Santuário Beata Alexandrina começa a ser construído este ano

A Arquidiocese de Braga vai lançar ainda este ano a primeira pedra do Santuário Eucarístico Beata Alexandrina, em Balasar, no Arciprestado da Póvoa de Varzim/Vila do Conde. A novidade foi avançada esta quarta feira no final da Eucaristia celebrativa do 14.º aniversário da beatificação daquela religiosa mística, presidida pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga.

Em declarações ao Diário do Minho, o pároco de Balasar, o padre Manuel Neiva, mostrou-se convicto de que durante o verão estarão reunidas todas as condições para iniciar a obra, já que os projetos já estão concluídos. Os estudos para a construção do santuário foram iniciados há quatro anos, depois de se constatar que a atual igreja era pequena para servir a população de Balasar e receber os milhares de peregrinos que todos os anos acorrem aquele santuário. O novo complexo religioso, em forma de tenda, acolherá a capela tumular de Alexandrina, uma capela de confissões e celebrações, um centro de espiritualidade, um centro de acolhimento aos peregrinos, uma casa de acolhimento e um centro de estudos.

A propósito de estudos, o padre Manuel Neiva anunciou que na segunda quinzena de maio estará disponível o primeiro volume dos escritos de Alexandrina, e mais tarde será publicada a sua autobiografia com um comentário pastoral para contextualizar os escritos. Os estudos bibliográficos sobre Alexandrina iniciaram-se há seis anos mercê de um protocolo celebrado com a Universidade Católica Portuguesa. «É um trabalho teológico, científico e pastoral para colocar Alexandrina no lugar que merece», precisou o pároco de Balasar.

A celebração do 14.º aniversário da beatificação de Alexandrina ficou marcada pela inauguração do Memorial de ex-votos e do jardim no exterior da Casa que representa a caminhada pascal de Alexandrina. O Memorial, por baixo da Casa de Alexandrina, está organizado em três salas. Na primeira estão expostos os ex-votos, destacando-se roupas de noivas e noivos, roupas de batizados e comunhões, trajes académicos, fardas militares, calçado, colchas. Na sala do meio podem apreciar-se pertences de Alexandrina como as roupas quando fazia a paixão, ligas, uma esteira, a sua lupa, etc. Na terceira sala encontram-se as próteses, coletes, muletas, velas e outros objetos em cera.

O ano passado, a Fundação Alexandrina de Balasar contabilizou a passagem de 135 grupos de peregrinos pelo santuário provenientes de 20 países, desde o Líbano ao Canadá, passando pelo Brasil e outros. Visitaram o túmulo da beata mais de 140 mil pessoas e a sua casa cerca de 35 mil. Participaram nas celebrações, no santuário, cerca de 280 fiéis.

Fonte: Diário do Minho

Famalicão: CITEVE poderá estar envolvido na operação do “Maestro” Manuel Serrão

A operação “Maestro”, sobre alegada fraude com fundos comunitários, e que coloca Manuel Serrão no centro da suspeita, também visa o CITEVE, em Famalicão. Segundo escreve o Jornal “O Público”, o CITEVE terá emitido faturas relativas ao fornecimento de bens e serviços à Associação Seletiva Moda que poderão não ter correspondência com a realidade.

Recorde-se que a operação “Maestro” saiu esta terça-feira para a praça pública, com duas centenas e meia de inspetores da Polícia Judiciária, peritos financeiros e informáticos a realizarem cerca de oitocentas buscas, em vários organismos de diferentes regiões do país.

A Polícia Judiciária, em comunicado, esclareceu que estão em causa suspeitas da prática de crimes de fraude na obtenção de subsídio, fraude fiscal qualificada, branqueamento e abuso de poder que, no total, podem chegar aos 40 milhões de euros, na maioria do quadro do Compete 2020 – Programa Operacional Temático Competitividade e Internacionalização.

As suspeitas recaem na criação de estruturas empresariais complexas, com o objetivo de apresentar justificações contratuais referentes a prestações de serviços e fornecimento de bens para a captação de fundos. Manuel Serrão é tido como o “cérebro” desta estrutura, mas há outros suspeitos: o jornalista Júlio Magalhães e o presidente do COMPETE, Nuno Mangas, estão entre os nomes já conhecidos.

Próxima época da Liga BPI em relvado natural e campeonato reduzido a 10 equipas (só em 2025/26)

O formato competitivo dos campeonatos nacionais seniores femininos vai ser alterado. A redução para 10 equipas na Liga BPI (atualmente são 12) e a criação da 4.ª divisão são as grandes alterações… só para 2025/26. Outra novidade, em vigor já na próxima época, é a realização de todos os jogos em relvado natural.

