Famalicense que assaltava residências no Minho em 2017/2018 começou a ser julgado

É famalicense um dos membros do gangue que está a ser julgado no Tribunal de Braga por suspeitas de assaltos a residências e a uma agência do banco Santander.

O gangue tem dez arguidos. Nove são homens e estão pronunciados pelos crimes de associação criminosa e furto qualificado. A mulher é acusada de furto qualificado.

Um dos membros do gangue é Paulo Pereira, de Famalicão, que é irmão de outro arguido, Vítor Pereira, que reside em Vila do Conde. Os outros arguidos são de Braga e há um de Ponte de Lima, que é agente PSP, e quem alegadamente dava informações, a troco de dinheiro, sobre as casas a assaltar.

O gangue terá estado ativo entre 2017 e 2018. É suspeito de assaltos a várias residências no Minho, mas não estão mencionadas casas de Famalicão. Terá sido também este grupo que retirou 4,2 milhões de euros em dinheiro de 52 cofres do banco Santander, em Braga.

São suspeitos de utilizar recursos tecnológicos sofisticados, como inibidores de telecomunicações, de alarmes, e até para neutralizar cães.

Entretanto, o banco indemnizou a maioria dos 43 donos de cofres que foram assaltados, numa dependência em Braga, em junho de 2018.

Landim: Vaga de assaltos a casas durante a noite assusta população

Num espaço de poucas semanas, pelo menos três casas foram assaltadas, no lugar do Sobreiral, na freguesia de Landim, em Vila Nova de Famalicão.

Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, todos os roubos aconteceram no período da noite, em momentos em que não havia ninguém no interior das habitações. O último assalto aconteceu esta segunda-feira, tendo os autores do crime deixado um rasto de destruição.

Próximo desta habitação, no lugar de Campas, zona de fronteira entre Landim e Avidos, uma outra moradia, que estava para venda, ficou sem parte do recheio que tinha no seu interior. Os assaltantes conseguiram atuar durante a noite, sem que ninguém tivesse dado conta do que estava a acontecer.

Apesar de reportarem todos os casos às autoridades, e uma vez que os assaltantes parecem conhecer muito bem os hábitos de quem ali mora, os populares não se sentem seguros e exigem mais policiamento de proximidade, de forma a afastar os meliantes.

Contactado pela Cidade Hoje, o presidente da junta de freguesia confirmou a existência desta vaga de assaltos, acrescentado que a mesma terá começado “há cerca de três meses e também nas freguesias vizinhas”.

Grupo que assaltou casas em Famalicão poderá ser o mesmo que roubou casa de jogador do FCP

As autoridades suspeitam que o grupo, de quatro homens que assaltou duas casas em Famalicão, na passada quinta-feira, nas freguesias de Outiz e Louro, poderá ter sido o mesmo que roubou milhares de euros em objetos de luxo, na casa de Otávio, jogador do Futebol Clube do Porto, em Vila Nova de Gaia.

A investigação concluiu que o modo utilizado para entrar nas habitações em Famalicão, de escalada até ao primeiro piso, foi o mesmo usado no assalto à casa de Otávio, em Canidelo. Este método terá como finalidade evitar que os sensores dos sistemas de alarme, geralmente colocados nas principais portas das moradias, disparem.

Em Outiz, os larápios conseguiram levar cerca de 70 mil euros em peças valiosas, enquanto que no Louro o furto foi de um valor inferior, uma vez que os homens foram afugentados pela chegada da moradora.

As câmara de vigilância, instaladas numa das casas em Famalicão, chegaram a captar o momento em que os indivíduos acederam à habitação. Eram quatro, três deles entraram na moradia com capuz na cabeça, enquanto que um outro elemento aguardava num carro de alta cilindrada, estacionado a poucos metros de distância do alvo escolhido.

Uma vez que existem uma série de elementos que ligam todos estes assaltos a um único grupo, e que o horário em que se deram os crimes é compatível com o tempo de deslocação entre as várias casas, as autoridades admitem que existe uma forte possibilidade destes furtos terem sido protagonizados pelo mesmo gang.

Na mesma noite, e na região da Galiza, em Espanha, a casa de um outro atleta foi alvo de assalto. Iago Aspas do Celta de Vigo ficou sem milhares de euros em pertences, num roubo muito semelhante aos que aconteceram no mesmo dia, a poucos quilómetros de distância, no país vizinho.

Fonte: Correio da Manhã

Esmeriz: Problema em conduta deixa casas inundadas

Um problema numa caixa que recebe as águas de toda a zona envolvente à Academia do Futebol Clube de Famalicão, na freguesia de Esmeriz, provocou a inundação das habitações vizinhas a este complexo desportivo, na Rua dos Três Caminhos.

O alerta foi dado esta manhã aos bombeiros, depois da água começar a sair do sistema que a devia estar a escoar.

Apesar da rápida intervenção dos bombeiros [famalicão e famalicenses] e da proteção civil, devido à chuva intensa que se tem feito sentir ao longo das últimas horas, não foi possível evitar estragos em algumas habitações com pisos térreos ou caves, uma vez que a água deixou de ser escoada pela rede e passou a circular pelas ruas.

Não há registo de feridos, apenas danos materiais.

Uma habitante necessitou de ser socorrida pelos bombeiros devido a uma indisposição.

Most Popular Topics

Editor Picks