Famalicão tem muito para oferecer e ver neste natal

O espírito da época natalícia vive-se e sente-se nas ruas de Famalicão. As iluminações, as músicas, a animação e o convívio “aquecem” a cidade que está transformada no Lugar do Natal, com epicentro no Mercado de Natal, este ano com dois polos, a Praça Alimentar, na Praceta Cupertino de Miranda, e o Mercado Artesanal, na Praça D. Maria II.

Nas tradicionais casinhas de madeira, no mercado artesanal pode encontrar presentes únicos e genuínos junto dos cerca de 25 expositores que têm muito para oferecer até 24 de dezembro. O mercado funciona de segunda a quinta das 14h00 às 20h00 e às sextas, sábados e domingos das 11h00 às 22h00.

A grande novidade da campanha promovida pela Câmara Municipal e pela Associação Comercial e Industrial é a tenda que acolhe a praça alimentar.

São mais de uma dezena de stands com um pouco de tudo desde as sanduiches, aos vinhos aromatizados, aos doces de natal e ao chocolate quente. A praça decorre até 5 de janeiro e funciona de segunda a quinta-feira das 11h00 às 20h00 e às sextas, sábados e domingos das 10h00 às 22h00.

Todo o Mercado de natal será animado, aos domingos, por um conjunto Coros com a música natalícia. São 10 coros representativos de cada uma das Comissões Sociais Inter-Freguesias do concelho. A cada domingo, atuam dois coros pelas 16h00 e pelas 17h00.

Envolto num ambiente acolhedor, colorido e alegre, o centro da cidade – entre a Praceta Cupertino de Miranda, o Parque da Juventude, a Praça 9 de abril e toda a zona envolvente – acolhe a magia do Natal, com a árvore e o espetáculo multimédia que atrai milhares de visitantes.

Depois, há a pista de gelo, no parque de estacionamento da Praça D. Maria II, o carrossel, o comboio e os passeios de charrete. A magia continua no Parque da Juventude, onde está o Circo de Papel. A iniciativa promovida pelo INAC – Instituto Nacional das Artes do Circo está de regresso com o novo circo e o espetáculo “Jardins”, inspirado no conto “O Rapaz de Bronze” de Sophia de Mello Breyner. O espetáculo destina-se ao público escolar, instituições e também a toda a família, com várias sessões diárias até 3 de janeiro.

Entretanto, o Pai Natal chega à cidade já este domingo, dia 8, com um desfile a partir das 15h00, pelas ruas da cidade até à Cabana Solidária que apela ao espírito natalício, na Praça 9 de abril, com música ao vivo e muita animação.

A juntar a todas estas atividades, há ainda outras que apelam ao convívio, como a Corrida S. Silvestre, na noite de 23 de dezembro, e o Porto de Encontro’19, na véspera de Natal a 24 de dezembro.

Inscrições para o Mercado de Natal até 31 de outubro

As inscrições para o mercado de Natal abrem esta sexta-feira e decorrem até 31 de outubro.

Recorde-se que o Mercado de Natal está, habitualmente, instalado na Praça D. Maria II, no período de Natal. Em stands municipais, é possível comprar produtos locais e artesanato.

A ficha de inscrição e as normas de participação estão disponíveis para consulta e levantamento no Posto de Turismo de Famalicão ou no portal do Município, em www.famalicao.pt.

A inscrição poderá ser entregue presencialmente no Posto de Turismo ou através do email[email protected].

No ato de inscrição, é obrigatória a apresentação de comprovativo de atividade e o pagamento da taxa de participação.

A Feira de S. Miguel é uma festa

Está a chegar mais uma edição da Feira Grande de S. Miguel. As atividades realizam-se no próximo fim de semana, dias 27, 28 e 29 de setembro, entre a Praça D. Maria II e o campo da feira. Esta feira distingue-se das que se realizam todas as semanas pelo tempo que dura e pelas iniciativas que lhe estão associadas.

Além da venda de produtos da terra, está previsto um concurso de gado, uma desfolhada à moda do Minho, uma gala equestre, cantares tradicionais, um desfile de charretes pelas ruas da cidade; ainda um workshop Bio Capital, que vai decorrer na Fundação Cupertino de Miranda e um Showcooking.

Algumas destas iniciativas só se realizam uma vez mas outras atividades são contínuas, como o mercado de venda de produtos da terra, o artesanato e as tasquinhas com petiscos.

«São três dias para reviver tradições e mostrar às gerações mais novas acontecimentos que marcaram as origens de Famalicão», destaca Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal.

Dias à Mesa com pratos vegetarianos

Entretanto, a Câmara associa à Feira de S. Miguel o programa “Dias à Mesa” com menus à base de pratos vegetarianos. Ao longo dos três dias do evento, há um conjunto de restaurantes que sugerem os pratos vegetarianos, são eles: El Vagabundo; Fusilli, Massa & Café; Ganesh Club; Moutados de Baixo; Na Boca; O Prato; Refresco e Vinha Nova são os estabelecimentos aderentes.

Para onde se vai mudar a Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão

Com as obras que estão previstas para a zona do antigo campo da feira da cidade, o espaço utilizado até então para a realização da Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão não vai, de forma temporária, poder receber este certame.

A mudança, tal como avançado pela Cidade Hoje em 2018, esteve para acontecer este ano mas, fruto de algumas adaptações que já foram feitas no recinto, foi possível manter-se a feira naquele local por mais uma edição.

Uma das soluções previstas para alojar a Feira de Artesanato enquanto decorrem as obras é a central de camionagem.

É espectável que essa mudança aconteça na edição de 2020 ou 2021 deste certame que tem por hábito arrancar no último fim de semana do mês de Agosto.

 

Sucesso: 200 mil pessoas visitaram a 36ª Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão

Termina este domingo a 36ª edição da Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão. O certame contou com a visita de cerca de 200 mil pessoas, de acordo com dados avançados pela organização à Cidade Hoje.

Para o futuro perspectivam-se algumas mudanças, fruto das obras que estão a acontecer em torno do recinto do antigo campo de feira da cidade, no mercado municipal.

Temporariamente a Feira de Artesanato vai ter que mudar de local e isso vai acontecer no próximo ano ou daqui a dois anos.

No último dia de certame foram ainda distinguidos alguns expositores que se destacaram na feira. A Fundação Castro Alves recebeu o prémio de melhor peça de artesanato com a recriação da arca de noé.

Carros deixados no campo da feira bloqueiam viaturas que estão bem estacionadas

Com a realização da Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão, o campo da feira da cidade é o espaço escolhido pela maioria das pessoas para deixar o carro enquanto visitam o certame.

Apesar do espaço oferecer lugar para mais de uma centena de viaturas este tem-se revelado pequeno para a procura que está a ter.

Com os lugares de estacionamento nas redondezas ocupados, e depois de procurarem alternativas sem sucesso, são muitos os que optam por parar o carro nos corredores de acesso aos lugares, no interior do campo da feira. A solução encontrada por estes condutores transforma-se num pesadelo para os outros, que estacionaram corretamente e nos locais destinados para o efeito, e que ficam sem espaço para manobrar a viatura quando querem abandonar o campo da feira.

A situação é recorrente e só se resolve com a intervenção das autoridades.

Most Popular Topics

Editor Picks