Famalicão: Casa da Juventude aconselha para uma alimentação saudável

Procurando intervir ao nível da prevenção e aconselhamento para uma alimentação saudável, a Casa da Juventude de Famalicão lançou em outubro o programa Nutre Jovem, com várias sessões que vão decorrer durante os próximos meses e que podem ser assistidas presencialmente ou online, sendo de participação livre.

A nutricionista Ana Isabel Monteiro e a psicóloga Vânia Faria vão abordar temas como a obesidade, o excesso de peso, as dietas vegetarianas, o controlo de sintomas gastrointestinais (obstipação, inchaço…), e tratamento de distúrbios alimentares.

O programa destina-se essencialmente ao público escolar, universitário e jovens trabalhadores.

As próximas sessões estão agendadas para 25 de novembro e 16 de dezembro, pelas 21h00 e têm como tema “Leitura de rótulos alimentares” e “Como lidar com os excessos das festas”, respetivamente. Ambas as sessões estão limitadas a 12 participantes, respeitando as normas da DGS. Os interessados podem ainda participar através das páginas de facebook (https://www.facebook.com/juventudefamalicao) e instagram (@juventudefamalicao) da Juventude de Famalicão.

Para 2021, estão agendadas as temáticas “Planeamento e confeção de refeições”, em janeiro; “Alimentação à base de plantas”, para fevereiro; “Refeições vegetarianas na prática”, para março; “Intestino são, corpo são” para abril; “Alimentação em época de exames”, para maio e “A relação com a comida” para junho.

Estudos recentes apontam que um grande número de jovens e adolescentes portugueses têm uma alimentação inadequada, apresentando maus hábitos nutritivos e foi a pensar nisso que a Casa da Juventude de Famalicão lançou há já três anos, consultas de nutrição gratuitas para os jovens.

Famalicão: Cozinha vegetariana à mesa

A iniciativa municipal Dias à Mesa está de volta, agora com a cozinha vegetariana. No último fim de semana de setembro, entre 24 e 27, a iniciativa proporciona experiências gastronómicas repletas de cores e sabores.

São dez os restaurantes do concelho que responderam afirmativamente ao desafio, sugerindo uma refeição equilibrada e variada: Alfa; Attrevidu; Bisconde; Casa da Frangos de Baltar; Combinação de Sabores; Fusilli, Massa &Café; Moutados; Na Boca; Refresco e Vinha Nova.

Depois de uma paragem de vários meses devido à pandemia da Covid 19, os Dias à Mesa regressaram em julho, atraindo muita gente aos restaurantes de Famalicão. Apesar da não realização dos eventos culturais que habitualmente acompanham a iniciativa, o regresso dos Dias à Mesa tem sido um sucesso.

Uma das novidades desta edição é o “Passaporte Gastronómico”, que oferece um desconto de 10% nos restaurantes aderentes. O passaporte dá, ainda, a oportunidade de jantar ou almoçar gratuitamente num restaurante à escolha.

Em novembro o Dias à Mesa traz a castanha e as massas.

Melão Casca de Carvalho Augusto Martins

Melão Casca de Carvalho Augusto Martins
Produtores de melão casca de carvalho com garantia de qualidade, 25 anos a produzir.
Ponto de venda em Outiz junto ao fontanário, na estrada N206 Famalicão/Póvoa e em Soutelo – Vila Verde.
Fazem entregas a restaurantes.
“O que une a família e os amigos”
Contacto 967 427 809

Projeto Homem reforça apoio alimentar e higiene aos utentes de Famalicão

O Centro de Solidariedade Social de Braga – Projeto Homem (que trata de comportamentos aditivos e dependências) reforçou o apoio alimentar aos 140 utentes de Famalicão que beneficiam do Projeto de Rua.

Como são pessoas de alto risco, foram, também, intensificadas as medidas de prevenção de contágio, incluindo a transmissão da Covid-19.

Sara Leite, socióloga e coordenadora dos projetos desenvolvidos pelo Projeto Homem no concelho de Famalicão, revela que resolveram intensificar a ajuda porque verificaram que estas pessoas, que já estão numa situação de exclusão, se viram privadas de apoios que recebiam de outras instituições que, entretanto, fecharam ou reduziram a sua atividade.

«Uma vez que os meios de subsistência desapareceram, muitos deles viram-se confrontados com uma situação de maior carência, além daquela que já tinham»

A responsável pelo Projeto Homem conta que estas pessoas ficaram também sem possibilidade de angariar pequenas quantias de dinheiro, por exemplo a arrumar carros. «Uma vez que os meios de subsistência desapareceram, muitos deles viram-se confrontados com uma situação de maior carência, além daquela que já tinham», descreve Sara Leite. Uma forma que o Projeto Homem pensou para os ajudar foi reforçar o apoio alimentar. «Temos uma carrinha que deslocamos ao local onde estão a residir e fazemos a entrega de pequenas refeições, diariamente», afirma.

