Famalicão: Município apoia associações de cariz social

O município de Famalicão leva à reunião de Câmara desta quinta-feira, dia 3 de setembro, apoios financeiros a várias associações humanitárias que prestam apoio social a famílias carenciadas. Além das atividades agendadas para 2020, houve um aumento das despesas face à pandemia da covid-19 que levou a que mais famílias sintam necessidades de apoio em virtude do lay-off, baixa médica ou desemprego.

A proposta para a Humanitave é de 20 mil euros. Uma associação com um largo currículo em África, mais concretamente na Guiné-Bissau, onde tem feito várias campanhas nas áreas da saúde e do ensino; mas também tem dado apoio à população local e região, que tem aumentado nesta fase da covid-19.

Há também uma proposta de 10 mil euros para a AFPAD – Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência. Além do plano de atividades, é uma ajuda às necessidades que aumentaram por causa da covid-19.

A Re-Food tem proposta de apoio de 10 mil euros. Esta associação, de dimensão nacional, tem prestado apoio ao nível alimentar a famílias com carência económica. Devido à covid-19, o apoio emergente tem subido.

Candidaturas aos Selos Famalicão Visão’25 terminam este mês

O período para a submissão de candidaturas aos Selos Visão´25 termina no final do mês de julho. Nesta edição todos os cidadãos são chamados a identificar e a propor os projetos, ações, produtos e serviços que considerem ser relevantes e merecedores do selo atribuído todos os anos pela autarquia.

Os Selos Visão´25 são uma iniciativa da Câmara Municipal que volta a distinguir, pelo quinto ano consecutivo, os projetos que têm contribuído para a valorização e afirmação do concelho.

O formulário de inscrição está disponível online, em www.famalicao.pt/selos-visao-25.

A atribuição da distinção será decidida por um júri, constituído por diversas pessoas de diferentes áreas. Os vencedores serão divulgados na sessão solene comemorativa do Dia do Concelho, a 28 de setembro.

Os projetos podem ser integrados em quatro categorias. A categoria Famalicão Made IN – projetos empreendedores que potenciam a incorporação tecnológica e a aplicação de soluções de futuro, desenvolvendo uma economia baseada no conhecimento e na inovação e que aumentam a competitividade e internacionalização. A categoria B -Smart Famalicão – projetos que promovam uma economia mais eficiente na utilização dos recursos. A categoria Força V – Famalicão Voluntário – projetos que reforçam o capital social presente nas práticas de intervenção e animação comunitária e impulsionam novos ambientes de participação e envolvimento ativo. Por fim, na categoria Famalicão Comunitário são reconhecidos os projetos que promovam a corresponsabilização dos cidadãos e que se distingam enquanto projetos coletivos, de cooperação e colaboração entre atores públicos e privados e potenciadores dos valores do futuro.

Este ano, as candidaturas decorrem excecionalmente até 31 de julho, com a submissão do formulário por e-mail para [email protected]

Recorde-se que a atribuição dos Selos Famalicão Visão’25 acontece pelo quinto ano consecutivo, tendo sido já reconhecidos mais de setenta projetos. O selo representa um prémio que identifica e reconhece as boas práticas com impactos positivos no território, na economia e na sociedade, que sejam inovadoras e inspiradoras, que expressem os valores e reforcem a identidade famalicense.

Câmara de Famalicão antecipa apoios à cultura

Face às restrições de trabalho provocadas pela pandemia do covid-19, a Câmara Municipal de Famalicão resolveu ajudar os artistas e as instituições culturais antecipando os subsídios à cultura.

Até ao momento, a autarquia famalicense já transferiu cerca de 420 mil euros para os parceiros culturais locais. A somar a este valor, estão os 14 mil euros pelo trabalho online de artistas, grupos de música e companhias de teatro, com diversos espetáculos de dança, teatro, poesia, literatura e oficinas temáticas.