A redução de equipas no principal campeonato determina que na próxima época (24/25) haverá mais descidas. Falta saber quantas equipas descem diretamente e se haverá playoffs entre formações do primeiro e segundo escalão.

A 2. ª divisão manterá 16 equipas e a 3.ª divisão contará com apenas 12. Com esta redução de equipas, será criada uma 4.ª divisão, sem limite de equipas. Para 2026/27, a única alteração acontece na 2.ª divisão, que será reduzida de 16 para 12 equipas.

Estas medidas têm como objetivo «melhorar a competitividade, promovendo o equilíbrio, aumentar a base de recrutamento de futebolistas portuguesas e potenciar o contexto em que jogam», refere a FPF. Por outro lado, o organismo desportivo pretende, também, «evitar sobrecarga no calendário» face ao aumento de clubes nacionais nas competições da UEFA, nomeadamente na Liga dos Campeões, já em 2024/2025, e uma «maior distribuição e criteriosa aplicação de fundos de apoio aos clubes, estando já estabelecido um montante de 7,8 milhões de euros para as épocas de 2024/2025 e 2025/2026».

Ensino: Presidente da CESPU reeleito na liderança da Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado

Almeida Dias, presidente do Conselho de Administração da CESPU – Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário, foi reeleito, no início deste mês, para o segundo mandato na presidência da Associação Portuguesa do Ensino Superior Privado (APESP).

A APESP é a única entidade que formalmente representa as instituições do ensino superior privado no Conselho Nacional de Educação, no Conselho Coordenador do Ensino Superior, na Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior e no Conselho Consultivo da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior.

Almeida Dias foi eleito, pela primeira vez, em abril de 2021, tendo cumprido o mandato que terminou em 2023.

Novamente à frente da APESP, Almeida Dias aponta como prioridades para os próximos dois anos alterações na «avaliação da qualidade dos centros de investigação» e na «avaliação das candidaturas dos centros de investigação no âmbito dos programas plurianuais de financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia».

Pretende, também, criar um regime de contratação e carreira do pessoal docente e de investigação que respeite a natureza específica do setor particular e cooperativo, assim como a sua autonomia e modelo de gestão. E acabar com a discriminação institucional entre público e privado, nomeadamente no que concerne ao reconhecimento de graus e diplomas estrangeiros.

Outro eixo de intervenção será o reforço da internacionalização das instituições, utilizando a APESP como veículo corporativo.

Foto: CESPU

Famalicão: CDS/PP regressa ao Parlamento com a eleição de Nuno Melo

O famalicense Nuno Melo, número dois da lista da Aliança Democrática (PSD/CDS/PPM) no distrito do Porto, viu confirmada a sua eleição para o Parlamento Nacional.

O partido, que ficou fora da Assembleia da República nas Legislativas de 2022, confirma o seu regresso, sendo que até ao final da noite eleitoral é expectável que o partido consiga mais alguns eleitos.

Nuno Melo é o líder do CDS, presidente da Assembleia Municipal e deputado europeu.

Legislativas 2024: Abstenção poderá ser a baixa dos últimos 20 anos

Na última divulgação da Comissão Nacional de Eleições (CNE), às 16 horas deste domingo, mais de metade da população já tinha exercido o seu direito de voto nas eleições legislativas, com uma afluência às urnas de 52%, a percentagem mais alta dos últimos 20 anos.

Nas últimas legislativas, em 2022, a abstenção ficou nos 42% e em 2019, o valor foi ainda mais elevado com 45,5% da população a não ir às urnas.

Este domingo, as previsões apontam para que o valor da abstenção desça e surpreenda pela positiva.

Famalicão: CDS já marcou Congresso e Nuno Melo recandidata-se à liderança

O Conselho Nacional do CDS-PP reuniu na passada sexta-feira e marcou, para 20 e 21 de abril, o congresso do partido. Nuno Melo recandidata-se à liderança.

O famalicense, presidente da Assembleia Municipal e eurodeputado, foi eleito presidente do CDS-PP em abril de 2022, com 74,93% dos votos dos delegados ao 29.º congresso nacional do partido, que decorreu em Guimarães.

O CDS-PP integra, em conjunto com o PSD e o PPM, a Aliança Democrática que concorre às Legislativas antecipadas do próximo 10 de março.