Também porque vivem na rua, em habitações temporárias ou em coabitação, torna-se difícil fazer com que cumpram as regras de higiene e de combate ao coronavírus.

Por isso, Sara Leite entende que faz falta no concelho de Famalicão um centro de acolhimento temporário. Esta lacuna não foi detetada agora que há necessidade de confinamento devido ao coronavírus, mas já antes foi discutida no âmbito da Rede Social de Famalicão, de que o Projeto Homem faz parte.

Mesmo que alguns não tenham uma habitação para permanecer, a equipa de Rua do Projeto Homem está a sensibilizar estes utentes para que evitem estar em grupos e cumpram regras de higiene. Distribuíram, também, pequenos kits de higiene, sobretudo com gel desinfetante.

Projeto Homem reforça o apoio alimentar aos utentes de rua

Os utentes de Famalicão que beneficiam do Projeto de Rua têm reforço alimentar pelo Centro de Solidariedade Social de Braga – Projeto Homem.

Os beneficiários são pessoas de alto risco, pelo que foram, também, intensificadas as medidas de prevenção de contágio, incluindo a transmissão da Covid-19 .

As novas medidas, que afetam a generalidade dos utentes e das respetivas famílias, são particularmente visíveis no programa “Equipa de Rua, Prevenção e Reinserção”, que o Projeto Homem desenvolve em Vila Nova de Famalicão.

Pais provam almoços das cantinas escolares em Famalicão

“Para quem não gosta muito de jardineira, achei que estava muito bem confecionada e os sabores apurados. A sopa estava mesmo muito boa. Foi uma excelente refeição”. Catarina Inácio, mãe de três filhos, dois dos quais a frequentar o pré-escolar e o 1.º ciclo, no concelho de Vila Nova de Famalicão, foi uma das primeiras encarregadas de educação a aceitar o desafio lançado, neste ano letivo, pela Câmara Municipal para acompanhar as refeições escolares dos filhos.

Catarina Inácio ficou muito satisfeita com a refeição e aconselha todos os pais a fazerem o mesmo. “Por vezes, as crianças reclamam das refeições, mas, nós pais, não podemos criticar se não conhecermos a realidade e o ideal é irmos ver o que se passa”.

“Não tinha uma boa perceção das refeições, algo que foi completamente ultrapassado”, graças a esta iniciativa municipal afirma Catarina, louvando a iniciativa do municipio de Famalicão.

Para além dos encarregados de educação, a Câmara Municipal desafia também os professores a partilharem todos os dias, a refeição com os alunos.

“Esta é uma forma de os pais e os professores nos apoiarem na monitorização da qualidade das refeições servidas nas cantinas das escolas do pré-escolar e do 1.º ciclo de Vila Nova de Famalicão” explica o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, acrescentando que para além da “qualidade da ementa é possível também avaliar a qualidade e o conforto do espaço”.

A medida faz parte do novo programa educativo promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, intitulado NutriEduca (Educação Alimentar e Nutricional em contexto escolar), que reconhece a escola como o espaço próprio para a promoção de uma alimentação saudável, envolvendo os encarregados de educação e a comunidade educativa na adoção de hábitos alimentares equilibrados.

O projeto que está a ser desenvolvido desde o inicio do ano letivo nas escolas do ensino pré-escolar e 1º ciclo do concelho inscritas no programa (33), envolve um total 91 turmas e cerca de 1900 alunos.

“Entendemos que a escola é o local ideal para educar as novas gerações para uma alimentação mais saudável e amiga do ambiente, por isso, procuramos o apoio da comunidade educativa através dos professores, e também dos encarregados de educação para a capacitação e monitorização das refeições escolares. Queremos ganhar a confiança da comunidade na qualidade das refeições”, adianta o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

“Acredito que todos juntos, conseguimos incentivar as crianças a fazer as escolhas mais saudáveis e conseguimos aperfeiçoar a prestação dos serviços de refeições escolares”, explica o autarca que, desde 2014, tem por hábito almoçar nas cantinas escolares do concelho, juntando-se aos alunos e partilhando com eles a refeição.

Ao longo do ano, serão muitas as atividades desenvolvidas no âmbito deste programa educativo, nomeadamente ações de formação, workshops e atividades comemorativas, relacionadas com a temática da alimentação saudável.

Para além dos almoços nas cantinas, o programa procura ainda sensibilizar a comunidade educativa para a preparação de lanches saudáveis.

Entretanto, os encarregados de educação estão convidados a almoçar na escola dos filhos, no dia de aniversário da criança, de forma gratuita. Para isso, basta que avisem a escola antecipadamente.

Most Popular Topics

Editor Picks