«Com a pandemia da Covid 19, as associações culturais e os artistas foram os primeiros a parar e a fechar portas. Foram obrigados a interromper todo o seu trabalho. Apesar de tudo, não baixaram os braços e deram o exemplo à comunidade, continuaram em casa a criar e a oferecer-nos a sua arte», explica o presidente da Câmara Municipal. Para Paulo Cunha, «a arte e a cultura foram fundamentais durante o período de confinamento, pois ajudaram as pessoas a não se sentirem sozinhas, a terem companhia, a divertirem-se e a continuarem ligadas à cultura».

O autarca famalicense destaca, ainda, a importância dos apoios para garantir a sobrevivência das próprias instituições artísticas. «Precisamos da cultura e das artes na nossa vida e temos que os apoiar neste momento difícil».

Recorde-se que durante o período de confinamento, foram promovidos, através da página de facebook “Famalicão Comunitário”, cerca de 60 eventos culturais, que atingiram mais de 70 mil visualizações. Apesar da área predominante ser a música, também decorreram espetáculos de dança, teatro, poesia/literatura e oficinas temáticas, e foi apresentada uma web série.

Mais de 600 quilos de pescado entregues a instituições

Várias instituições de solidariedade da região Norte receberam 642 quilos de pescado apreendidos pela Unidade de Controlo Costeiro (UCC), através do Destacamento de Controlo Costeiro de Matosinhos da GNR.

No âmbito de uma ação de fiscalização a veículos de transporte de pescado, os militares detetaram duas viaturas que transportavam pescado fresco sem qualquer documentação.

A ação decorreu, em Matosinhos, na madrugada desta terça-feira e foram apreendidos 642 quilos de pescado, com o valor estimado de 4 875 euros.

Câmara de Famalicão investe no parque desportivo

A Câmara Municipal aprovou um pacote de investimentos, no valor de 55 mil euros, para melhorar o parque desportivo. Nele estão incluídos os 21 mil euros para a instalação de um novo sistema de iluminação LED no recinto da Associação Desportiva Juventude de Mouquim.

Foram também contempladas a Associação Cultural e Recreativa de Avidos, o Bairro Futebol Clube, o Grupo Desportivo de Cavalões e o Clube Desportivo de Lousado, num valor total de investimento municipal que ronda os 55 mil euros. A maioria das intervenções englobadas neste valor prende-se com a realização de obras de melhoramento e de valorização dos recintos desportivos.

No caso do Clube Desportivo de Lousado, viu aprovado um apoio no valor de 14 mil euros para a aquisição de uma estrutura modular para balneários e para o reforço da iluminação do seu recinto. A Associação Cultural e Recreativa de Avidos contou com 4500 euros, tendo em vista a realização de obras de reabilitação do campo de jogos, que vão dar melhores condições para a prática de Futsal.

De acordo com o presidente de Câmara, trata-se de um investimento «inevitável, necessário e desejável» que, de acordo com Paulo Cunha, é também representativo do crescimento das associações desportivas do concelho.

Em Arouca dinheiro dos parquímetros é entregue a instituições da região

Olhados pelos automobilistas como uma praga endémica nos tempos que correm, os parquímetros são vistos pelas autarquias não só como uma forma de regular (ou até condicionar) o tráfego automóvel nas cidades e vilas, em especial nos seus centros urbanos, mas também como uma fonte de financiamento dos seus orçamentos.
Alugar o espaço público por breves minutos ou por dias inteiros passou a ser prática corrente em todos os municípios que alcançam com esse procedimento ganhos significativos.
Ora bem, Arouca não foge a essa regra, mas introduziu uma nuance inovadora e que seria interessante ver replicada por todo o País. A Câmara Municipal de Arouca investe todos os ganhos com o parqueamento no centro da vila nas IPSS do concelho.

Em 2017, o valor distribuído foram cerca de 27 mil euros, essencialmente por associações de cariz cultural, pois IPSS eram apenas quatro.

Portal Solidariedade

Most Popular Topics

Editor Picks