2020 «será um ano de grandes investimentos materiais» em Famalicão

O próximo ano «será um ano de grandes investimentos materiais», que se vão somar «ao forte investimento imaterial previsto para o programa de governança do território, para os projetos de descentralização cultural, para a promoção de uma Educação para Todos, e de Mais e Melhores Anos para os seniores, para além dos projetos e ações sociais de apoio aos mais desfavorecidos», assume o presidente da Câmara Municipal. Do Plano e Orçamento para 2020, Paulo Cunha fala de «opções estratégicas que constituem uma verdadeira alavanca para o futuro do território».

A Educação e Conhecimento é o capítulo maior do documento que Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou, esta tarde, em reunião extraordinária do executivo municipal. Com um valor global de 111 milhões de euros para gerir, que incluem um encaixe de cerca de 11 milhões de euros em fundos comunitários, associados às obras FEDER aprovadas, no âmbito do Plano de Ação para a Regeneração Urbana, o plano de atividade do próximo ano da autarquia surge com o mote “Promover a Educação de Sucesso para Todos”.

É um Plano ambicioso e arrojado, mas estas são caraterísticas que assentam bem em Famalicão e em cada um dos nossos concidadãos

O documento prevê o desenvolvimento de uma centena de projetos e ações para garantir que a Educação seja o grande fator de coesão social, associado ao tecido empresarial e institucional famalicense. Para o fazer, está reservada uma fatia de 15,5 milhões de euros que serão aplicados em várias ações e programas.

Neste capitulo, cabe a assunção de tarefas que foram do Estado, através do programa Aproximar Educação, e da aposta do município na formação profissional em conjugação de esforços entre agentes educativos locais e o tecido empresarial e social, de que é exemplo o projeto que está a ser desenvolvido no Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior (CIIES), criado pelo município em Vale S. Cosme, nas instalações da antiga escola Didáxis.

Outra das prioridades do próximo ano é a coesão social e a governança do território, através de ações de descentralização cultural, da aposta na autonomia das Juntas de Freguesia e da capacidade de realização das Comissões Sociais Interfreguesias.

A renovação urbana também aparece com destaque. As Grandes Opções do Plano e Orçamento apontam para um investimento histórico que vai dotar o concelho com um novo mercado municipal e um novo espaço cultural, em Riba de Ave. Vai, ainda, arrancar a construção de uma rede de ciclovias intraurbana e será concluída a via ciclável e pedonal, com 10 quilómetros de extensão, no antigo canal ferroviário que ligava Famalicão à Póvoa de Varzim.

Confederação de pais pede polícia nas escolas de forma permanente

“A CNIPE sugere ao Ministério da Educação que coloque agentes das forças de segurança pública nas escolas, de forma permanente, de modo a que possam servir como elemento dissuasor e mediador de qualquer tipo de conflito físico, garantindo a segurança de toda a comunidade escolar”, refere a entidade num comunicado.

Esta posição da CNIPE surge na sequência de notícias, “nas duas últimas semanas, e de forma quase diária” de atos de violência, envolvendo não só alunos, mas também professores.

Contudo, a CNIPE cita dados já antigos do Gabinete de Segurança Escolar do Ministério da Educação, segundo os quais o número de ocorrências registadas pelos diretores das escolas desceu de 1.321 no ano letivo de 2013/2014 para 422 no ano letivo de 2016/2017.

A CNIPE analisa, “com base nestes mesmos dados, e de entre os vários tipos de agressões”, que as físicas continuam a representar a maioria das queixas.

“Estes dados reportados pelos diretores contradizem, de alguma forma, as últimas notícias. No entanto, foi disponibilizada, este ano letivo, uma plataforma ‘online’ para que os diretores das escolas possam denunciar, de uma forma mais célere, os atos de ‘bullying’ nas escolas”, acrescenta.

A CNIPE “lamenta profundamente todos estes atos, entendendo que tudo deverá ser feito para minimizar ou, idealmente, acabar, com este tipo de comportamentos e atitudes”.

