Suspeitos de assaltos às bombas de gasolina de Joane e Santo Tirso estão em prisão preventiva

Os três suspeitos estão indiciados por dezenas de assaltos a postos de combustível, áreas de serviço de autoestradas, hipermercados e estações de correio. Nesta quarta-feira, dia 23 de julho, foram presentes ao Tribunal de Instrução Criminal do Porto e ficaram a saber que vão manter-se em prisão preventiva enquanto aguardam julgamento.

Os indivíduos, com idades entre os 26 e os 32 anos, são suspeitos de terem assaltado as bombas de gasolina de Joane e Santo Tirso. Os três detidos também terão cometido alegadamente crimes na Trofa, Penafiel, Amarante e outros municípios dos distritos do Porto, Braga, Vila Real, Viseu, Aveiro e Guarda. Os suspeitos, de acordo com a Polícia Judiciária, estão «fortemente indiciados pela prática dos crimes de homicídio na forma tentada, roubo agravado, violência depois da subtração, furto qualificado e falsificação de documentos».

«A atividade criminosa do grupo que visava, essencialmente, roubos e furtos em postos de abastecimento de combustíveis, remonta a novembro de 2020, decorrendo de forma, praticamente, ininterrupta até à presente data», declarou a Polícia Judiciária, em comunicado. «Neste período de tempo, foram efetuados vários roubos, com grande violência, nas áreas de serviço da A1, A3, A4, A7, A11, A25, A28 e A29, onde era subtraído, principalmente, dinheiro e tabaco», acrescentou.