Ribeirão: Bebé atacada por cão já está em casa, proprietário do animal foi hoje à GNR

Já está em casa e bem de saúde a bebé atacada por um cão, arraçado de lavrador, no passado fim de semana, na vila de Ribeirão, em Famalicão.

De acordo com o O Minho, que conseguiu chegar à fala com o dono do cão, os ferimentos na criança foram provocados depois desta ter sido derrubada pelo animal.

O responsável pelo animal garante que ele não é agressivo, por isso, não percebe a razão do comportamento o cão teve com a criança.

Avança a mesma publicação que o dono foi hoje à GNR “para dar continuidade aos autos da ocorrência”.

Até ao momento não foi apresentada queixa contra o animal.

 

Ribeirão: Cão ataca bebé de 22 meses e deixa-a com ferimentos graves

Uma bebé de 22 meses ficou com ferimentos graves, depois de ter sido atacada por um cão, este sábado, na vila de Ribeirão.

A situação aconteceu cerca das 11h00, na Rua 25 de Abril. A bebé estava ao cargo de uma ama que se deslocou a uma casa nas proximidades, e foi aí que o animal atacou as duas.

A bebé, que apresentava ferimentos em várias partes do corpo, foi assistida no local pela Cruz Vermelha da vila de Ribeirão, que depois de a estabilizar a transportou para o Hospital de S.João, no Porto. A ama, com ferimentos de menor gravidade, foi transportada pelos Bombeiros Voluntários de Famalicão, para a unidade local do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Desconhece-se a raça do animal e os motivos que terão levado ao ataque.

Famalicense julgado por disparar sobre o amigo por causa de um cão

Um famalicense, de 65 anos, residente em Vila do Conde, foi absolvido pelo Tribunal de Braga. Em causa estavam disparos sobre um amigo, por causa de um cão.

Os dois foram amigos e vizinhos na freguesia de Guimancelos. José Maria tinha um cão, da raça chow-chow, e a namorada de Ricardo, o queixoso, ofereceu-lhe uma cadela da mesma raça, ficando combinado que aquele lhe daria uma cria.

Em 2017, José Maria foi viver para Vila do Conde, deixando e ser vizinhos. Porque não tinha entregue o cachorro, como combinado, Ricardo, a namorada e um primo, procuraram José Maria em Vila do Conde. Foi mal recebido pelo ex-amigo.

A acusação dizia que José Maria lhe deu uma chapada na cara e, no meio de empurrões, dirigiu-se para o carro onde tinha um revólver, uma Magnum calibre 7.65 mm. “Não sais daqui a bem, sais a mal!”, terá dito, ao mesmo tempo que disparou três tiros.

O confronto continuou com empurrões e gritos até que os três conseguiram imobilizar o agressor. A GNR foi chamada ao local. José Maria ficou acusado de tentativa de homicídio, detenção de arma proibida e uso e porte de arma em estado de embriaguez.

No julgamento, os juízes consideraram não haver provas de que disparou, a três metros de distância, para o corpo do queixoso, dando apenas como demonstrado que deu dois tiros, mas para o ar. Concluíram, ainda, que não estava bêbado quando puxou da pistola.

Fonte: O Minho

B.V.Riba d’Ave resgatam o “Cocas” de poço com seis metros de profundidade

Na manhã deste domingo, os Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave, foram chamados para um resgate animal, na freguesia de Serzedelo, no concelho de Guimarães.

O cocas, um cão de grande parte, estava com o dono numa zona de mato quando desapareceu e nunca mais foi visto. Depois de algumas buscas por parte do proprietário do animal, este foi dar com o cão no interior de um poço fundo e seco.

Foi nessa altura que os bombeiros de Riba d’Ave deslocaram-se até ao local para uma operação de resgate em grande ângulo.

Apesar da queda ter sido grande, cerca de 6 metros, o animal foi recuperado pelos soldados da paz sem ferimentos.

O local acabou por ficar sinalizado e as entidades competentes alertadas para o facto do perigo que este representa.

O cocas, apesar de assustado, voltou a casa são e salvo.

Riba d’Ave: Bombeiros salvam “Pitinhas” de buraco fundo

Os Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave foram, na tarde desta quinta-feira, chamados para resgatar um animal naquela vila.

O alerta chegou a esta corporação de bombeiros por volta das 15h50. Chegados ao local, a equipa responsável pelo resgate foi encontrar uma cadela, a “Pintinhas”, presa num buraco com mais de 5 metros de profundidade.

Visivelmente assustada mas sem mazelas da queda, a cadela foi resgatada com sucesso.

Most Popular Topics

Editor Picks