Retoma nas exportações famalicenses

Segundo o boletim trimestral da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte (CCDRN), em Vila Nova de Famalicão subiram as exportações entre abril e julho, depois de uma quebra nos primeiros três meses do ano. Em janeiro, o valor das exportações foi de 173,5 milhões de euros, mas em abril foi apenas de 69,6 milhões de euros.

Nos últimos três meses, a subida nas exportações famalicenses foi de 142%, com destaque para o setor das borrachas e dos plásticos cujas exportações aumentaram 223%; mas realce também para o tradicional setor dos têxteis que teve uma subida de 73,9% face aos primeiros três meses.

Para esta retoma contou a abertura gradual da economia mundial e a recuperação do consumo por parte dos portugueses.

Outros concelhos do Norte acompanham esta subida das exportações, com destaque para o concelho de Braga, com um aumento de 149,3%, para o qual contribui a exportação de máquinas e aparelhos elétricos, imagem de marca desta região.

A região Norte registou, entre abril e julho, uma subida das exportações de 95%, atingindo o valor de 2.040 milhões de euros, acima da média nacional que se cifrou nos 70,9%. No entanto, esta recuperação continua negativa face ao mesmo período de 2019.

Os indicadores de turismo em Portugal refletem uma evolução favorável, ainda que se situem bastante aquém de 2019, com o número de hóspedes a aumentar exponencialmente entre abril e julho, mas a ficar em menos de metade do valor homólogo do ano transato.

Como negativo, há a registar também o aumento do desemprego na região norte. O número de inscritos nos centros de emprego aumentou 20,0% no 2.º trimestre de 2020 face ao mesmo período de 2019. Ainda assim, estes valores estão abaixo da média nacional, que foi até aos 30,6%. É dado como certo que o número de trabalhadores (20,1%) em regime de lay-off permitiu atenuar a quebra do emprego.