Câmara de Famalicão investe quatro milhões na escola de Ribeirão

A Câmara Municipal de Famalicão aprovou, na reunião desta quinta-feira, o lançamento do concurso público para a 2.ª fase das obras de melhoramento da Escola Básica de Ribeirão.

A obra, no valor de cinco milhões e meio de euros, vai implicar uma melhoria substancial do edifício das salas de aula.

O município de Famalicão vai assumir a maior fatia de investimento. Quase quatro milhões de euros serão dos cofres famalicenses, um esforço que é realçado pelo presidente da Câmara, Paulo Cunha.

O presidente da Câmara realça que há outras escolas estatais em Famalicão a precisar de obras. Paulo Cunha fala da Escola Secundária de Joane e da EB Júlio Brandão

CIM do Ave e Municípios garantem transporte gratuito

À semelhança do que acontece na CIM do Cávado, também os municípios da CIM do Ave, onde se inclui o concelho de Famalicão, estão a ser servidos com uma rede provisória e gratuita de transportes públicos.

A rede, em vigor desde 14 de abril, é constituída por 18 linhas de transporte, com 121 circulações diárias e um total de 2830 km diários. Face ao período atual de desconfinamento social, esta rede de transporte público no território da CIM do Ave poderá ser ajustada semanalmente. O objetivo será sempre garantir os serviços essenciais de transporte de passageiros.

Este plano de transportes foi desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal do Ave, enquanto Autoridade de Transporte, em articulação com os oito municípios que a constituem – Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vizela.

Estão a ser respeitadas as regras de saúde e segurança. Assim, a lotação do veículo está reduzida a 2/3; é obrigatório o uso de máscara ou viseira; a limpeza e desinfeção foram reforçadas.

No que diz respeito ao financiamento, a CIM do Ave e dos municípios, com base nas verbas provenientes do Fundo Ambiental, asseguram os custos associados.

Setenta mil euros extra para bombeiros e Cruz Vermelha

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai atribuir um apoio extraordinário no valor de 20 mil euros a cada uma das três corporações de bombeiros do concelho e de 10 mil euros ao Núcleo da Cruz Vermelha de Ribeirão. Deste modo, assume o município, estão reforçadas as condições que permitem às mesmas instituições dar a melhor resposta possível à população no atual contexto de emergência social provocado pela pandemia COVID-19.

A garantia deste apoio tinha sido já deixada pela autarquia no final de mês de março. A proposta para a atribuição deste apoio extra de 70 mil euros é analisada na reunião do executivo municipal desta quinta-feira, dia 9 de abril.

Para além deste pacote financeiro excecional, o executivo famalicense discute também amanhã a atribuição da segunda parcela do subsidio anual concedido às forças de socorro.

Em causa estão os apoios referentes ao segundo trimestre deste ano, no valor de 22 500 euros (7 500 euros por mês) para cada uma das corporações de bombeiros e de 10 500 euros ( 3 500 euros por mês) para a Cruz Vermelha de Ribeirão.

Em discussão estará também a atribuição do apoio financeiro referente ao segundo trimestre do ano para o funcionamento das equipas de intervenção permanente de cada uma das corporações de bombeiros, no valor de 10 600 euros para cada corporação.

Recorde-se que no total são perto de meio milhão de euros que anualmente a Câmara de Vila Nova de Famalicão investe nas forças de socorro do concelho, investimento que este ano será reforçado.

PSD elogia atuação da Câmara na luta contra o covid-19

O PSD de Famalicão encontra no Plano de Reação à Situação Epidémica e de Intervenção Social e Económica, apresentado na passada semana pelo presidente da Câmara, «as respostas necessárias para cuidar em primeiro lugar da saúde dos famalicenses, mas igualmente os instrumentos para atenuar impactos sociais e económicos negativos que sabemos de antemão recairão sobre as famílias, as instituições e as empresas do concelho», assume o vice-presidente da Concelhia do PSD, Jorge Paulo Oliveira.

A direção concelhia do PSD considera que a atuação da Câmara, além de complementar a ação do Governo na luta contra o Covid-19, tem ido além daquelas que são as responsabilidades municipais. Dá exemplos desse extravasar de competências a instalação de estruturas de retaguarda hospitalar, a disponibilidade para suportar os encargos financeiros para o rastreio COVID-19 a todos os utentes e colaboradores dos lares residenciais existentes no concelho e, ainda, a implementação de um centro de diagnóstico móvel.

«O PSD de Famalicão regista também com imensa satisfação que, ao contrário do Governo, o executivo municipal haja considerado o domínio da fiscalidade como um instrumento apropriado à atenuação das dificuldades sentidas pelas famílias e pelas empresas», Frisou Jorge Paulo, dando como exemplos, a redução do IRS, a descida do IMI para famílias com um filho e o alagamento da isenção da derrama.

O vice-presidente do PSD recorda que estas medidas municipais de apoio às famílias e empresas custam ao erário do município entre 3 a 5 milhões de euros. Um esforço só possível, avisa, devido à «boa gestão municipal» e à «política de redução a dívida púbica».

Paulo Cunha atende famalicenses por telefone

É mais uma consequência da evolução do vírus COVID 19. O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, decidiu suspender o atendimento presencial ao munícipe, que realizava todas as quartas-feiras, desde que assumiu a presidência da autarquia. No entanto, este serviço vai manter-se ativo, mas por telefone.

Paulo Cunha justifica a medida pelo novos tempos que vivemos e que determinam «novas medidas de contenção e de distanciamento social e, por isso, decidi suspender o atendimento presencial, o que não me impede de ouvir as preocupações dos famalicenses, de estar presente e de manter uma relação de proximidade, ainda que esta proximidade não seja física», explicou o autarca anunciando que vai manter o atendimento semanal, mas por telefone.

Assim, já a partir desta quarta-feira, 18 de março, Paulo Cunha estará no seu gabinete a receber as chamadas telefónicas dos munícipes, com atendimento marcado, porque «não podemos deixar que o isolamento social, essencial nesta altura, se transforme em sentimentos de solidão ou abandono; por isso, vamos manter rotinas fazendo os ajustes necessários», salienta Paulo Cunha.

Quem pretender agendar uma reunião com o Presidente da Câmara Municipal no âmbito da presidência aberta, poderá fazê-lo pelos meios habituais contactando os serviços do Gabinete de Apoio ao Presidente através dos contactos gerais da autarquia (252 320 900) com indicação de nome, freguesia e indicação de assunto. Podem também fazê-lo através de email ([email protected]) ou através da página oficial do Facebook do Município de Vila Nova de Famalicão.

Câmara chama a Agência Portuguesa do Ambiente devido às inundações na Rua Estreita da Carreira

A propósito de uma inundação em algumas casas da Rua Estreita, da freguesia da Carreira, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão informou que o município fez uma participação à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), por entender que o assunto não está sob a alçada da Câmara Municipal de Famalicão.

Alegadamente, estará em causa uma linha de água que foi indevidamente obstruída por um proprietário que está na confluência dos terrenos.

Mesmo reconhecendo que as fortes chuvas do mês de dezembro agravaram a situação, o presidente de Câmara está convicto de que aquilo «que aconteceu não deveria ter sucedido e, assim sendo, é necessário que a entidade competente tome atitudes».

O Cidade Hoje já tinha sido contactado por parte de alguns moradores afetados, as explicações chegaram, agora, na reunião da última Assembleia Municipal de Famalicão, por parte do presidente a uma pergunta do deputado do PCP, Daniel Sampaio.

Most Popular Topics

Editor Picks