Famalicão: Cancelado Ciclo de Concertos de Ano Novo na Casa das Artes

A Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão acaba de anunciar o cancelamento do Ciclo de Concertos de Ano Novo, agendado para os dias 29 e 30 de janeiro, com a Banda de Famalicão, Banda Marcial de Arnoso e Banda de Riba d’ Ave.

Imponderáveis de natureza artística relacionados com o atual contexto da pandemia Covid-19 impediram a normal preparação dos concertos por parte das bandas, o que obrigou a esta decisão.

Equipa feminina do Famalicão goleia Varzim a segue em frente na Taça de Portugal

Na noite desta quarta-feira, a equipa feminina do FC Famalicão goleou, 1-5, o Varzim e segue para a próxima eliminatória da Taça de Portugal, que se disputa já este domingo, às 15 horas, na Academia. O adversário é o Lusitânia de Lourosa, equipa que milita na 3.ª divisão.

Do jogo disputado na Aguçadoura, o Varzim adiantou-se no marcador, mas na primeira parte as famalicenses conseguiram o empate a um golo. Na segunda parte, o resultado foi avolumando até fechar em 5-1, favorável às famalicenses. Ludmila, com dois golos, Raquel, Sisi e Capeta foram as autoras dos restantes golos.

 

Famalicão: Câmara Municipal suspende noite de Carnaval

Vila Nova de Famalicão não vai viver a sua grande noite de Carnaval. Aquela que é uma das maiores manifestações carnavalescas do país, que todos os anos, na noite de segunda para terça-feira de Carnaval, atrai milhares de foliões, não terá lugar este ano, por decisão da autarquia famalicense, suportada nos pareceres das entidades de Saúde no contexto da pandemia da Covid-19.

O presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, fala numa decisão que «deixa alguma mágoa, porque, mais uma vez, não vai ser realizado um dos grandes cartazes turísticos de Vila Nova de Famalicão», mas reconhece que a decisão «impõe-se como absolutamente necessária para proteção da saúde das pessoas». Será, assim, a segunda vez que a noite de Carnaval é cancelada.

O Carnaval de Famalicão sempre se afirmou como único e genuíno, nascendo da participação espontânea da população. O evento, que começou nos anos 80 com um grupo de foliões, não parou mais de crescer e tornou-se um fenómeno nacional. Os bares e cafés juntaram-se à festa com os seus DJ’s e a autarquia famalicense sempre deu todo o apoio logístico e decorativo, vestindo as ruas a rigor e promovendo um programa musical.

Legislativas: Candidato da Iniciativa Liberal defende melhoramentos na EN 14

Rui Rocha, cabeça de lista da Iniciativa Liberal, por Braga, às eleições legislativas de 30 de janeiro reuniu com o presidente de Câmara de Famalicão para discutir assuntos de interesse para o município como as acessibilidades, entre elas os constrangimentos da Estrada Nacional 14 (Porto-Braga).

No final do encontro, o cabeça de lista da Iniciativa Liberal pelo Distrito de Braga sublinhou a necessidade de o concelho dispor de infraestruturas indispensáveis para «atrair novos investimentos e aproveitar todo o seu potencial económico em benefício da região e do país». No que diz respeito à N14, Rui Rocha diz que é urgente «avançar com uma solução e que esse será o exemplo de um bom investimento com retorno imediato em termos de progresso e desenvolvimento».

Famalicão mantém-se como município mais exportador do Norte e terceiro no país

A última edição do Anuário Estatístico da Região Norte, editado no final do ano, mostra que o município de Famalicão manteve, em 2020, como o mais exportador a norte e o terceiro no país, logo a seguir a Lisboa e Palmela.

O concelho tem, ainda, um saldo positivo da balança comercial de 765 milhões de euros (m€), resultado de uma diferença entre as exportações (1.746.464 m€) e as importações (981.278 m€). É, desta forma, um dos municípios que mais contributo líquido dá para a economia nacional.

«Apesar da tendência de queda da economia devido à pandemia, Vila Nova de Famalicão conseguiu manter-se como um dos municípios que mais contribui para a economia nacional. Somos um território que produz, que trabalha, que não baixa os braços», refere, a propósito, o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos.

Para o futuro, o autarca mantém o otimismo e acredita que «com a capacidade de resiliência e empreendedorismo dos famalicenses vamos conseguir ultrapassar as adversidades provocadas por esta pandemia e continuar no rumo da inovação e do pioneirismo industrial do país».

No que diz respeito ao peso dos vários setores nas exportações do município, o têxtil e vestuário continuam a representar a maior fatia das exportações, seguindo-se o setor automóvel, metalomecânica e, por fim, o agroalimentar.

Entretanto, de acordo com os dados mensais preliminares do Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações das empresas famalicenses acumularam até novembro de 2021 um crescimento de 23,86% face ao mesmo período de 2020 e de 4,12% face a 2019, o que vem trazer um novo alento ao tecido empresarial. A nível nacional e no que diz respeito ao setor têxtil e vestuário, as exportações acumularam até outubro um crescimento de 15,2% face ao mesmo período de 2020 e de 1,5% face a 2019.

Refira-se que aquela que é a principal economia do Norte de Portugal tem nas suas fileiras perto de 15 000 empresas, que representam um volume de negócios na ordem dos cinco mil milhões de euros. Destas, perto de duas mil sociedades são da indústria transformadora que dão um contributo líquido importante para as contas nacionais e para a empregabilidade do país.