Famalicão: O crime foi em 2006, o julgamento em 2020

O Ministério Público acusa um homem de matar outro e de o ter enterrado num pinhal, em Landim. Além de homicídio qualificado agravado, profanação de cadáver, está acusado de detenção de arma proibida.

Os factos já remontam a 2006. Dois alegados amigos foram para um pinhal, isolado, experimentar uma arma. A vítima mortal era toxicodependência e procurava vender uma espingarda caçadeira de dois canos sobrepostos serrados. O arguido acabou por disparar para amigo, quando este se encontrava de costas a não mais de seis metros. Dando conta da morte do amigo, enterrou-o no local do crime.

A investigação nunca apurou o que aconteceu a esta vítima. Foi o próprio autor do crime que confessou o que aconteceu dez anos depois de ter matado o amigo.

Dezoito anos de prisão para homicida de Fermentões

O homem que em abril de 2019 esfaqueou quatro pessoas, acabando por matar uma mulher, de 46 anos, em Fermentões, Guimarães, foi condenado a 18 anos de prisão e ao pagamento de cerca de 230 mil euros em indemnizações.

José das Neves Ferreira, de 53 anos, foi condenado esta quarta-feira pelo Tribunal de Guimarães que deu como provado que o homem alterou-se quando ouviu um rapaz a cantar “maluco, maluco”, tendo puxado de um objeto cortante e desferiu-lhe vários golpes.

Depois desta agressão, o homem ainda esfaqueou mais três pessoas, entre as quais Maria José Dias, de 46 anos, a quem desferiu sete facadas, causando-lhe a morte.

José das Neves Ferreira, desempregado, foi condenado por um crime de homicídio simples, outro de tentativa de homicídio e dois de ofensa à integridade física.

PSP reforça proteção às vítimas de violência doméstica

A PSP recebeu em março 585 denúncias de violência doméstica, menos 15% do que no mês homólogo de 2019, uma quebra que, no entanto, pode não corresponder à realidade, pelo que vai reforçar a proteção às vítimas.

A força de segurança já iniciou a intensificação dos contactos pessoais com as vítimas de violência doméstica, no sentido de apurar da estabilidade da vivência familiar e, se necessário, proceder à imediata reavaliação individualizada de risco e reajuste das medidas de proteção da(s) vítima(s), lê-se num comunicado da Polícia de Segurança Pública (PSP.

A PSP refere que no contexto de emergência na pandemia de covid-19 tem dedicado grande atenção a algumas tipologias criminais que, potencialmente, podem conhecer agravamentos e ou novas formas de concretização.

Neste contexto, o crime de violência doméstica merece maior atenção e cuidado na análise e resposta. O confinamento domiciliário que as famílias têm de observar poderá propiciar condições particularmente gravosas para que este crime ocorra de forma pouco percetível.

Apesar do diminuição de queixas face ao período homólogo, em março foram feitas 36 detenções, mais quatro do que no mesmo mês de 2019.

A PSP lembra que o crime de violência doméstica continua a ser um dos que merece reação e investigação prioritárias, mesmo em estado de emergência.

Riba d’Ave: GNR detém homem responsável por furto a uma residência

A GNR de Riba d’Ave deteve, esta sexta-feira, um homem de 39 anos que terá sido o responsável pelo furto a uma residência naquela vila famalicense.

Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, as autoridades recuperaram diverso material furtado, na sequência de duas buscas domiciliárias fruto da investigação que já decorria há três meses.

Uma máquina de lavar e secar roupa, um micro-ondas, um esquentador, e uma espingarda fazem parte da lista de material encontrado.

Sabe-se também que o suspeito tem antecedentes criminais por furto qualificado e consumo de estupefacientes. No momento da detenção, tinha em sua posse mais de 100 doses de droga, telemóveis, dinheiro, armas de fogo, e armas brancas.

O detido foi constituído arguido e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

 

Detido presumível responsável por ter roubado carro que abandonou em Famalicão

Foi detido pela GNR, em Vila Nova de Gaia, o presumível autor do crime de furto de uma viatura deixada ao abandono, no último fim de semana, na freguesia de Cruz, em Vila Nova de Famalicão. O carro foi roubado no Porto, tendo sido localizado este domingo por populares na N14, sem bancos e com a ignição ligada.

O suspeito é um homem de 34 anos que já estava a ser investigado há 5 meses. Foi detido na sequência de mais um crime de carjacking, a uma condutora em Vila Nova de Gaia, no passado dia 27 de janeiro.

Além destes crimes, o detido, que já tem antecedentes criminais, responde ainda por utilização de matrículas falsas e abastecimentos de combustível sem efetuar pagamento.

Recorde a notícia:

Carro roubado no Porto é encontrado em Famalicão sem bancos e com a ignição ligada

Braga e Porto: PJ apanha quatro homens suspeitos de assaltos violentos

A Polícia Judiciária anunciou este sábado a detenção de quatro homens, com idades entre os 31 e os 50 anos, pela prática de 10 crimes de roubo com recurso a armas de fogo, nos concelhos de Braga e Porto.

Em comunicado enviado às redações, esta força policial refere que os suspeitos “apropriaram-se de cerca de 400 mil euros” e que os factos terão tido início em março de 2019.

De acordo com a informação disponibilizada, uma boa parte dos crimes eram violentos e relacionados com carrinhas de valores ou funcionários que abasteciam multibancos.

O último assalto, na sexta-feira, “consumou-se na Senhora da Hora, concelho de Matosinhos, tendo os arguidos sido detidos poucos momentos depois, ainda na posse da quantia de 30 mil euros, que tinham acabado de roubar à vítima, e de uma arma de fogo”.

Nas buscas realizadas, na sequência das detenções, foram recuperados 15 mil euros em dinheiro, roupa e automóveis usados nos assaltos.

Três dos detidos têm antecedentes criminais e todos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial e aplicação das adequadas medidas de coação.

Most Popular Topics

Editor Picks