“Não basta os diretores escreveram na plataforma. Os casos devem ser, desde logo, mediados e tratados através de procedimentos disciplinares e com recurso às forças de segurança pública”, sublinha a confederação.

Candidaturas às bolsas de estudo ao ensino superior decorrem entre 15 de outubro e 15 de novembro

Decorre entre 15 de outubro e 15 de novembro o período de candidaturas para a concessão de bolsas de estudo do munícipio de Vila Nova de Famalicão aos alunos famalicenses que frequentam o ensino superior (licenciatura e mestrado), público ou privado.

Há mais de dez anos que a autarquia famalicense, através do Pelouro da Juventude, atribui anualmente bolsas de estudo aos alunos do concelho que frequentam o ensino superior. No ano letivo 2018/2019 foram entregues 283 bolsas – com apoios que oscilam entre os 1100 euros e os 500 euros – num investimento na ordem dos 183 mil euros, o que atesta bem a aposta do executivo municipal na promoção da formação superior dos jovens famalicenses.

As candidaturas podem ser formalizadas através de uma nova plataforma que estará disponível entre 15 de outubro e 15 de novembro, no site da Juventude de Famalicão, em www.juventudefamalicao.org, onde está também disponível o regulamento para a atribuição das bolsas de estudo. Para mais informações os jovens famalicenses devem contactar a Casa da Juventude através do e-mail [email protected] ou do telefone 252 314 582/3.

Esta medida do município é encarada como mais uma aposta estratégica fundamental nos jovens famalicenses através da criação de condições de igualdade no acesso ao ensino e da criação de motivos para o fortalecimento do sentimento de pertença ao concelho.

Os melhores e mais eficazes investimentos são aqueles que se fazem nas pessoas, na sua qualificação e formação. O sucesso destes jovens será também um dia o sucesso de Vila Nova de Famalicão

Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Agrupamento de Ribeirão também é Escola Saudável

O Agrupamento de Escolas de Ribeirão também foi distinguido com o Selo Escola Saudável, atribuído pela Direção-Geral da Educação, no âmbito do Programa de Apoio à Promoção e Educação para a Saúde (PAPES).

Com a atribuição deste Selo, pretende-se continuar a reconhecer o mérito deste Agrupamento de Escolas que, através das suas práticas, contribua para a promoção de relações interpessoais saudáveis, o envolvimento de toda a comunidade educativa e para uma imagem positiva da escola.

Este selo foi atribuído pela segunda vez (agora no nível intermédio) em candidatura efetuada pela equipa da saúde escolar na segunda edição do Selo de Escola Saudável e será válido para os dois próximos anos letivos (2019/20 e 2020/21).

Agrupamento D. Sancho I com Selo Escola Saudável

Pela segunda vez, o Agrupamento de Escolas D. Sancho I alcançou a menção mais elevada do “Selo Escola Saudável”, nível III (avançado), atribuído pela Direção Geral de Educação. Com este prémio foi reconhecido o mérito do agrupamento, que tem contribuído, através das suas práticas, para a promoção de relações interpessoais saudáveis, da saúde e do bem-estar de todos os elementos da comunidade educativa.

Na cerimónia de entrega do Selo Escola Saudável, que decorreu no dia 26 de setembro, na Escola Básica e Secundária do Cerco, no Porto, estiveram presentes a diretora do Agrupamento, Helena Pereira, e Lurdes Oliveira e Ana Santos, professoras da equipa PES.

O Selo Escola Saudável distingue os agrupamentos e escolas que se destacam na promoção da literacia em saúde, através de práticas de referência na adoção de estilos de vida saudáveis e que abordam a saúde de forma sistemática e integrada, inscrevendo essa política no projeto educativo.

A direção do Agrupamento agradece à comunidade educativa e deseja que este selo seja um estímulo à participação, empenho e compromisso de todos na construção de uma Escola Saudável.

Most Popular Topics

Editor Picks