suscita uma certa “estranheza”, mas, aliada à educação, sente-se uma abertura completamente diferente».

CM Socks cresce para o mundo

A CM Socks – Peúgas Carlos Maia é mais uma empresa famalicense a ganhar notoriedade e reconhecimento nacional e internacional. A empresa, com sede na Carreira, produz, por ano, cerca de 26 milhões de pares de meias e prevê fechar 2019 com um volume de negócios na ordem dos 14 milhões de euros, mais um milhão do que no ano anterior.

Recentemente anunciou um investimento de meio milhão de euros para a compra de 30 teares, com o objectivo de dar resposta ao aumento do volume de encomendas.

Com fábricas de produção nas freguesias da Carreira e Bente, a CM Socks está em contínua expansão, apostando, cada vez mais, na internacionalização.

Como prova dessa aposta, foi uma das empresas que integrou a comitiva municipal que, em novembro passado, esteve na Feira Internacional de Havana (Fihav), em Cuba, onde recebeu a Medalha de Ouro. O galardão, relativo ao Prémio Inovação, contemplou as meias “Prevent Sprain” que previnem as entorses e cuja tecnologia está patenteada em 143 países.

Desenvolvidas em colaboração com a Escola Superior de Saúde do Porto, as “Prevent Sprain” têm um reforço nas zonas particularmente sensíveis dos ligamentos, prevenindo entorses, diminuem a fadiga muscular e dão estabilidade e conforto ao pé.

Carlos Maia, proprietário da empresa, realça que, entre mais de 100 países, apenas foram atribuídas seis medalhas, sendo que uma delas veio para Famalicão. O vereador da Economia e Empreendedorismo da Câmara de Famalicão, Augusto Lima, sublinhou que é muito gratificante «ver a afirmação internacional das empresas famalicenses. Bem como é relevante assistir à conquista de um prémio inovação numa feira para além do espaço europeu. Parabéns à CM Socks pela medalha de ouro na FIHAV – Feira Internacional de Havana. A economia famalicense cada vez mais no mapa mundial», escreveu, na ocasião, Augusto Lima na sua página de Facebook.

Fundada em 1995 por Carlos Maia, a empresa foi alvo de uma reestruturação em 2017, quando deixou para trás o fabrico de meias básicas para se dedicar aos artigos mais técnicos e de alta qualidade, como as meias sem costura e para a área da saúde.

Most Popular Topics

Editor Picks